A Lenda do Curupira

 

CURUPIRA, O DUENDE “ECOLÓGICO”

curupira1

Entre os mitos indígenas, o Curupira é incontestavelmente o mais antigo, companheiro inseparável das crenças populares, de onde se admite a possibilidade de ser verdadeiramente indígena, senão antes legado pela população primitiva que habitou o Brasil no período pré-colombiano e que descendia dos invasores asiáticos. Curupira, de “curu”, abreviação de “curumim” e “pora”, corpo ou corpo de menino. É a “Mãe do Mato”, o tutor da floresta, que se torna benéfico ou maléfico aos freqüentadores desta, segundo as circunstâncias e o seu procedimento. Ele possui várias formas apresentando-se através de uma figura de um menino de cabelos vermelhos, peludo, com a particularidade de ter os pés virados para trás, pode Ter os dentes azuis ou verdes e é orelhudo. Todos lhe celebraram as manifestações como guardião das florestas.

Para crença em geral, ele o Senhor, a Mãe, o Guardião das florestas e da caça, que castiga a todo aquele que a destrói, premiando a aqueles que não o contrariam no seu desejo de manter a mata viva, e também para aqueles que se mostram solícitos e obedientes. O Curupira, ora é imperioso e brutal, ora é delicado e compassivo, ora não admite desrespeito ou desobediência, ora se deixa iludir como uma criança. Segundo uma crença generalizada, é o responsável pelos estrondos da floresta. Assim, quando no meio da mata se ouve um estrondo, que não seja uma trovoada, pode estar certo que o Curupira anda por ali… Sob sua guarda direta está a caça que protege, mas entende o caçador e é sempre propício ao homem que mate de acordo com suas necessidades, ou seja, para matar a fome dos seus filhos. Mostra-se extremamente hostil ao caçador que persegue e mata as fêmeas quando prenhas ou cause danos aos filhotes. Para estes o curupira vira uma fera e um é inimigo terrível. Consegue iludi-los sob a feição de caça, levando-os longe… Também é capaz de imitar a voz humana para atrair os caçadores, fazendo-os com que se percam dentro da floresta deixando-os no mato abandonados à fome e ao desamparo. Além de ser protetor dos animais, o Curupira é considerado o Senhor das Árvores. Ele cuida de todas, protege as mudinhas, admira as grandes e bela árvores da floresta. Dizem que armado com um casco de jabuti, bate nas árvores para ver se conservam-se fortes para resistir as tempestades.

Texto e ilustrações do Livro “Lendas do Saber: Permacultura e histórias: cuidando da Terra e das pessoas.

__________________________________________

Análise do simbolismo da lenda

Em mais uma lenda brasileira, assim como na do Saci, vamos encontrar um guardião da mata que precisa se esconder, ludibriar e enganar para fazer o bem. Essa função do oculto, do implícito, para tentar lidar com a ganância, o imediatismo e a inconseqüência dos homens, representado pelo Curupira, mostra e revela a necessidade de estarmos atentos à forma como lidamos com o que a Terra Mãe generosamente nos oferece. Neste jogo de esconde e aparece do Curupira vamos também encontrar uma associação com os próprios recursos naturais, por vezes perigosos, hostis e enganadores, mas cujos mistérios e segredos uma vez passado o susto inicial, podem revelar-se fundamentais para descobertas relacionadas à saúde, por exemplo, se pensarmos na biodiversidade e seu importante e ainda pouco conhecido papel no auxílio às doenças e disfunções do homem e da natureza.

Análise do simbolismo da Lenda do Curupira, Keila Macário Pavani, pg. 86 do livro Lendas do Saber, Permacultura e Histórias: cuidando da Terra e das pessoas. Ed. Insular. 2008

__________________________________________

LENDAS DO SABER – Permacultura e histórias: cuidando da Terra e das pessoas

banner

Durante o curso “Princípios avançados de Permacultura“, ministrado por David Holmgren em maio de 2007, surgiu a idéia de juntarmos lendas e os princípios propostos em vivências dos mesmos. Tal idéia foi compartilhada e aprovada por David e Su Dennet, já que todos acreditamos que lendas e histórias contadas têm um efeito enorme na formação de valores para as gerações futuras.  Assim nasceu o projeto do livro “LENDAS DO SABER“. Neste um ano, ele tomou corpo, já que, além das lendas e dos princípios, Suzana buscou, no seu lado educadora, desenvolver atividades que fizessem sentido para, mais do que pensar, vivenciar cada princípio. Assim o projeto cresceu! Ao falarmos em lendas, surgiu a parceria com Keila Pavani, psicóloga e terapeuta que ampliou a visão sobre o simbólico em cada história, e também com Gardel Silveira, permacultor que desenvolveu as ilustrações do livro.

 Para adquirir exemplares veja nos postos de venda ou peça pelo correio.

 Suzana Maringoni (correio): suzana@permacultura.org.br – Escola Autonomia (portaria), e no Quintal da Ilha, ambos na rua Rua Salvatina Feliciana dos Santos – Bairro Itacorubi em Floripa.

___________________________________________ 

Curupira (desenho animado)

“Curupira” é uma animação nacional dirigida por Humberto Avelar. Fonte: http://canalyttv.blogspot.com/  -

Se não conseguir visualizar o vídeo desta página é porque seu Flash Player está desatualizado ou não está instalado. Para instalar clique aqui (Flash Player). É rápido, fácil e grátis.

___________________________________________

Uma História de Curupira 

Estava o Curupira andando pela floresta, quando encontrou um índio caçador que dormia profundamente. O Curupira estava com muita fome e cismou em comer o coração do homem. Assim, fez com que ele acordasse. O caçador levou um susto, mas como ele era muito controlado, fingiu que não estava com medo. O Curupira disse-lhe:
– Quero um pedaço de seu coração!
O Caçador, que era muito esperto, lembrando-se que havia atirado num macaco, entregou ao Curupira um pedaço do coração do macaco. O Curupira provou, gostou e quis comer tudo.
– Quero mais! Quero o resto! – pediu ele. O Caçador entregou-lhe o que havia sobrado, mas, em troca, exigiu um pedaço do coração do Curupira.
– Fiz sua vontade, não fiz? Agora você deve dar-me em pagamento um pedaço de seu coração, disse ele.
O Curupira não era muito esperto e acreditou que o Caçador havia arrancado o próprio coração, sem ter sofrido nenhuma dor e sem haver morrido.
– Está certo, respondeu o Curupira, empreste-me sua faca.
O Caçador entregou-lhe a faca e afastou-se o mais que pôde, temendo levar uma facada. O Curupira, porém, estava sendo sincero. Enterrou a faca no próprio peito e tombou, sem vida. O Caçador não esperou mais, disparou pela floresta com tal velocidade que deixaria para trás os bichos mais velozes…
Quando chegou à aldeia, estava com a língua de fora e prometeu a si mesmo não voltar nunca mais à floresta. Pensou: “Desta escapei. Noutra é que não caio”
Durante um ano, o índio não quis saber de entrar na mata. Quando lhe perguntavam por que não saía mais da aldeia, ele se desculpava, dizendo estar doente.
O Caçador tinha uma filha que era muito vaidosa. Como haveria uma festa dentro de poucos dias, ela pediu ao pai um colar diferente de todos os que ela já tinha visto.
O índio, pai dedicado, começou a pensar num modo de satisfazer o desejo da filha. Lembrou-se, então, dos dentes verdes do Curupira. Daria um bonito colar, sem dúvida.


Partiu para a floresta e procurou o lugar onde o gênio havia morrido. Depois de algumas voltas, deu com o esqueleto meio encoberto pelo mato. Os dentes verdes brilhavam ao sol, parecendo esmeraldas.
Conseguindo vencer o receio, apanhou o crânio do Curupira e começou a bater com ele no tronco de uma árvore, para que se despedaçasse e soltasse os dentes.
Imaginem a sua surpresa quando, de repente, viu o Curupira voltar à vida! Ali estava ele, exatamente como antes, parecendo que nada havia acontecido!
Por sorte, o Curupira acreditou que o Caçador o ressuscitara de propósito e ficou todo contente:
– Muito obrigado!  Você devolveu-me a vida e não sei como agradecer-lhe!
O índio percebeu que estava salvo e respondeu que o Curupira não tinha nada que agradecer, mas ele insistia em demonstrar sua gratidão. Pensou um pouco e disse:
– Tome este arco e esta flecha. São mágicos. Basta que você olhe para a ave ou animal que deseja caçar e atire. A flecha não errará o alvo. Nunca mais lhe faltará caça. Mas, agora, ouça bem: jamais aponte para uma ave ou animal que esteja em bando, pois você seria atacado e despedaçado pelos companheiros dele.  Entendeu?
O índio disse que sim e desde aquele momento não mais lhe faltou caça. Era só atirar a flecha e zás! O bicho caía. Tornou-se o maior caçador de sua tribo. Por onde passava, era olhado com respeito e admiração.
Um dia, ele estava caçando com outros companheiros que não tinham mais palavras para elogiá-lo. O índio sentiu-se tão importante que, ao ver um bando de pássaros que se aproximava, esqueceu-se da recomendação do Curupira e atirou…
Matou somente um pássaro e, como o Curupira avisara, foi atacado pelo bando enlouquecido pela perda do companheiro.
De seus amigos, não ficou um: dispararam pela floresta, deixando-o entregue à própria sorte.
O pobre índio foi estraçalhado pelos pássaros. A cabeça estava num lugar, um braço no outro, uma perna aqui, outra longe… O Curupira ficou com pena dele. Arranjou cera e acendeu um fogo para derretê-la.  Depois recolheu os pedaços do Caçador e colou-os com a cera. O índio voltou à vida e levantou-se:
– Muito obrigado! Não sei como agradecer-lhe!
– Não tem o que agradecer, respondeu o Curupira, mas preste atenção. Esta foi a primeira e ú1tima vez que pude salvá-lo! Não beba, nem coma nada que esteja quente! Se o fizer, a cera se derreterá e você também!
Durante muito tempo, o índio levou uma vida normal. Ninguém sabia do acontecido. Um dia, porém, sua mulher lhe serviu uma comida quente e apetitosa, tão apetitosa que o índio nem se lembrou que a cera poderia derreter-se. Engoliu a comida e pronto! Não só a cera se derreteu, mas também o próprio índio.
_____________________________________________

Texto extraído do livro Histórias e Lendas do Brasil (adaptado do texto original de Gonçalves Ribeiro). – São Paulo: APEL Editora

Mandem comentários ou textos que acharem apropriados para a página. Só não publicarei textos que forem escritos na linguagem de abreviaturas (MSNês) que costuma rolar na internet. Por favor, escrevam em português compreensível. Obrigado!

__________________________________________

curupira 01

curupira 02

curupira 03

curupira 04

 

curupira 05

194 thoughts on “A Lenda do Curupira

  1. O texto retrata sobre a bondade do curupira
    ele deu 2 chances ao pobre caçador
    primeiro lhe deu um arco e flecha mágico para matar aves e animais para saciar sua fome e lhe disse que quando fosse matar algum animal
    que ñ atirace nele se tivesse em um bando
    passouse um bom tempo e ele se esqueceu atirou nele
    e as aves que estavam ao seu redor
    atirouse em cima do probe caçador
    ele ficou com a cabeça no lugar do braço
    e o braço no lugar da cabeça
    o curupira
    ajudou e lhe deu a segunda chance
    ñ coma nd quente pois vc se derreta-rá
    passou-se um bom tempo e ele novamente o indio(caçador)levou uma vida normal e esqueceu que ñ podia comer nd quente e sua esposa lhe serviu uma comida quente e apetitosa ele comeu e ñ só a sera como ele todo
    moral:sempre em que um amigo lhe ajudar e lhe disser que vc ñ pode faser uma coisa ñ faça,pois vc se dará mt mau
    olá sou raiza rafaela santos cunha,tenho 10 anos e sou da cidade de igrapiúna
    xau

  2. Valeu Raiza, muito obrigado pelo seu comentário, um grande abraço de todos do Sitio Curupira: Simone, Gardel, Poruga, Kika e o Guri.

  3. eu acho uma coisa muito interesante pq tem saci´perere eu gostom + do saci perere e o curupira e a mula sem cabeço tudo isso e as lendo do folclore eu sou fã do folclore

    beijokassssssssssssss

    adoro todos voces q trabalham assim

    eu mando isso com muito carinho para todos voces

    xeer?? da sua amiga

    • a lenda + divertida é a do curupira pq ele cuida muito bem dos animai e da natureza! mas todas as lendda são legais! bjo para todos
      professora mariana!

  4. Mito legal mesmo. Um otimo trabalho pra quem quer fazer uma pesquisa, tudo mas,pena que e um Poukinho grande mas e muito legal. Pra mim mesmo e uma otma opção.

    Bjokas pra quem fez
    Ass: Moot Sayra – Tibia

  5. ei dizem que o curupira cuida dos animais e da floresta . então ele não devia de dar o arco e a flecha porq o indio iria matar os passaros e não protegelos…

    estou meio confusa…

    bjus…

  6. Olá Letícia, saudações do Curupira! Vamos ver se consigo me fazer entender, mas se não conseguir peça ajuda para o papai ou a mamãe ler o texto, que tenho certeza que eles irão compreender.
    O Curupira é uma lenda ou mito criado pelos índios brasileiros, sua época de criação pode anteceder a o período pré-colombiano que eram aqueles que descendiam dos invasores asiáticos. Como toda lenda sempre haverá uma razão de existir. Na minha visão, o Curupira representa não um salvador ou protetor da floresta ou dos animais, visto como um santo ou divindade, mas sim aquele que faz com que o ser humano (índio ou homem branco) tire da floresta somente o necessário para a sobrevivência. Uma cobra mata uma ave para saciar a sua fome e vem fazendo assim a milhares de anos, e até o aparecimento do homem branco nunca se ouviu falar que as aves entraram em extinção por causa das cobras. Agora quando uma espécie (homem) mata por ganância, imediatismo, para vender a carne, a pele ou por simples prazer, ai sim causa um desequilíbrio e as espécies desaparecem. Mesmo nas tribos mais antigas sempre haviam pessoas que não compreendiam este respeito que todos tinham que ter pela floresta e seus animais. Pessoas que não adiantavam dizer que todo o animal, planta, rio e montanhas eram sagrados e tinham que ser respeitados, e só podíamos tirar da natureza aquilo que fosse indispensável para sua sobrevivência. Daí alguém teve a idéia que criar um mito, uma “história de mentira”, mas se fosse contada de geração para geração as pessoas acreditariam, e passariam a respeitar a natureza não somente bom censo e respeito, mas sim pelo medo daquilo que o Curupira poderia fazer. Mas você pode até pensar: como é triste ver uma raça “homo sapiens (homem sábio e moderno)” tendo que respeitar a vida ou a natureza pelo medo e não pela razão ou ética. Sim é muito triste, mas isso não é exclusividade dos povos primitivos. O homem moderno criou as leis e suas punições pela simples motivo de não conseguir respeitar a natureza e seus semelhantes por essa mesma ética e razão. Por exemplo, boa parte da população não estacionaria numa vaga destinada a deficientes físicos, pois sabem que pessoas com dificuldades especiais necessitam desta vaga. Mas um outro grupo de pessoas não pensam assim, elas terão que vivenciar o “medo” de pagar uma multa ou ter o carro guinchado para não estacionar. A maioria da humanidade não tem respeito nem pela própria vida. Tivemos que criar uma lei que obrigasse as pessoas a usar cintos de segurança nos carros, pois não adiantava mostrar as conseqüências através de estatísticas ou documentários. A única coisa que funcionou foi o medo da multa, de perder dinheiro, que para muitos é mais importante que estar vivo e com saúde. Mas não se preocupe com a humanidade, as pessoas estão mudando o seu comportamento, e você é prova viva de que a nova geração está mais consciente, mais preocupara com o meio ambiente e a todas formas de vida. No instante que recebo um e-mail de uma criança questionado o comportamento do Curupira, de que ele deveria proteger todos os animais sem precisar matar nenhum, vejo que está na hora de dar-mos mais um passo na nossa evolução. Minha amiguinha “ajudante de curupira”, nunca deixe de questionar as coisas, procure saber o porquê das coisas.
    Desculpe a grande volta que fiz para lhe fazer entender e se usei argumentos muito fortes para sua compreensão. O que tem que ficar claro é que matar para comer faz parte da vida, sempre foi assim. Isso chama-se cadeia alimentar, é o que faz com que a vida flua em equilíbrio no planeta, pelo menos até agora. O que não pode é matar pela ganância ou para enriquecer, ai causamos o desequilíbrio e a extinção das espécies.
    Espero ter ajudado, um grande abraço!
    Gardel Silveira, um curupira do sítio.

  7. Jacquilene, os pés do Curupira são virados para trás para poder despistar o caçador. Isto causa uma confusão muito grande, pois o caçador nunca sabia em que direção o Curupira estava indo. Sempre que alguém tentasse seguir suas pegadas acabava se perdendo na mata.

  8. Ola, eu sou argentina, nao falo muito bem, tenho portuges na minha escola.
    a lenda do curupira é muito bonita.
    gostaria de falar cn vocEs, gostaria de saber porque o curupira tem os pes virados para tras, e adoro todos voces q trabalham assim.
    muito obrigado, eu achei essa lenda fantástica.
    (espero sepan entender q no hablo el portuges muy bien)

  9. oi adorei o comentário da lenda do curupira,estou fazendo tcc sobre lendas,se vcs podecem me da umas dica,eu agradecaeria muito…bjos

  10. goataria de um informação ,
    sou professor de capoeira e estudo sobre as lenda q envolvem a cultura negra, e achei informações que dizem que o sací e o curupira, são criações dos brancos para assombrar o imaginários dos escravos e das crianças , o sací é um negrinho q fora mutilado ,como o curupira, e para qfasatas os negros do caminho dos qulombos contavam essas histórias.
    sabe algo sobre essa informação?
    agradeço desde já por essa história fantástica que pude ler.

  11. Oi, adorei a lenda do curupira (Historia), me ajudou muito na Fera do Saber da minha escola, bom, eu achei só meio confuso mesmo a parte do arco e flecha como a jacquilene disse acima, li oque você falou para ela, mas não intendi!!!!

  12. e tambem queria entender como que ele cura os animais

    sou Catarine
    tenho 6 aninhos
    e minha mãe que tá escrevendo para mim
    beijos

    • Olá Catarine, saudações curupiras!
      O Curupira é um ser encantado e com poderes mágicos que a mãe natureza concedeu, especialmente para poder cuidar dos animais da floresta.
      Toda criança que cuida dos animais e preserva a natureza, tem um pouco desta magia, como se fosse um ajudante de curupira.
      Um grande abraço do Curupira.

  13. eu achei otimo essa lenda por isso estou a qui escrevendo,eu comecei a gostar da historia quando teve uma gincana na minha escola ,nossa eu todo dia ficava ouvindo essa historia,quando eu chegava da escola ia pro computador ouvir tinha videos tinha quer dizer ainda tenho gosto muito de ler essa lenda o pros outros que nao gosta de ler,essa historia pois ta perdendo uma coisa inesquessiveu e a lenda é otimo pra imaginação as criaças que devia mais ler essa lenda do curupira maravilhosa.eu acho que essa criaça que ainda nao leu ou nao ouviu é por que é bebe nao é por que essa historia e muito comentada gente eu nunca ouvi essa historia mas quando eu ouvir meu Deus eu fiquei emprecionada entao nao deixa de ouvir essa lenda entao tchau.meu nome é Ana Carolina Ribeiro Neves.nao se esquessa de ler ouviu ne é vc botar la no google vc escreve lendas do curupira e pronto pode ler avontade nao se estresse a pesar de ler e muito bom entao esse é meu comentario tchau.

  14. Oi, por favor me esclareçam uma dúvida: já ouvi falar que o Curupira é verde. Ele é mesmo verde?
    Parabéns pelo trabalho de vcs por aqui.
    Obrigada, Cida.

    • Olá Maria tudo bem?
      Em relação à cor da pele do Curupira há muitas versões, formas e opiniões, dependendo muito da região e do autor. No livro Lendas do Saber de Suzana Maringoni aparece este parágrafo “Ele possui várias formas apresentando-se através de uma figura de um menino de cabelos vermelhos, peludo, com a particularidade de ter os pés virados para trás, pode ter os dentes azuis ou verdes e é orelhudo.” No final da página coloquei alguns desenhos do Curupira encontrados na rede. Ali aparece várias interpretações da coloração de sua pele, que varia do negro para o mulato e do branco para o verde.

  15. eu acho o curupira um personagem supewr legal e engraçado que apronta muitas coisas legais!
    por isso eu achei esse textinho su per legaL NOTA 10000000

  16. Tem como colocar a historia do curupira com falas até sexta feira(11/09/09)?

    obrigado
    OBS:é para um trabalho extra urgente.
    se tiver mandem para o e-mail:henrimate@hotmail.com
    se puderem obrigado.

  17. acho issoh super legal a minha professora de português gosta muito diisso qe atééh mandou agente fazer huum caderninho sobre tdo qe teiim no folclore receitas,lendas,brincadeiras,oqe éh oqê é , e entre outras =]
    site muito legal vou vir sempri aqi pesquisar trabalho do folclores ameii meus parabéns pro dono qe feiiz esse maravilhoso site bjoos Manu

  18. Olá Maria tudo bem?
    Em relação à cor da pele do Curupira há muitas versões, formas e opiniões, dependendo muito da região e do autor. No livro Lendas do Saber de Suzana Maringoni aparece este parágrafo “Ele possui várias formas apresentando-se através de uma figura de um menino de cabelos vermelhos, peludo, com a particularidade de ter os pés virados para trás, pode ter os dentes azuis ou verdes e é orelhudo.” No final da página coloquei alguns desenhos do Curupira encontrados na rede. Ali aparece várias interpretações da coloração de sua pele, que varia do negro para o mulato e do branco para o verde

  19. Como é bom sonhar…
    O sonho desperta uma outra vida fantástica.
    A floresta também sonha, chora orvalho pela manhã, fala através dos pássaros, dos insetos, das corredeiras e dos regatos e ainda conta histórias.
    A floresta também ouve muito quieta todos os sons.
    Vê e mostra suas cores, vários seres, existentes ou não.
    Irreais valores?
    Preciso vê-los?
    O que importa?
    Melhor sonhar com a natureza, a minha natureza de ser.
    Sendo lenda ou não.
    Sonhar em ter um Curupira no coração é o pedaço que ele ofereceu a você nesta bonita lenda.
    Valeu Curupira pelo presente.

  20. adorei o trabalho de vocês
    é bom saber que tem pessoas
    que se importam com o meio ambiente
    sou professor de biologia
    e como vocês quero fazer algo diferente
    pela nossa natureza, um abraço para todos
    vocês.

  21. gostei muinto e vai mi ajudar mesmo pois na minha escola estou fasaendo um trabalho sobbre lendas……………………………!

  22. ola pessoal do sitio, sou um nativo aqui do estado nais setemtrional do brasil roraima, quando criança morei no local proximo onde hoje é a cidade de presidente figueiredo fica entre os estados do amazonas e roraima. na epoca eu tinha 10, isso foi em 1976 meu pai na epoca funcionario publico ajudava a abrir estradas no amazonas, recentemente tinham inalgurado a BR 174 que tem 1000 km é corta toda a região na epoca virgem…

    foi quando eles resolveram fazer uma hidroeletrica nas margens do rio uatumã. hidroeletrica de Balbina.

    no periodo das obras eu ficava no meio dos peõs, na maioria migrantes de outros estados, eles contanvam muitas historias, na sua maioria enventandas pela imaginação deles que achavam aquela floresta exuberante um obstaculo, e quase sempre não participavam do que ela oferecia.

    meu pai me deixava a vontade, pois sabia que podia me virar sozinho.
    foi então que cançado de estar no meio dos peões resolvi dar uma volta na floresta. me perdi…

    não entrei em panico, já conhecia muito da floresta, caçava com meu pai desde os seis. e ele sempre ne ensinou a respeita-la, nunca teme-la, meu pai como ele mesmo dizia era uma verdadeira canguçu “onça pintada” chamava os animais pelo nome, sabia a lingua das arvores e das pedras…
    conhecia os sons mais esquizitos e na sua maioria sabia reproduzi-los.

    ele sempre me dizia. “onça não come ninguém, é o animal mais bobo que tem para se matar, é até uma covardia matar um animal desses…

    meu pai avisava: “o animal mais perigoso que tem na floresta não é onça, nem cobra, nem jacaré,nem os catitú, são as abelhas e cabas essas se te pegarem de jeito te matam” por isso o nome do maior lider indigena da amazonia tinha referencia a esses bichos “AJURICABA” Ajuri= reunião, Caba= Vespa ou seja ele era uma casa de cabas, valente e perigoso…

    lembrando de tudo isso fiquei tranquilo dentro da floresta, claro que me deu fome, sorte que era epoca que caiam muitas frutas…

    no segundo dia perdido encontrei o rio Uatumâ, como sabia que o acampamento da obra estava para cima começei a subi-lo margeando, algumas horas depois do dia clarear, fim uma pausa embaixo de uns pés de copaibeira, foi ai que apareceu um curumin com arco e flexa caçando no igapó perto da onde eu tava, logo eu também teria que atravessar esse igapó “braço estreito de um rio” o menino estava tão destraido flexando os “roelos” pirapitinga um peixe que parece o tambaqui.

    bem na hora que ele errou uma flexada eu fiz barulho nas folhas ele olhou por entre os galhos e me viu, na hora ele tomou um susto que quase foi pra agua, eu não aguentei dei uma rissada, ele murmurou alguma coisa é veio na minha direção, quando chegou bem perto a canoua encostou na beira
    pude ver que ele tinha uma deficiencia nos pés por isso se desequibrou na canou quando me viu. seus pés não eram aplumados, eles convergiam, mas não eram totalmente virados para trás…
    ele não falava a minha lingua, então como percebi que ele me indagou oque eu fazia ali, fiz com gestos que estava perdido, ele entendeu e dessa vez foi ele que sorriu. me perguntou tambem com gestos se queria acompanha-lo na flexa de roelos, eu fiz sinal que sim. ele retirou uma pedra que usava na outra ponta para manter o equilibrio da mesma, entrei na canoua que mal cabia nos dois e la fomos nos para dentro do igapo, as aguas eram escuras mas dava pra ver um metro na superficie…
    um cardume de roelos estava ali comendo as sementes de seringueiras, logo logo eu avistei alguns apontei para ele mas da posição que ele tava não ia dar a canou estava em movimento ele passou o arco e a flexa para mim e segurou num galho de sacaizeiro, eu sentado mesmo nem pisquei cravei o maior na raiz do sacai, o menino falou “caraiau megrõ” varias vezes e foi rodando a canou se guiando pela propia arvore que ele agarou na mão, chegou na raiz meteu a mão nas guerras do roelo e o retirou da agua, o bicho era um “paideguão” quando ele tentou tirar a flexa o osso quebrou, ele usava fagmentos de ossos de animais para a ponta das flexas…

    ele disse tá bom de peixe, vamos comer saiu remando igapo adentro…
    chegamos num teso onde acabavo o igapo e ficava so um corrego, desci juntei um monte de folhas, ele pegou a faca dele feita de canela de viado
    raspou um inajà seco, pegou um esfrega-esfrega uma especie de esqueiro da floresta. jogou um pouquinho de terra dentro da cava na madeira, pressionou o tucho de raspa de inaja(palmeira da AMAZONIA) foi umas 20 esfregadas e o fogo pegou, moqueamos( assamos) o maior porque falei para ele que eu estava quase dois dias sem comer…
    na hora que a comida aprontava escutei um barulho como daqueles tropetes romanos ou melhor dizendo de um berrante. falei para ele era o meu pai me procurando, ele esta assoprando mo cano da espingarda, eu sabia que meu pai viria atras de mim.
    o curumim foi na canoua e pegou uma especie de concha e começou a soprar fazendo quase o mesmo barulho que meu pai…

    bem pessoal do sitio essa é uma longa historia… eu convivi por varios anos com o curupirà e acredito que até hoje ele esta vivo com seus 40 e poucos anos…

    gostei muito do desenho animado do curupira, gostaria de saber quem é o produtor.

    estou escrevendo a historia do nascimento do curupira, quem sabe não fazemos um filme.

    um grande abraço direto da floresta.

  23. posso afirmar que já vi algo parecido com essa imagem de curupira, só que tem um detalhe ele ou ela tinha os olhos vermelhos como fogo e queria falar comigo, só que eu mim assustei e ele(a) foi embora. Isso aconteceu no ano passado em 2009. Agora ele está querendo falar comigo de novo, o que faço, pois estou com medo e ao mesmo tempo quero essa comunicação. Sim realmente tem um som agudo que só eu escuto e isso está mim deixando confusa, pois não sei o que fazer. Será que isso é coisa boa? ou seja vem de DEUS.

  24. Oiii veio um homem falar comigo quando estava meu onibus ele era esquesito ele tinha
    orelhas pontuda e pes virado para tras dai eu perguntei se ele tinha torsido o pe dai ele falou que o pe dele era assim
    daii eu disse eu meu onibus chegou dai eu saii

    • Olá Gabi,
      os pés do Curupira são virados para trás para despistar o caçador, pois ao seguir as pegadas do Curupira o caçador imagina que ele está indo em uma direção e na realidade está seguindo na direção oposta. Em muitas histórias os caçadores além de perderem a pista do Curupira acabam perdidos na floresta.

  25. NUNCA TINHA TRABALHADO COM A LENDA DO CURUPIRA, EU GOSTEI DE LÊ-LA MAS ME PERDOE A PERGUNDA , ESTA É A LENDA ORIGINAU?
    É PORQUE EU PRECISO DELA PARA FAZER O TRABALHO DA MINHA SOBRINHA.MAIS DE QUALQUER MANEIRA ADOREI OSITE E O TRABALHO DE VOCÊS, QUE AJUDAM PESSOAS COMO EU A SE ENTERAREM SOBRE O FOLCLORE BRASILEIRO QUE É TÃO RICO E MARAVILHOSO!

  26. ♥♥♥Eu achei o texto do curupira muito importante ,melhor ainda para as crianças
    que faz pesquisa nas escola .Porque no dia de folclore passa muita pesquisa
    então eu achei muito bom o que essas pessoas faz !♥♥♥

  27. eu gostei muito porque no folclore os alunos
    ten que pesaquisa parabensssssss!!!!!
    *—* beijosssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssss ♥♥♥♥♥♥

    • Mas gosto muito do folclore Brasileiro,na escola tenho um trabalho de 30 folhas só do folclore isto é muito tenho de entregar dia 09/09/10 e hoje é 03/09/10!

  28. Fico muito grata ao curupira em saber a historia dele com isso fechei o trabalho de redação sobre lendas urbanas

    HÃÃÃÃ… claro!!! adorei a historia muito legal e o video tambem é bem interessante!!!!!!…..

    obrigado!!

  29. oi sou dani!!!!

    Adorei em ler sobre o curupira é muito legal e interesante
    queiria agradeçer ao curupira com sua historia pois eu fechei o trabalho de redaçao sobre lendas urbanas !!!

    obrigado!!!!!!

  30. Eu adoro as lendas Do Norte são muito legais.Com esse texto eu conseguir completar meu trabalho de Artes.Muito obrigado por colocar esse texto na WEB,
    VALEU!!!.

  31. Bom dia! Vendo programa da rede tv, Mega Senha, vi o participante dizendo que se ganhasse algum dinheiro ia trabalhar ou estudar melhor sobre o Curupira. que faz parte do Folclore brasileiro. Eu não me lembro se ouvi sobre ele no meu tempo escolar. Sobre o saci-pererê e outros si m. Terminou o programa entrei no google e achei lindas mensagens sobre o mesmo. Maravlhoso trabalho de vcs em tornar publico este CURUPIRA. Estou emocionada em saber que ele cuida das matas. Que vergonha para nos seres humanos racionais. Quero que DEUS proteja vcs sempre, por divulgar assuntos principalmente sobre a natureza , enfim pela terra Mãe.Muitos abraços.Fiquem com DEUS, que é uma excelente companhia.Ana Maria de Souza.Itapira.S.Paulo

  32. oi sou luis henrique tenho 7 aninhos goste muito de floclore e adoro desenhos em que mim amarro muito gosto de estudar poque minha professara contá muitas estorinhas pará mim.e adoreii está estorinha.que é muito divertida.muito obrigado.meus agradecimento pará ó gênio que nós deu essa maravilhosa mãezinha. chamada internet obrigado?

  33. Eu gosto muito de lenda, moro no norte do Brasil, sempre vou a Parintins ver o boi bumbá, lá durante o festival é apresentado muitas lendas e a que mais me fascina é a do curupira. Desde criança eu fui encantado pelas narrativas mágicas de meu pai, avós e outross que sempre tinham alguma nova hisória sobre os mitos da floresta. Vejam essa lenda contada pelos índios Tikuna do Alto rio Negro, foi coletada pelo profssor Dr da Ufam Gian Carlos Stefan ” O jabuti era gente e desafiou o Curupira pra medir forças num cabo de guerra, Curupira não quis, então o jabuti disse que ele não era macho! Curupira se irritou e disse que topava o desafio. Jabuti era moleque encapetado e disse que ia pular no lago, pois era pequeno e dentro do lago teria mais chances de vencer o Curupira, mas dentro do lago amarrou a ponta de um cipó na calda de um grande tambaqui que era o rei do lago, ai ele pôs a cabecinha pra fora do lago e deu a outra ponta do cipó ao Curupira e disse : ” puxa!”, Curupira puxou, puxou, puxou tanto que se espremeu todo, e o jabuti so rindo no meio do mato.O tambaqui-rei deu uma rabada dentro d”agua fazendo o Curupira cair com tudo, lá dentro ele viu tudo e ficou muito furioso com o Jabuti que já tinha corrido,ai ele saiu do lago com os pés virados pra traz de tanto fazer força, por causa disso fez o jabuti virar bicho de vez e diminuiu o tamanho do tambaqui , desde então o jabuti ficou lento e que a onça conhece pegar ele e devorá-lo.

    É engraçada essa história-lenda que os Ticunas contam!

  34. Olá Gardel e Cia Curupira!

    Estou começando meu sítio, nem casa não tem ainda somente um galpãozinho.
    Já rocei bastante e já plantei moranga, milho, aipim, melancia.
    Foi um prazer encontrar voces neste site.
    Vou fazer um paraíso assim como vocês tem feito. Simples, tem uma nascente limpíssima e um arroio com cachoeira e água limpa no meio dos morros, 3 hectares 60% mata. Vocês estão no pé da serra deste lado aí e eu estou aqui no pé do outro lado da mesma serra. ( Nova holanda, Brochier RS, 80 km de Porto Alegre. )
    Achei um nome legal.
    Sítio Caapuã, sinônimo do Curupira, caipora, caapora……
    Um sonho de sempre está sendo realizado por mim e pela Sandra, companheira faz 27 anos. Já tenho 52, mas vou cuidar muito bem deste lugar.
    Nesta região só querem fazer carvão vegetal, um absurdo.
    Obs.: Na virada do ano estarei aí em Floripa, desde 1978 eu vou à Pinheira, tenho amigos por lá.

    Um abração
    Sítio Caapuã
    Marco Ritter e Sandra

  35. adoro lendas desde de criança;pois essas lendas ajudam muito no trabalho folclórico…..adoraria ver essas lendas em videos!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!BJAUMMMMM:Jhully de belem do para;distrito Ananindeua…………………………abraços ammmmmmmmmmmmmmmmmooooooooooooo todas as lendas………………………depois mando mais comentáriosssssssssssss……vou morrer de saudades de ver as lendas…………………

  36. achei qe o curupira era protetor das matas
    e qe ensinava a cuidar e proteger as matas e os animais….
    too meia confundida ….
    “ele é ou ñ protetor das matas”………………………….
    bjxx ♥♥♥♥

  37. que fofo cuirupira hoje dia 9 deagosto de 2011 na cidade de ouvidor eu estudo na escola municipal ana ramos dos santoss a escola e municipal as minhas profesora e a iracilda e acilane .

    um abraço ate mais ♥♥♥

    adoro vcs eduarda

  38. Curupira eu gostei da sua lenda é muito longa,eu tive um trabalho pra entregar 22/08/11 de português e eu comecei a fazer dia 12/08/11 eu escrevi a sua lenda e eu gostei muito da sua lenda tá,você está de parabéns!!!

  39. eu achei muinto bom e´uma coisa encrivel eu vou apoiar minha prima raphael dessa vez eu achei munto bom a pes a que eu gosto muinto de uma pessoa la na escola onde eu estudo isso a judou muinto em minha pesquisa obrigado

  40. Pingback: Dia do folclore – Lendas | educaamazonia

  41. o curupira e o animal da floresta,sendo o mais esperto e que protege.mas isso tudo e uma lenda,que pena ,mas nos humanos nao podemos ter ele como o animal da floresta.

    • “Segundo o ‘Dicionário do Folclore Brasileiro de Câmara Cascudo’, o Caapora distingue-se do Curupira por ter pés normais e em geral, o Caapora também não é representado peludo como o curupira. O Caapora é glabro (sem pêlos e barba) como um índio…”
      Para saber mais acesse a página http://www.gelonegro.com.br/?p=2074

  42. oi gente. Outro dia eu assisti pela TV uma professora contando a estória do Curupira e notei qua ela falava sore uma parte da estória em que o curupira diz que cortaria uma parte de sua perna, a pele, talvez, e daria ao seu interlocutor, para que comesse. isto tel algo contido na lenda ou entendi mal ? Se há, creio que trata-se de incentivo a auto flagelo e canibalismo. por favor, se queizerm manddar respostas unem meu email : prlcamp@msn.com e me tiirem essa dúvida. grato. abraços

    • Olá Paulo.
      A lenda do Curupira tem muitas versões e é uma das mais antigas lendas brasileiras.Há relatos que sua lenda já era contada pela população primitiva que habitou o Brasil no período pré-colombiano. Em relação ao autoflagelo ou canibalismo sugiro que questione o autor desta história que você ouviu na tv, pois não tenho conhecimento sobre isso.

  43. ola sou ismael carlos em 2007 eu esta no ponto de onbus pra ir pra escola a noite tava muito silencio a noite era numa faixa de 18:30 da noite en frente a morro eu escutei a risada do curupira e esta em cima da arvore balaçando muito e rindo muito o local em rio de janeiro vargem pequena eu fiquei com medo que corri olho vermelho do ponto dava pra ver ele esta acedendo e apagando

  44. eu gostei muito da història do curupira quem ver vai ficar muito emosionado por que a història do curupira e muito legal eu amei do vundo do meu coraçao gostei de mais agora eu vou ver a lenda do curupira de novo mais eu agretido no curupira beijos da gabriela rsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrssrsrrsrssrrssr

  45. Qui legal cara gosti de ver kk’, mais acho que isso verdadeiramente falso esse curupira nem existe , e muitas pessoas ficam falando isso pra mim eu sei que é mentira mais pra falar a verdade amo historias , lenda, mitos e etc…
    Amo demais ♥

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s