Aqüicultura e Alagados

Um tanque ou lago pode agir como um espelho, uma armazenagem de calor, um limpador de poluentes, um sistema de transporte, uma barreira contra o fogo, um recurso de lazer, um banco de energia,  parte de um sistema de irrigação ou simplesmente um criatório de peixes, crustáceos e plantas aquáticas. Além de tudo isso, é naturalmente paisagístico e produtivo.

Abaixo uma ilha de pneus para tanque de água fresca. (figura 01)

pneu-15cm

Sistemas de tanques, ou aqüiculturas, são muito mais produtivos e eficientes do que sistemas baseados em terra, devido ao constante suprimento de água e nutrientes, em uma forma facilmente assimilável, e de uma variedade de plantas e animais que podem servir de alimentação ou serem vendidos. Uma mistura de peixes, lagostins, moluscos, pássaros aquáticos, plantas de margem e até animais de terra, cercados, leva vantagem sobre os diferentes nichos de alimentos do sistema.

A maioria dos livros trata a aqüicultura como piscicultura, mas existem tantas plantas úteis para serem plantadas na água quanto existem peixes; muitas algas, moluscos e, até mesmo, insetos comestíveis e rãs podem ser considerados. Nós podemos projetar o sistema para considerarmos em nossa produção principal qualquer um dos seguintes itens: peixes, castanhas d’água, arroz silvestre, mel de lupelo de pântano, peixe para iscas, mariscos e lesmas de água doce, peixes de aquários, flores aquáticas, camarões, ovas de peixe, juncos ou chorões para artesanato, fungos desenvolvendo em paus podres etc. Todos eles são “aqüiculturas”. É melhor suprir um mercado especialista menor e confiável – plantar alga vermelha para caroteno, por exemplo, do que penetrar em um mercado enorme de trutas alimentadas com ração ou outras iniciativas altamente capitalizadas.

Estas informações descritas aqui darão apenas algumas idéias para o produtor em pequena escala ou para a produção caseira. É importante reconhecer que, quanto mais intensivo o sistema, mais necessitará de pesquisa, planejamento cuidadoso e manejo adequado.

Construção de açudes

Antes da construção de açudes ou tanques para aqüicultura, deve-se planejar a incorporação de ilhas e refúgios para pássaros aquáticos, margens rasas no interior para plantas forrageiras e um refúgio profundo para peixes, em áreas onde as temperaturas de verão sejam altas. Além disso, refúgios submersos, como pneus velhos, canos de barro e troncos ocos protegem as espécies menores dos peixes e pássaros predadores.

A estabilização dos bancos dos açudes é feita com troncos, pneus ou degraus cortados e plantados, utilizando bambu, capim pampas ou outras espécies de raízes superficiais. Embora arbustos possam ser plantados, a estrutura de raízes de grandes espécies de árvores poderá danificar os bancos, eventualmente.

Quando da construção de um novo açude ou tanque para aqüicultura de peixe , não introduza peixes imediatamente. Novos açudes não têm a habilidade de açudes bem estabelecidos para prover uma variedade de alimentos naturais. Depois de o açude ter sido cheio pela primeira vez, coloque de 5 a 10 cm de palha à volta da linha d’água e caminhe por cima para introduzi-la no solo molhado. Isso minimizará a erosão do solo, oferecendo cobertura e uma fonte de alimentos para os pequenos insetos aquáticos. Plantas aquáticas como o lírio, a taboa, a castanha d’água e, até mesmo, um pequeno número de ervas aquáticas, também ajudam nesse processo.

Novos açudes são, algumas vezes, barrentos e podem necessitar de uma aplicação de calcário (adicionado a uma razão de 560 kg/ha). Reduza a quantidade de lodo penetrando no açude a partir da entrada, cobrindo com capins o dreno ou encosta imediatamente superior do açude. O manejo cuidadoso da área de captação (plantando vegetação, dirigindo o fluxo d’água) é crítico para evitar o assoreamento completo do açude.

Uma ilha é construída dentro do novo açude, simplesmente, empurrando terra em um grande monte e cobrindo com solo; alternativamente, pneus são arranjados em uma pilha e cheios de terra (figura 01).

Animais devem ser certados fora dos açudes de aqüicultura; eles tornam a água barrenta, destroem a vegetação e podem causar sérios problemas de erosão.

Profundidade e forma do açude

O número de peixes que pode ser introduzido em um açude é reativo à área de superfície, não a sua profundidade ou ao volume. A área de superfície controla a quantidade de alimento dentro e á volta da água. Todavia, a profundidade também é importante para que os peixes possam escapar para o fundo, resfriarem-se em tempo quente e evitarem pássaros e outros predadores. Um número comum é de 2 a 2,5 metros de profundidade. As configurações seguintes são utilizadas regularmente, em todo o mundo.

Abaixo esquema de configurações para tanques. (figura 02)

tanques-15cm

Açudes em série: Peixes de idades diferentes podem ser seqüenciados no curso, em um estilo linha de montagem (figura 02). Dessa forma, o alimento é fornecido ao peixe em uma “escada trófica” de tanques rasos próximos à pântanos, a qual oferece um excesso contínuo de alimento vivo para os açudes principais, ainda que estejam isolados seguramente dos predadores, para que os organismos de reprodução rápida possam habitar livremente. Como a alimentação é responsável por 70 a 90% dos custos, torna-se bem mais barato produzi-la do que comprá-la.

Tal arranjo tem a desvantagem de que qualquer parasita, doença ou poluente irá fluir para todos os açudes; embora isso não seja comum em operações pequenas, é um risco que deve ser considerado.

Açudes em paralelo: Cada açude pode ser isolado de doenças e, também aqui, um açude com espécies para alimento pode ser instalado acima de casa açude de produção (figura 02). Note que “espécies alimento” podem, elas mesmas, ser escolhidas para ser diretamente comestíveis ou para uso como iscas. Em geral, açudes em paralelo são controlados, drenados e manejados mais facilmente do que açudes em série.

Açudes canalizados: Estes são especificamente, próprios para peixes que dependam da alimentação nas margens (carpa-capim, tilápia) ou de terra (trutas). Algumas das pisciculturas mais produtivas conhecidas são aquelas de canais de fluxo lento com estoque alimentar amplo ao longo destes (algumas fazendas de trutas, na Suíça, são, virtualmente, canais em curvas de nível em encostas argilosas íngremes). É geralmente mais fácil apanhar peixes em canais do que em açudes grandes, de formas variadas (figura 02).

A localização ideal e a forma do açude podem ser de canais construídos através de um pântano onde espécies de alimento se multipliquem, de forma que os canais sejam 20 – 30% do total da área de pântano. Os canais são estocados com peixes predadores, que exploram o pântano à procura de crustáceos e pequenos peixes. A retirada dos peixes ocorre quando a área de pântano adjacente está baixa, digamos, na estação de verão seco.

Tamanho do açude

Não necessitamos pensar que culturas de açudes são próprias somente para açudes-padrões, de ¼ de hectare. Aqui estão alguns produtos úteis para pequenos ou grandes açudes.

  • 1 – 2 metros quadrados: agrião, inhame, castanha d’água chinesa e algumas rãs para controle de pragas de jardim; um lírio raro, uma pequena população de peixes raros ou plantas de aquário;
  • 5 – 50 metros quadrados: uma grande variedade de plantas alimentícias e, em tamanhos maiores, peixes selecionados cuidadosamente, suficientes para uma família;
  • 50-200 metros quadrados: cultura comercial especializada, estoque de reprodução, plantas de alto valor e suprimento completo de proteína para uma família, comportando um bando de patos;
  • 200 – 2000 metros quadrados e maiores: comercial para peixes de alto valor e crustáceos; tamanhos maiores permitem uso recreativo.(Note que, a cada aumento de tamanho, todos os usos de tamanhos menores estão incluídos).

____________________________________________________________

Policultura benéfica ou consórcio

Embora um sistema de aqüicultura deva ser projetado com uma proposta principal (um peixe em particular, crustáceo ou planta aquática), é importante combinar uma variedade de espécies aquáticas benéficas, para preencher os nichos disponíveis ou para subsidiar o produto primário.  As classes amplas de organismos aquáticos são as seguintes:

Alguns elementos de uma policultura de lagoa  

policutura-para-acudese-lagoas-20cm7

  •  plantas, desde os arbustos de margem até a vegetação submersa e o fitoplâncton;
  • invertebrados, microorganismos e crustáceos;
  • peixes, desde os forrageiros e até as plantas, moluscos e espécies predatórias; até seis espécies de peixes cuidadosamente selecionados podem ocupar um açude de forma lucrativa e aumentar a produção;
  • aves aquáticas, especialmente os patos, os gansos e, até, os pombos, com casas sobre o açude.

Plantas associadas com açudes são:

  • espécies de raiz comestível, como o inhame, o lírio d’água, o lótus e a castanha d’água, plantados submersos nos bancos ou no fundo, possivelmente cercados por um pneu velho, para marcar a localização;
  • aquáticas flutuantes como kang kong, agrião e aquáticas carpete como Azolla e lentilha d’água (Lemna) poderão cobrir todo o açude, ainda que possam ser arrastadas e comidas pelos animais (patos adoram) ou utilizadas como mulch em jardins ou cercando as plantas de margens;
  • plantas de margem rasa alagada, de haste longa, Typha (taboa) ou arroz silvestre, como refúgio para rãs e pássaros;
  • plantas de margem úmida como o bambu, mamão, banana, confrei, Sambuccus esp. e uma cobertura verde curta de capim ou Desmodium (uma espécie invasora); essa cobertura mantém os bancos estáveis e verdes, sendo uma fonte de forragem para patos e gansos.

Para animais aquáticos, uma variedade de alimentos de níveis diferentes é muito útil. Comedores de fundo de açude alimentam-se de detritos filtrantes ou alimentadores e do zooplâncton, enquanto que comedores de superfície são herbívoros, comento algas e capins. Vagando pelos sistema estão os predadores de nível intermediário.

Comedores de detritos são mariscos e mexilhões de água doce, que vivem no lodo, no fundo do açude. Eles podem filtrar até 900 litros de água poluída por dia, por meio de seus sistemas, e ejetar soluções concentradas (geralmente, fósforo) no lodo, as quais podem ser utilizadas como fertilizantes em pomares ou lavouras, quando os açudes são drenados. Outros comedores de fundo (plâncton) são crustáceos, caranguejos e lagostins.

____________________________________________________________

Na foto abaixo algumas espécies criadas no sistema de consórcio com patos no açude do Sítio Curupira.

peixes-do-curupira

____________________________________________________________

Peixes herbívoros são aqueles que como a carpa-capim, podem limpar a vegetação da margem de um açude. São peixes de crescimento rápido e alcançam um tamanho para o mercado em 3 meses, com um suprimento adequado de alimento. No Havaí os açudes são estocados com camarões de água doce como produção principal, como uma produção secundária de carpas-capim comendo o capim quicuiu das margens. Patos fornecem nutrientes para os açudes (patos e peixes são uma combinação excelente, de alta produção).

Peixes predadores (truta, traíra e dourado) são aqueles que se alimentam de outros peixes e em uma policultura complexa, são confinados do resto das espécies no açude. Pequenos peixes e crustáceos entram na área cercada e são devorados. Tais áreas cercadas podem ser usadas para:

  • alimentação e aeração de emergência; isso é usado para muçus, por exemplo, economizando energia naquelas poucas noites de verão em eu a aeração do açude inteiro se tornaria cara;
  • que, nos açudes menores, peixes predadores de alto valor possam ser mantidos para eliminarem os peixes de tamanho insuficiente dos açudes maiores, que por meio de uma separação de tela que permita a esses peixes nanicos penetrarem na área;
  • que as seções de açudes menores possam reproduzir camarões minou para peixes maiores, no açude principal. De acordo com Swingle, 30% de qualquer açude poderia ser cercado para peixes forrageiros e camarões; nutrientes são adicionados a essa parte do açude, onde os camarões rapidamente se multiplicam.

___________________________________________________________

Qualidade da água e fertilização do açude

Quando montar um consórcio de espécies para o açude, as considerações primárias serão quanto aos estercos (fertilizantes) para o sistema; alimento para os outros organismos; a moderação do clima do açude (vegetação das bordas) e a melhoria da qualidade da água, especialmente em relação à utilização dos detritos e ao uso completo dos alimentos.

Água de boa qualidade, com pH de 7 a 8, é a melhor. Se a água for muito acida, os nutrientes do solo serão ligados e não poderão ser liberados para dentro dela. É comum o fundo dos açudes se acidificarem eventualmente; embora possa-se adicionar calcário na superfície, o açude pode ser drenado em intervalos do poucos anos. Muitos produtores do sudeste da Ásia realizam culturas no fundo de açudes fertilizados por patos e, então, enchem-nos novamente para outro ciclo de produção de peixes, após a adição do calcário. Ciclos de culturas secas podem ser utilizados nos açudes a cada período de 2 a 4 anos, para aproveitar os níveis geralmente altos de nutrientes no fundo do açude, para um plantio de alto valor, como melões ou grãos de “luxo”, como o arroz silvestre.

Abaixo vemos um desenho (figura 03) de consórcios amplamente utilizados na Ásia, onde estercos de animais são utilizados para fertilizar os tanques. Isto é facilmente alcançado se os abrigos são localizados sobre o tanque. Pisos devem ser gradeados para que o esterco caia na água.

esterco-de-animais-15cm

 A fertilização do açude é um fator chave no aumento da produção e poderá vir de animais da terra, folhas caídas e outras vegetações. Estercos adicionados aos açudes aumentam o crescimento das plantas, e o zooplâncton se multiplica, o que, na seqüência, aumenta a disponibilidade de alimento. Pássaros aquáticos no açude, peixes herbívoros alimentam-se nas margens e animais terrestres habitando acima da água ou ao longo do canal direcionado ao açude contribuem com esterco valioso para a água. (figura 03). Camarões em particular, utilizam, rapidamente esterco de outras espécies; camarões alimentados com esterco da carpa-capim crescerão tão bem quanto alimentados com esterco de galinha, pois comem algas e/ou diátomos produzidos na superfície do esterco.

Plantas aquáticas flutuantes (confinadas em anéis) e canteiros aquáticos nas bordas ajudam a remover ou a reciclar os nutrientes do açude para plantios de terra, pela utilização dessas plantas como mulch ou composto. Depois de os peixes terem sido pescados , a água, rica em nutrientes do açude, poderá ser utilizada para irrigação por gortejamento em um plantio terrestre, resultando na produção, em dobro, de folhas e frutos.

____________________________________________________________

Na foto abaixo, um pequeno açude construído em meio à mata para criar peixes carnívoros como a traíra, e principalmente para o cultivo do aguapé (espécie de planta aquática). As razões para cultivar o aguapé isolado do açude maior são para facilitar o controle populacional e principalmente para evitar que os patos comam a planta por completo, pois é quase impossível cultivá-los no açude onde vivem os patos, pois eles tendem a destruir qualquer vegetação aquática introduzida no açude e também gostam de comer as folhas das mudas de árvores plantadas em torno dele. Em muitos casos tenho que cercar as mudas até que elas atinjam um porte maior.
____________________________________________________________
 
aguapes1
____________________________________________________________
Os patos são extremamente importantes para manter a “saúde” do açude, pois eles fertilizam a água com suas fezes, o que ajuda no crescimento do fitoplâncton que alimenta o zooplâncton e que por sua vez alimenta muitas espécies de peixes. Eles também comem insetos, lesmas e caracóis de pomares e jardins e quando tomam banho fazem tanta agitação que oxigenam a água.

____________________________________________________________

Em açudes estocados densamente, ou ricos em nutrientes, a água de ser arejada durante os dias quentes, ou os peixes morrerão. Bombas de pás são normalmente utilizadas para o arejamento em açudes comerciais, os quais são cuidadosamente monitoradas durante os períodos críticos. Todavia em açude, de forma que o arejamento mecânico não seja necessário. A altura e a forma das árvores próximas poderão prover sombra em tempo quente. Bordas de chorões poderão economizar o custo do arejamento e prover folhas para minhocários.

A qualidade da água e a remoção dos detritos (fezes de peixes e outras) é melhor alcançada pela inclusão de decompositores, em particular, mariscos de água doce e comedores de algas superficiais (Vivípara sp.), como, também, carpa, bagre e camarões.

O efeito da adubação no viveiro

patos-10cm

1 - Os patos adubam o viveiro continuamente;

2 – O esterco de gado, galinha ou porco, também podem ser lançados no viveiro para aumento da produtividade natural;

3 – As bactérias decompõem a matéria orgânica liberando dióxido de carbono (CO2) e outras substâncias que são aproveitadas principalmente pelas algas;

4 - As algas (fitoplâncton) que sintetizam substâncias orgânicas vivas, principalmente proteínas, a partir de substâncias liberadas na água;

5 - Zooplâncton que se alimentam de bactérias e fitoplâncton;

6 - Carpa Prateada que se alimenta (filtra) de algas do viveiro;

7 - Carpa Cabeça-grande que se alimenta de algas maiores e zooplâncton;

8 – Seres mortos que se sedimentam no fundo;

9 – Pequenos animais e insetos aquáticos que se alimentam destes sedimentos;

10 - Carpa Comum que se alimentam destes seres do fundo.

Alimentando os Peixes

Açudes deveriam ser projetados como sistemas autoforrageiros, para minimizar o trabalho. Alimentos podem ser obtidos, indiretamente, com esterco de patos, plantando vegetação de bordas nas quais os insetos de alimentam; por exemplo, a larva do bicho-da-seda alimenta-se das folhas da amoreira pode se sacudida ocasionalmente para dentro do açude; armadilhas para insetos podem ser colocadas na superfície da água. O plantio de espécies atrativas para cascudos e marimbondos e as coberturas “corrediças”, como Tradescantia, alfafa e confrei, entre outras plantas nutritivas, também ajudam na alimentação de peixes.

Métodos de alimentação direta incluem as culturas de minhocas e insetos (larvas) de alto valor protéico em canteiros especiais, ou armadilhas de insetos no pomar ou na horta, para prover alimento aos peixes. Podemos capturar ou criar gafanhotos, larvas de moscas ou, mesmo, iscas de peixes, girinos ou camarões em tanques menores. Bóias ou anéis de rede no próprio açude podem ser adicionados para uma cultura especial de alimento para peixes – minhocas reproduzem-se tão bem em bóias quanto em terra.

Além da alimentação com insetos, grãos de alto teor de carboidratos (ex.: sorgo, restos de arroz, cascas, etc.) são suplementares para o alimento protéico e produzidos no local, utilizando a água rica em nutrientes do açude.

Estoques

Animais livres de doenças devem ser adicionados aos açudes desde o princípio; então, compre-os, se possível, de uma fonte de boa reputação.

Somente à medida em que os peixes forem crescendo até um peso ideal, são utilizadas, completamente, as fontes de alimento; assim, iscas e camarões de crescimento rápido podem utilizar estes alimentos e armazená-los em seus corpos (em forma de crescimento), para uso posterior pelos predadores.

À medida em que aumentamos o número de peixes por unidade de área, o tamanho para a coleta diminui. Poucos peixes de tamanho grande, ou muitos peixes pequenos, demonstram açudes subestocados ou superestocados, respectivamente, sendo a subestocagem o erro mais comum. O objetivo não é, somente, o de otimizar a produção, como, também, o de ter peixes e plantas de tamanho útil. Peixes e plantas muito amadurecidos consomem e não crescem na eficiência máxima.

Bibliografia:

Introdução à Permacultura – Bill Mollison e Reny Mia Slay
Permacultura UM – Bill Mollison e David Holmgrem
Manual de Pscicultura – Elek Woynarovich

perguntascomentarios

191 thoughts on “Aqüicultura e Alagados

  1. adorei as informações obtidas através de vcs, será de muita utilidade e serventia pra mim,pois atualmente estou lidando com peixes em açude.Desde já fico grata.Rose.

    • Olá Amigos,

      Temos uma chácara no interior Lajeado RS, e lá possuímos 4 açudes.
      Destes 4 açudes, 02 açudes tem a água muito barrenta, em um deles é tão turva que você consegue ver somente uns 10 cm da lâmina.
      Todos eles recebem água de vertente e chuva e de um pequeno córrego.
      Porém mesmo com vários dias sem chuva, eles sempre tem esta colocação barrenta.
      Já estamos com estes açudes a mais de 10 anos, já tentamos algumas coisas pra tentar clarear mas até hoje nada.
      Nós temos os açudes para uso particular mesmo, sem fins comerciais, tratamos eles uma vez por dia com pasto, resto de silagem, esterco de gado ou porco.
      Geralmente os açudes ficam de 3 a 5 anos fechados, porém notamos também que os peixes não se desenvolvem tanto, pois as carpas capim por exemplo, ficam com 1 a 3 kg no máximo.
      Também botamos a metade dos peixes que recomendam para a área do açude já para evitar a agitação do fundo pra ver se iria clarear, porém nada resolve.
      Vocês teriam alguma dica que nós poderíamos tentar para ver se conseguimos clarear mais a água?
      Enquanto aos peixes, existe algo que ajude no crescimento deles?
      Li em alguns sites que o problema da água barrenta pode influenciar no crescimento dos peixes também.
      Nos açudes temos carpas, cabeça grande, prateada, capim, espelho(bem poucas por açude, +ou- 5 por açude somente), catfish, e dourado(também poucos por açude, no máximo 5 por açude, nos açudes menores não colocamos) e lambaris(somente onde tem dourado)
      Obrigado pela atenção

  2. PARABENS E MUITO OBRIGADO PELAS INFORMAÇÕES GOSTARIA DE RECEBER MAIS INFORMAÇÕES A RESPEITO ESTOU INICIANDO UMA CRIAÇÃO DE PATOS E GANSOS TENHO 03 LAGOS NO MEU SITIO EM EMBU-GUAÇU E GOSTARIA DE SABER MUITO MAIS A RESPEITO DE COMO INICIAR UMA CRIAÇÃO,

    • olá amigo…

      o inicio é simples… não se apresse, crie um ecossistema aquático… encha o tanque, utilize adubos ORGANICOS, e espere, lance mao de plantas aquáticas de outros locais, o tempo fará o ambiente se tornar equilibrado naturalmente, mantnha a inserção de adubos!

      após 1 mes ou mais se possivel, coloque os primeiros individuos, e as aves… depois siga o texto acima, muito útil!

  3. PARABENS PELA MATÉRIA, PRETENDO INICIAR NO CULTIVO DE TILAPIAS E CAMARÕES EM TANQUES E ESTOU PESQUISANDO, O CONSORSSIO COM PATOS É OUTRA OPEÇÃO…OBRIGADO

  4. Muito interessante, temos 3 tanques soltamos 1300 Carpa -capim em um deles e algumas tilapeas. Quanto tempo será que a carpa-capim leva para passar de 1 kg ?

    • Olá Irmão,

      quanto a sua pergunta, tudo depende, literalmente…
      se estiver trabalhando com arraçoamento com rações comerciais de niveis de proteína médios entre 15 a 22% e mantiver uma densidade média de não mais do que 2 ou 3 individuos por metro, voce pode esperar pelo menos 6 meses, e isto tende a aumentar caso a sua temperatura abaixe nos periodos de inverno, tendendo para 8 a 9 meses… o mesmo com tilápia, ela pode crescer mais..

      e como tudo depende do seu manejo, se alimentares 2 vezes ao dia, teu tempo diminuirá consideravelmente… porem…

      a grande sacada é o trabalho integrado… outras espécies, aves, material organico externo fomentando a produtividade primária (esterco que na agua produz algas e zooplanctons em cadeia) isto tudo faz a diferença. areas sombreadas, capins cortados e lançados, cada pouco disso promove um melhor bem estar animal, e um crescimento acelerado.

      que a Paz siga nossos caminhos!

      • CARO LUIZ FELIPE PORTO ESTOU QUERENDO FAZER UM TANQUE EM MEU TERRENO, LA TEM UM NASCENTE QUE PASSA NO MEU TERRENO, POREM É MUITO POUCA AGUA E A PARTE DO TERRENO ONDE ELA PASSA É COMPLETAMENTE DE AREIA BRANCA, VC PODE ME AJUDAR NESSA SITUAÇÃO?

  5. As explicações me ajudaram muito,pois estou totalmente sem nosão de nada…Parabens pela simplicidade de seus comentarios…Mas aonde irei montar é em igarepes abrindo caminho nas margens do terreno..Sou do Amazonas-Manaus…E o clima é muito quente.Gostaria de receber dicas de pessoas coerentes nesse tipo de assunto…Abraços

    • Olá irmão,

      então, quando novo morei em Manaus, o terreno tende a se muito arenoso, acredito que tu precise de argila, para impermeabilizar o solo, o processo é simples, faça uma bola da sua terra, lance ao alto e deixe cair em sua mao, veja se ela racha com facilidade (solo muito arenoso) ou se ela apenas deforma sua estrutura ( solo com argila). a argila é o fundamento da impermeabilização.

      não existe muitas variações de alturas nos terrenos no amazonas, porisso tome cuidado para não escavar uma área alagável nas épocas das águas. Canais de irrigação devem ter comportar para não transbordarem com o rio, nem secarem na baixa… veja as médias de alturas, um técnico ou eng pode lhe ajudar, conte com o conhecimento dos ribeirinhos, eles conhecem muito mais que os engenheiros neste assunto.

      nãão impeça o fluxo natural da água, nem de corregos, desvie uma quantidade de água, faça a agua retornar para o rio, seja inteligente e após os tanques faça um pegueno banhado para plantas bambus, junco, etc… eles crescem rápido devido a presença de matéria organica dos peixes…

      NAO CAIAS NA MENTIRA DO CULTIVO INTENSIVO… nada na natureza é rápido e fácil… tudo mantem um equilibrio e leva seu tempo, podemos facilitar o desenvolvimento, porem, prefira cultivos semi-intensivos e extensivos.. leva mais tempo porme vale a pena, tua eficiencia e rentabilidade serão tão boas quanto, teu trabalho será menor, teu custo de manutenção quase nenhum.

      cuide as espécies invasoras, faça telas de contenção, e sistemas de caixas de brita ( os ovos fica nas pedras e a agua passa).

      espero estar clareando a sua visão…
      com dúvidas vamos conversar!

      fique em Paz amigo!

  6. Sou um apaixonado por aquicultura desde minha juventude .
    Sendo agronomo dediquei minha vida ao cultivo de plantas ornamentais e paisagismo em meu sitio em Vargen Grande (Rio de Janeiro),tenho uma propriedade onde moro de 10.000 metros quadrados, com caracteristicas e infraestructura para produçao de plantas ornamentais aquaticas e palustres como assim tambem, peixes ornamentais, complementando o trabalho que ja desenvolvo, dentro de meus trabalhos eu executo cachoeiras com pedras artificiais, e lagos ornamentais. Minha ideia e encontrar uma parceria para o desenvolvimento deste objetivo , si tiveren o poderam indicarme algum interesado so tenho a agradecer

  7. gostaria de saber se o esterco de galinha e o esterco de gado e utilizado para clarear a agua (agua doce)de uma represa/açude (peixes)?
    se for utilizado qual a quantidade e quanto leva p/ clarear?
    se nao for utilizado,o que vc me indicaria para clarear a agua de um açude/represa,pois a agua esta muito suja
    aguardo retorno

    claudia

    • Olá Cláudia,

      a turbidez da água acontece pelo fato de particulas estarem em suspensão… verifique os seguintes itens:

      – muita entrada de água (diminua o fluxo)
      – peixes revirando o fundo (talvez o tanque seja antigo, muita carga org no fundo, secar o tanque, limpar o fundo ou colocar animais que se alimentem deles, crustaceos etc.)
      – água entrando “suja” ( faça um filtro comum de areia,cascalho e brita na entrada OU encontre algas e plantas aquáticas nas redodezas e lance elas no tanque, elas vao se proliferar com os nutrientes da água retirando as particulas em suspensão!)

      acredito que isso pode ajudar, caso seu caso não seja nenhum destes casos… me mande um email

      a Paz

  8. Gostaria de saber qual a especie de peixe come taboas ao redor do açude, caso possam me ajudar fico aguardando uma resposta.
    Grato pela atenção
    Silvio

  9. olá amigo!

    gostaria de um conselho seu,eu moro em Recife-pe,faz 4 anos que estou aqui,antes,eu morava perto de Garanhuns,uma cidadesinha chamada Jucati.
    então,estou aqui estudando,trabalhando em uma oficina de bicicletas e essa vida de cidade grande estar me deixando estressado,moro com meus tios,meus pais moram em jucati,então eu fico pensando em morar novamente no interior,mas ao mesmo tempo fico com medo de plantar e a chuva devastar as lavouras,então eu queria um conselho,se é melhor viver estressado morando aqui e pensando o tempo todo em voltar,ou voltar e plantar,cultivar,criar?
    e a pergunta é,o que eu devo plantar nas áreas que ao chover alagam?
    me falaram que o bom é cavar umas valetas, isso é verdade!?

    • Olá Eduardo tudo bem?
      Bem, suas questões são muitas e talvez não possa esclarecer todas, mas se sua vida na cidade está estressada, isso pode ser um alarme que as coisas não estão bem, e a mudança para uma vida junto a natureza geralmente é a resposta para muitos problemas da vida moderna. Agora, dizer o que plantar ou criar em seu ambiente pernambucano fica um pouco difícil para mim, pois pouco conheço do clima agreste, muitos menos das possíveis culturas e criações para estas condições. Uma pessoa que poderia lhe ajudar bastante é o Ernest Götsch , ele é a pessoa mais conhecida na aplicação de sistemas agroflorestais na Bahia, onde o clima e a vegetação são muito parecidos com a seu. Ele costuma ministrar cursos por todo o pais e tem muita informação dele na internet, inclusive na página Agrofloreta (http://sitiocurupira.wordpress.com/agrofloreta2/) do site do Sítio Curupira.
      Em relação a utilizar “valetas” para plantio em terrenos alagados pode ser uma boa alternativa, se for bem planejada. Na Permacultura nós chamamos esta técnica de chinampas, onde são feitos muitos canais para armazenamento ou escoamento da água da chuva ou riacho, formando vários corredores de água. Nesta água é possível criar peixes de pequeno porte e crescimento rápido, lagostins, camarões, marrecos e muitas plantas aquáticas, tudo irá depender da quantidade de água armazenada e do tempo que ela permanecerá no terreno. E nas partes superiores (onde a água não alcança) dos canais, é possível plantar todo o tipo de cultura adaptada ao seu tipo de solo e clima. Dê uma pesquisada na internet sobre chinampas, como nunca precisei aplicar esta técnica só conheço a teoria e assim mesmo adaptada as minhas condições de clima, solo e vegetação.
      Espero ter ajudado, Gardel Silveira.

  10. Gente do céu, vocês são surpreendentes! De onde vocês tiram tantos conhecimentos? Eu quero fazer uma pergunta: será que poderiamos trabalhar juntos, apesar da distância e de minha idade? Ainda nao tenho a terra, mas, estou cuidando desse assunto. Moro num paraiso de muitas nascentes, muita terra sem nenhum aproveitamento, brasileiros completamente desinformados, plantadores do famigerado capim braquiária. Esperarei sua resposta. Um grande abraço!

    • Olá Sonia Frei, primeiramente gostaria de me desculpar pela demora na resposta. As vezes fico bem afastado da internet e só volto quando o tempo fica chuvoso e não há mais nada pra se fazer na rua. Sou meio bicho do mato mesmo, rsrsrsrs. Ficamos muito felizes por ter recebido seus comentários e já estão postados no site.
      Como já informamos em algum lugar no site, o sitio Curupira tem uma área de intervenção (uso) muito pequena, menos de 1 hectare, o resto dos 9 hectares é para observação, aprendizado e preservação. Assim já respondi uma de suas questões “De onde vocês tiram tantos conhecimentos?”. Na permacultura aprendemos algumas técnicas descritas em livros, mas todas criadas pela constante observação da natureza. Na realidade não há novidades no que fazemos, mas sim, um resgate de conhecimentos de povos e culturas antigas que viviam em harmonia com a natureza.
      No seu comentário você faz menção ao capim baquearia, se estiver interessada no assunto já respondi algumas questões sobre esta “doença” que o homem criou e disseminou pelos nossos campos, veja nos comentários da página: http://sitiocurupira.wordpress.com/hortasecanteiros/
      A troca de produtos, conhecimentos e experiências é nossa forma de parceria aqui no Curupira. Tudo que puder ser esclarecido via site ou e-mail, e claro, se soubermos responder, pode contar com a gente. O que não pudermos pesquisamos ou deixamos a questão postada no site para que alguém responda. Só não respondemos questões que podem ser esclarecidas numa simples pesquisa no google, neste caso a dúvida não está na Permacultura, mais sim no uso da ferramenta de pesquisa.
      Um grande abraço, Gardel Silveira.

  11. Olá, muito obrigado por compartilhar conosco sua experiência.
    Moro no litoral de SP na altura do nivel do mar e infelizmente o terreno é aterrado e a terra muito compactada, no terreno ficou uma arvore que morta, uso como orquidáreo. Nesse “buraco” de 2m de diametro por aproximadamente 1m de profundidade. Gostaria de fazer um tanque, por algumas pedras e tenho certeza que as rãs aparecerão pois são muitas !
    Penso em impermeabiliza-lo com estrutura de tela de pinteiro e argamassa de cimento, um dreno para a mata atlantica (alagadiça) e que receba agua do sistema de casa, agua da serra tratada. O que acha ? Pode me dar uma dica de como fazer para não gastar esses materiais e fazer alguma borda ? Como devo fazer o dreno, talvez uma vala com pedras ?
    Muito obrigado !!

    • Olá Cláudio tudo bem?
      O que não ficou muito claro na sua questão é qual o tipo de água que você gostaria de tratar, pois você comenta ser “água do sistema da casa, água da serra”. Na Permacultura não misturamos as águas cinzas (pia, chuveiro, máquina de lavar e tanque) com as águas negras (vaso sanitário), pois as formas de tratamento são muito diferentes. Para maiores informações sobre tratamento de esgotos acesse este link Cartilha do Curso Zona 1 (IPAB – set/2003) (8.1 MB) ou acesse o site da Rede Permear na página da Infoteca e baixe outros manuais.
      Espero ter ajudado, Gardel Silveira.

  12. Me desculpe, quando eu quis dizer sistema da casa seria sistema da rua. Que é tratada de um rio que desce da serra do mar e desagua no mar.

    Somos muito carentes de esgoto tambem, não é tratado pela prefeitura. Tenho um banheiro seco improvisado mas ainda não consegui montar nada para apresentar para a comunidade e para a ONG e a associação de amigos.

    Essa agua sairia de perto da casa e percorreria uns 10 metros, até chegar no “buraco” de 2m de diametro e seria drenado para um terreno alagadiço permanente, quase um mangue da reserva da mata atlantica que faz divisa com o terreno.

    Ele é importante para mim pois forneceria creio que as aquaticas forneceriam bastante nitrogenio para o terreno que foi recentemente aterrado (infelizmente) com areia e terra de subsolo. Nesse caminho gostaria de plantar tb algumas plantas que pudessem aproveitar tb essa agua, o que recomenda ? Fica bem na entrada de um terreno de 25×45 então é uma area de passagem.

    Muito obrigado, Gardel ! Muita fartura amigo

  13. Boa tarde amigos do sitio,
    Tenho uma pequena propriedade (terra), de 6 hectares e pretendo construir 06 açudes para cria de tambaquis e tilápia e as informações postadas acima foram de suma importância para mim, gostaria de mais uma informação suas quanto tempo após a construção destes tomando estes cuidados acimas mensiondos eu poderei colocar os tambaquis e tilápias para engorda.

    • Olá Nascimento, tudo bem?
      Se você tomou todas as precauções citadas na página, aguarde pelo menos uns 60 dias até o calcário fazer efeito e o plâncton e fitoplâncton já tenham se desenvolvido. Daí então verifique o pH da água que deverá estar entre 7 e 8 que é o ideal. Se a água for muito ácida, os nutrientes do solo serão ligados e não poderão ser liberados para dentro dela. Como já escrevi no site, não somos profissionais ou técnicos no assunto, apelas criamos algumas espécies de peixes para consumo próprio e sem a pretensão de produtividade ou comercialização. Se você pretende comercializar seus peixes, sugiro que consulte um agrônomo que tenha conhecimento em piscicultura, pois para ter lucratividade neste ramo um acompanhamento técnico é imprescindível.

  14. Boa tarde amigo,

    Muito interesante o artigo, mais gostaria de lhe informar que é proibido o deposito direto de dejetos de SUIINOS em lagos, represas e rios pois alguns microorganismo prejudiciais ao Homem podem ser passados aos peixes o que pode acarretar uma contaminação com o consumo de peixe e/ou ingestão desta agua !

    não estou querendo criticar só estou querendo ajudar !!!

    Parabens pelo site !!!

    tenha uma ótima semana !!!

    • Olá Francisco, tudo bem?
      Primeiramente gostaria de agradecer pelo comentário que enviou, pois quando surge uma nova questão surge também a oportunidade para aprender mais e descobrir novos caminhos. Aproveito para lembrar que todas as informações descritas nesta página não são de minha autoria e foram retiradas das bibliografias citadas ao final de cada texto.
      Concordo e estou ciente das normas ambientais relacionadas ao depósito de dejetos suínos diretamente em rios ou lagos naturais, bem como da necessidade de seu prévio tratamento para diminuir os microrganismos patogênicos pelo uso de biodigestores ou outras técnicas.
      Gostaria de esclarecer que o exemplo demonstrado através da ilustração de fertilização direta em tanques e açudes artificiais, e não lagos, represas ou rios naturais, através de porcos e galinhas, é um exemplo que ocorre com muita freqüência na Ásia e não no Brasil. Também é importante frisar que o sistema serve apenas para pequenas criações não-comerciais, onde a quantidade de animais é muito reduzida. Em nenhum momento esta técnica foi julgada como certa ou errada, mas sim serviu para ilustrar e entender a praticidade deste processo em outras culturas. Também é importante que fique claro que a água destes tanques fertilizados com esterco animal para criação de peixes não deve ser consumida por humanos e nem utilizada para banho, mas que, dependendo de sua análise biológica e físico-química, pode ser perfeita para irrigar plantações. Os peixes criados nestas condições não são comercializáveis e devem ser bem assados, fritos ou cozidos antes do consumo da família, assim como deve ser a carne de qualquer outro animal, pois os parasitas que podem ser transmitidos pela carne dos animais normalmente só infectam o homem pela ingestão de carne crua ou mal passada.
      Para enriquecer mais o assunto da página Aqüicultura e Alagados e também porque meu conhecimento nessa área é bem limitado, gostaria de sugerir a postagem de informações pelos interessados e conhecedores da área (citando as fontes) especificando quais os microorganismos prejudiciais ao homem que podem ser transmitidos desse modo (além dos que podem ser eliminados pelo simples cozimento da carne). Seria muito importante conhecer quais são estes microorganismos, qual é seu ciclo de vida e como são transmitidos, para tentar neutralizar – através de compostagem, biodigestores ou outras técnicas – o risco de contaminação.
      Att. Gardel Silveira

  15. estou iniciando a criação de peixes em viveiros. gostaria de receber maiores informaçoes desse trabalho que terei que aprender.
    tenho aqui tilápia, traíra, lambari e piau 3 pintas “por enquanto”.
    TODOS ÉSPÉCIES SEPARADAS.
    Se puderem me enviar fotos da formação dos viveiros, medidas, inclinação.
    vcs estão de parabens!
    desde já fico grato!

    • Olá Artur, tudo bem?
      Como você já deve ter percebido nos texto e comentários da página do Sitio Curupira, não desenvolvemos nenhuma atividade comercial, apenas para subsistência alimentar. E também não abordamos o assunto apenas como uma atividade para criação de peixes (piscicultura), mas sim uma ampla possibilidade para desenvolver alimentos (peixes, crustáceos, plantas aquáticas, patos…), em torno de um açude. Por esta razão abordamos o tema como Aqüicultura.
      Aqui no Curupira aproveitamos um declive do terreno que servia de convergência de vários desaguadouros de água da chuva. Usamos uma área que já tinha uma tendência a receber água e ficar alagada. Nosso trabalho foi apenas construir um dique com um ladrão para escoar o excedente de água. As propostas de formatos, profundidade de açudes e espécies de peixes citadas no texto são apenas sugestões pesquisadas em bibliografias citadas no texto, para ilustrar as possibilidades para quem tem interesse em iniciar uma criação um pouco mais intensiva. Se pretendes criar peixes para venda, sugiro que visite criadouros comercias ou consulte um agrônomo com especialização em piscicultura, pois existe uma série de normas e regras para esta atividade tornar-se lucrativa.
      Espero ter ajudado.
      Gardel

  16. Meu pai construiu um pequeno açude numa propriedade no interior do Ceará mas não consegue fazer com que segure a água. Acredita-se que haja escoamento pelas paredes laterais. Foi sugerido para nós o uso de plástico para revestimento e segurar com pedras, faz sentido? Receio pela diferença de profundidade na extensão do açude e pelas canaletas de escoamento da água, que desce pelo açude. Que alternativas poderíamoas ter menos dispendiosas, considerando o grande investimento já feito em cimento, concreto, etc. Espero contar com sua ajuda, sei que açude é importante para ele, mas não sei o que fazer. Aguardo um retorno. Obrigada.

    • Olá Ana.
      Existem lonas plásticas apropriadas para açude, principalmente quando ele não é feito de concreto e os cantos não são retos, e sim em curvas para facilitar a aderência a terra ao plástico. O resultado geralmente é bem positivo, pois além de ser prático, o custo é bem mais em conta. Meu vizinho também quis fazer um açude de pedra e cimento, tipo “piscinão”, mas acabou rachando exatamente no encontro da parede com o piso, devido à retração do cimento junto à pedra. Isto acontece quando fazemos um ângulo reto na junção da parede com o piso e não usamos tela (plástica ou metal) para que o cimento não trabalhe e consequentemente acabe rachando. Não tenho certeza se a lona vai ajudar, principalmente se o açude foi construído de concreto. O açude construído aqui no Curupira não precisou de lona e nem cimento, pois o solo é extremamente argiloso e a água demora muito para infiltrar no solo. Apenas fizemos um dique com a própria terra do terreno. Sugiro que consulte um engenheiro ou pedreiro experiente para ver se não seria melhor fazer uma nova camada de cimento com tela de galinheiro somente no fundo do açude ou nos cantos onde a água infiltra nas rachaduras.
      Espero ter ajudado, Gardel

  17. Tenho dois açudes em minha chacara onde crio algumas especies de peixes; sendo que nos periodos de pouca chuva a agua fica totalmente preta ou então com uma nata por cima, parecendo um oleo. Gostaria de saber o motivo disso estar acontecendo e o que posso fazer para evitar esse tipo de coisa. Atenciosamente

  18. Oi tenho uma chacara e quero fazer um lago de aproximadamente 10 metros comprimento x 6 metros de largura com 2 metros de profundidade, porem não tenho mina no local quero fazer com água do poço que temos , como devo preparar o solo para que com o tempo o mesmo segure a água e a mesma n]ao seja absolvida pelo solo ?

    Att, Junior

    • Grande Junior, estou com o mesmo problema, porém eu ja efetuei a construção e não consigo de forma nenhuma manter a agua no tanque… ele nem chegou a encher pra vc ter uma ideia. O problema é realmente esse: a infiltração ocorre pelo solo não ser muito argiloso e estou a procura de um material para impermebialização, com custo viavel, pois achei algumas empresas que oferecem geomembramas, porém com um orçamento de R$ 25.000,00 o que deixa totalmente inviavel a finalização… qualquer novidade entre em contato: paulo@procomputer.com.br .

  19. o método mais simples de impermeabilização de fundo de tanque consiste em trazer um solo argiloso para compor o fundo e as laterais do tanque…
    solo de fundo de rio.. Porém.. este método deve ser efetuado com cuidado quanto a fonte de recurso.. para que não desestabilize o ambiente (rio) no qual está sendo extraido…

    mas é simples.. o que necessita acntecer é forrar o tanq

    • Mas será que é o mais economicamente viavel? O tanque possui uma area de 1000 m² entre fundo e laterais… quantos caminhões de terra argilosa seria necessario? O transporte e retirada dessa terra, de um local (fundo de rio) ate esse tanque, quanto custaria?

      Ja a impermebialização por geomembranas, através de empresas especializadas, custam por volta de R$ 20.000,00 nesse tamanho, o que seria um grande investimento em se pensar num tanque pra lazer… fora o dinheiro ja gasto com maquinario pra escavação e o que se irá gastar com o povoamento do lago…

      Além disso, tem o sistema de bombeamento e o consumo de energia da bomba do poço, ate seu enchimento e seu consumo para manutenção do nivel de agua… ou seja, to mais pobre só de pensar nos gastos….rs. Então procurava uma alternativa mais em conta, tal como a utilização de plasticos de estufa na lateral do tanque, sei lá. Algo mais caseiro….

  20. Tenho uma dúvida. Tenho um açude ( relativamente grande, tem 1,2 hectare) ele na seca abaixa muitoo o nivel da agua. E ao lado do aterro da açude é tipo um brejo, na seca toda, sempre fica um poço de agua, e essa agua escorre a seca toda ( um volume muito pequeno mas escorre).
    Acho eu que essa agua é da represa que esta infiltrando.
    HÁ possibilidade desse brejo tar puxando ( infiltrando) a agua do açude?
    se alguem souber por favor me envie por email a resposta quero muito saber.

    • Olá Guilherme.
      Fica difícil avaliar qualquer situação sem estar no lugar, sem analisar o tipo de solo, geografia do local, região do país e assim por diante, pois as variáveis para infiltração da água do açude são muitas. Por exemplo, se você tiver um solo arenoso a tendência da água é sempre infiltrar, neste caso você precisaria de uma fonte de entrada de água maior que a vazão, ou então deverá colocar lona plástica ou outro material no fundo para evitar a infiltração. Um problema muito comum é na hora da construção do açude, principalmente na parte do dique ou “aterro” como você mencionou. Antes de colocar o aterro, que deve ser argiloso para construção do dique, a máquina deverá cavar (raspando) o solo, retirando do local arbustos e gramíneas, bem como boa parte do húmus (terra com material orgânico). O ideal é cavar até chegar na argila, e só depois colocar o aterro argiloso no local. Assim fica argila sobre argila. Isso deve ser feito em camadas, e antes da colocação da camada subseqüente a máquina deve socar muito bem o solo com as rodas. Assim diminui a possibilidade de infiltração. Aconselha-se este procedimento, pois se colocarmos o aterro diretamente no solo com gramíneas e outros galhos na base, com o tempo, após a deterioração das mesmas, este material orgânico deixara canais vazios (pequenos túneis) que serão usados para infiltração da água do açude. Gostaria de deixar claro que o açude sempre estará perdendo água, seja por evaporação ou por infiltração no fundo bem como nas laterais. Isto é normal, o que você pode fazer é amenizar a perda de água prolongando a vida útil do açude tomando estes cuidados.
      Outra dica importante é nunca plantar nada sobre o aterro ou dique, pois as raízes procuram à água na época de seca, e com isso constroem canais de infiltração. Sobre o dique aconselha-se plantar apenas gramíneas rasteiras. Na parte oposta do dique/aterro sugiro que plante bambu entouceirante, pois, além de fazer uma ótima sombra, as “amarrações” de seus rizomas construirão uma barreira indestrutível, evitando vazões causadas por enchentes na época das chuvas.
      Outra variável que afeta diretamente a perda de água é a localização geográfica de seu açude, pois em regiões como centro-oeste e mesmo no norte do país, a época de seca é muito longa e a alta temperatura intensifica a perda da água por evaporação. Neste caso sugiro a visita de um técnico especialista em construção de açudes de sua região, pois a minha experiência com açude está relacionada a minha região, Santo Amaro da Imperatriz, litoral de SC, onde temos as 4 estações muito bem definidas e excesso de chuva o ano inteiro, além de solo bem argiloso e com isso, até agora, nunca tivemos problemas pela falta de água no açude.
      Espero ter ajudado, Gardel Silveira.

  21. Amigos tenho um açude e gostaria de criar frangos e coelhos em cima de açude.será q é permitido?se a fiscalização for lá em casa não serei multado?
    os orgãos competentes autorizão?pois pelo q sei,com suinos não é mais permitido.

  22. Bom dia,
    Estou precisando de ajuda técnica, tenho um sitio, aqui na minha cidade, na localidade do Rio do terra – RS, não temos problemas com chuva pois as chuvas são constantes, Bom, fiz um açude onde já havia uma nascente com um açude natural, ou seja alarguei e aprofundei, esse açude. era mais ou menos uns 5m por 8m com 0,5m de profudidade e deichei com 15m por 15m e 1,5m de profundidade com uma ilha no meio, ficou muito bonito, mais para minha surpresa ele não esta parando agua. logo apos eu ter feito esse açude, deu uma semana de chuva e encheu, ficou lindo, mais 15 dias depois estava seco. agora esta assim quando chove ele enche, e logo fica completamente vazio … de andar por dentro sem molhar os pés, não exite rachaduras nas paredes, pois é um açude cavado no chao, como já disse foi só aumentado, deve ter alguma infiltração muito grande… coisa que não tinha no açude antigo, estou tentando achar uma solução para isso. por favo se puder me ajudar fico muito grato.
    Informações – o solo é um barro vermelho.

  23. Tenho um açude e infelizmente a entrada da água secou e com isto o açude está secando.
    Hoje a profundidade não passa de 70 cms.
    Cada dia que passa a agua diminui
    Antes tinhamos uma entrada de água, mas por obra da prefeitura da cidade essa entrada dágua foi extinguida.
    Queremos manter o açude mas não sei como fazer.
    Nesse açude nós temos espécies de Carpas, tilápias e carás
    Me ajudem por fovor.

  24. Boa tarde!
    Gostaria dar os parabens pela materia!
    Tenho um açude de 20X20m, acabei de esgotar e gostaria de mais algumas informações.
    – Após colocar o calcario, quanto tempo depois posso colocar esterco?
    Vou utilizar de ovelha, é recomendavel?
    – Quero colocar tilapias e bagres. Quantos peixes posso colocar? 2-3 por metro de espelho dagua?
    Desde ja agradeço a atenção, e novamente parabens pelo site.

    • Olá Anderson.
      Sugiro que leia a resposta dos comentários 14 e 16 no final desta mesma página. Os outros comentários também abordam assuntos relevantes que não aparecem no corpo da página.
      Gardel

  25. gostei muito da sua materia pois gostaria de saber se poderias me ajudar estou criando peixe numa acude e apareceu umas algas deve ser vermelhas nao sei o que fazer obrigado pela ajuda

    • Ola Geraldo.
      Fica difícil dar um diagnóstico sem estar no lugar da ocorrência deste fenômeno. Geralmente o crescimento de algas se deve ao aumento de seu alimento, que geralmente está ligado ao excesso de nitrogênio. E o excesso de nitrogênio pode ter como fonte desde chorume de esterco animal, adubos químicos que são levados pela chuva ou infiltração, pelo solo, da fossa/sumidouro pelas águas negras da propriedade. Mas são apenas hipóteses, sugiro que consulte um engenheiro agrônomo para dar uma olhada na propriedade.

  26. muito interessante esse tema..
    queria por favor q colocasse com mais definicoes a criacao de peixes com o consorcio:> Em fim me de as definicoes de consorcio.
    valeu!! por favor serei muito grato.

    • Olá Eldo.
      Como já foi comentado no texto desta página: “as informações descritas darão apenas algumas idéias para o produtor em pequena escala ou para a produção caseira.” Cabe ao criador com fins comerciais consultar um técnico especializado em piscicultura para avaliar as possibilidades de consórcios de acordo com o clima, solo, tipo de água, aves (pato, marreco, galinhas…), vegetação (aguapé, alface d’água, kangkong…), e assim por diante. Os consórcios exemplificados nesta página são apenas alguns exemplos que ilustram as inúmeras possibilidades de produção de alimento num mesmo local/ambiente. É importante ressaltar também que deverá haver um conhecimento prévio das espécies consorciadas, pois espécies predadoras como a traíra e o dourado, podem em poucos meses, acabar com as outras espécies do criatório. Uma dica para criar várias espécies de peixes num mesmo local é selecionar espécies herbívoras (carpa capim), onívoras (tilápias) ou carnívoras pouco vorazes (jundiás). Neste caso a carpa capim se alimentará de toda e quaisquer gramíneas ou algas (que tiram o oxigênio da água) e que possa crescer desordenadamente. As tilápias se multiplicarão rapidamente, alimentando-se de pequenos peixes, insetos aquáticos, larvas, frutas (adoram goiabas), ração comercial, etc. E com crescimento populacional das tilápias é o momento perfeito para introduzir o jundiá, pois ele engordará comento o excedente desta espécie.
      Gostaria de ressaltar que não sou um especialista nesta área, mas sim um entusiasta que aprendeu alguma coisa em livros, revistas e muita observação.
      Espero ter ajudado.

  27. amigo tenho muita agua aki em casa(5 vertentes fortes) e um açude de 3mil metros quadrados,gostaria de produzir só carpas será possivel e se for como fica o lodo,ja q a carpa capim produz muito esterco.

    • É possível sim criar varias espécies de carpas juntas, pois elas se complementam e vivem praticamente em simbiose ou pelo menos não costumam concorrer ou brigar entre si. Todo o esterco animal (patos, galinha, gado e até mesmo de outros peixes) são muito importante para fertilização do açude. Leia os tópicos “Qualidade da água e fertilização do açude” e “O efeito da adubação no viveiro” desta mesma página.
      Att. Gardel

  28. Parabens pela materia, muito educativa! Estava pesquisando por algum tempo informacoes sobre como proteger margens dos lagos quando deparei com a materia. Gostariamos de fazer uma pergunta. Nosso açude tem aproximadamente 12.000m2. Em 20% da margem foi construida uma parede de concreto para protecao contra erosao. Na parte restante s/ protecao temos enfrentado um problema de erosao.Temos alguns gansos (34) e nos disseram que eles seriam responsaveis pela erosao. Isso e’ verdade? A margem e’ toda gramada, algumas arvores ao longo mas elas ja estao com as raizes expostas algumas em perigo de cair ja que o solo esta se soltando. Entretanto as margens estao bem compactadas e nao entendemos o por que da erosao. Seriam os peixes, por exemplo, traira? O lago tem uma diversidade de peixes. A alimentacao deles feita com as folhas das arvores e com ajuda do esterco provido pelos gansos. Li neste artigo que a estabilização dos bancos pode ser feita c/ troncos, pneus, bambu, capim pampas ou outras espécies de raízes superficiais. Teria por gentileza mais detalhes como poderia ser feita essa protecao das margens? Por exemplo, como seriam colocados os troncos de madeira e que tipo de madeira. Ou o que nos sugiria tendo em vista o tamanho do acude? Ficariamos imensamente gratos pela informacao. Como moramos em uma pequena cidade do interior do RJ nao temos um orgao publico que nos auxilie. Parabens pelo belo trabalho! Elaine

    • Olá Eliane, desculpe a demora na resposta.
      Em relação aos gansos, acho muito difícil eles serem os causadores da erosão, pois esta espécie de ave é muito terrestre e gosta mais de pastar gramíneas sobre terra firme. No entanto, no meu entender, o que define uma praga é alta quantidade de uma mesma espécie num mesmo lugar, mas só estando presente para dar uma opinião mais definitiva.
      Em relação à erosão na beira do açude, acho que não tem nada ver com as traíras, mas sim com espécies que gostam de gramíneas (carpa capim e tilápia). Estas espécies costumam fazer verdadeiras galerias nas margens dos açudes para pegar as gramíneas pelas raízes. É comum encontrar traíras dentro destes túneis dormindo durante o dia ou cuidando de seus filhotes. Daí a relação traíra e buraco…
      É muito comum patos e marrecos cavarem com o bico nestas mesmas margens a procura de tubérculos, anfíbios, crustáceos ou insetos semi-aquáticos. Estas espécies podem fazer um grande estrago no açude, quando em grande número.
      Em criações mais comerciais, que não é o meu caso, os criadores procuram colocar estruturas de pedra ou concreto para proteger as margens da cavação destes peixes. Telas de metal (resistentes à ferrugem) também são eficazes. Pneus (preenchidos com terra socada) colocados na horizontal lado a lado a margem também pode ajudar bastante. Já observei em alguns criatórios comerciais, piso de ardósia colocados lado a lado, circundando a margem do açude para evitar o contato dos peixes com a margem. No texto que aparece na página do sítio, tirada de livros de permacultura é citado bambus ou pampas para ajudar na contenção, mas isso é para pequenos açudes sem a presença de patos ou marrecos, pois eles comem toda a vegetação aquática do lugar.
      Espero ter ajudado, Gardel.

  29. OLÁ, QUERO CRIAR CAMARÃO NO MEU TERRENO, PORÉM NÃO SEI COMO COMEÇAR. LÁ NÃO TEM IGARAPÉ, SÓ UM MINI LAGO. SE EU CAVAR MAIS SERA QUE POSSO CRIAR CAMARÃO? ESPERO SUA RESPOSTA. OBRIGADA

    • Olá Nilda.
      Não tenho informações sobre criação exclusiva de camarões. Tente fazer contato com algum técnico em piscicultura de sua região.

    • Olá Marcio.
      A quantidade de peixes no açude varia muito de acordo com a oxigenação da água, disponibilidade de alimento e tamanho do açude, profundidade, etc. (se quiser uma resposta precisa procure um técnico em psicultura). Como minha criação não é comercial, não faço nenhum tipo de cálculo para definir a quantidade de peixe, apenas coloco várias espécies juntas e deixo que a seleção natural faça o resto (o maior come o menor), assim não preciso me preocupar muito com alimentação a base de ração.

  30. Fico muito agradecido pela informação de seu site, bom moro em Boa Vista Roraima, tenho uma fazenda com 2 açudes parados, fiz limpeza dos açudes 20 x 50 cada um, mais não tenho idéia de quantos peixes posso colocar neles, fico grato desde já.

    • Olá Danilo.
      Não costumo sugerir número de peixes por m² nos criatórios, pois as variáveis são muitas. A disponibilidade de oxigênio e pH da água, profundidade do açude, espécies consorciadas, disponibilidade de alimentação natural (plâncton, fitoplâncton, insetos aquáticos e semi-aquáticos …), fertilização do açude (esterco ou composto orgânico), alimentação artificial com ração para peixes… podem influenciar diretamente no crescimento e produtividade do criatório. Gostaria de deixar claro que não sou um especialista em piscicultura, minha criação não é comercial e não utilizo nenhuma regra acadêmica de densidade de peixes por m². Aqui no Sítio Curupira, tentamos, na medida do possível, imitar ambientes naturais como lago, lagoas ou rios, onde controle da densidade é feito por espécies de peixes carnívoros. Assim a alta densidade de tilápias, por exemplo, é controlada pelos jundias e traíras, que além de controlar o crescimento populacional desta espécie, são alimentados de maneira natural sem precisar comprar ração.
      Partindo do princípio que todos os quesitos para uma boa produção foram atingidos posso sugerir uma tabela descrita no livro “Manual de piscicultura de Elek Woynarovich. Este manual foi publicado em 1985 e provavelmente suas informações precisam de atualizações. No entanto, boa parte dos princípios continuam os mesmos. Para atingir uma boa produção e competitividade de mercado sugiro que consulte um engenheiro de pesca, agrônomo, zootecnista, especializado em piscicultura ou visite um criatório idôneo. Segue abaixo uma relação entre a densidade de povoamento nos viveiros e crescimento dos peixes sugerida por este manual.
      • 1 peixe em 20 a 50 m²: crescimento rápido (1kg em 80 a 120 dias), produtividade baixa – má exploração dos recursos – grande desperdício.
      • 1 peixe em 3 a 10 m²: crescimento regular (1kg em 150 a 250 dias), produtividade máxima – boa exploração dos recursos e pouco desperdício.
      • 1 peixe em 1 a 0,5 m²: crescimento muito baixo – produtividade muito baixa – máxima exploração dos recursos, nenhum desperdício (os alimentos, entretanto, são usados apenas para sobrevivência dos peixes).

  31. prezados srs gostei muito d seu site e como estou abrindo um lago com 3.000m2 de espelho de agua e gostaria de saber qual a profundidade correta para fazer o lago pois ainda da tempo
    grato

    roberto

    • Ola Roberto.
      A profundidade deve variar muito por conta do tipo de terreno, solo, clima, estrutura de contenção, espécies consorciadas… Como não disponho destes detalhes, nem tenho experiências de construções de outros lugares além do Sítio Curupira, sugiro que consulte um agrônomo técnico especializado neste tipo de estrutura. No entanto fica a sugestão do Manual de Piscicultura de Elek Woynarovich, que sugere uma profundidade de 2m a 2,5m.

  32. oi amigo, lendo seu site, não pude deixar de notar que nas fotos dos peixes, vc segura um jundiá/bagre grande e ao fundo, a água do açúde está esverdeada. Porém, noutra foto pquena a direita, vc segura um jundiá/bagre menor e ao fundo a água do açúde está “barrenta”, turva, tordada, enfim, a água está suja. Muitos criadores de alevinos de peixes falam que o aliemnto não pode sobrar em cima da água, pois apodrecendo, eles consomeriam o oxigenio da água, tornando dificil a vida dos peixes. Tenho um açúde mais ou memos 15 m x 30 m com média de 1,2 m fundura, neste açúde soltei 500 carpas húngaras, 100 carpa capim e 100 carpa cabeçuda.

    Minhas duvidas são: Continuo alimentando esses peixes com farinha de visceras (54%)?

    A água está sempre suja, é por causa das carpa hungara?

    Se eu adicionar02 vezes por semana 02 copos de uréia o açúde vai ficar com água esverdeada?

    Devo dar folhas de repolho e outras verduras para as carpas?

    Os psicultures que conheço, dizem que a melhor água é a esverdeada, o q vc me diz?
    já que minha idéia é criar somente carpas no açude.

    Desde já obrigado pelo espaço cedido e perdoe minha ignorância.

    • Olá Josenir.
      Na foto grande aparece uma espécie de bagre exótico chamado catfish, e na menor a direita, é outra espécie de bagre chamada aqui no sul de jundiá. As cores do açude que se alteram nas fotos podem ser por várias razões. Ângulo do sol, reflexo das árvores (no caso da tonalidade verde), reflexo do céu (tonalidade azul ou água mais clara), ou ainda simplesmente um ajuste/calibragem de cores que costumo fazer nas imagens no photoshop antes de publicar na web ou imprimir. O excesso de chuva pode alterar a coloração da água deixando ela mais marrom. Neste caso, se o terreno em torno do açude for bem gramado e com muitas plantas/árvores é uma questão de tempo para o barro decantar e a coloração voltar ao normal.
      Em relação à alimentação não costumo dar ração industrial/artificial como uréia e outras misturas “bombásticas” para os meus peixes, e nem mesmo recomendo, pois no final das contas irei comer esta mesma “ração” indiretamente. A carpa capim pode ser alimentada, como já diz o próprio nome, de capim e todo o tipo de verdura ou restos da horta. As tilápias apreciam também as folhosas palatáveis. Como minha criação não é comercial, tento apenas criar um ambiente o mais próximo do natural para eles viverem. É por esta razão que crio varias espécies inclusive carnívoras como traíra e jundiá para equilibrar o crescimento populacional das especies herbívoras.
      A água verde escuro, geralmente é por causa do excesso de nitrogênio na água. E este nitrogênio é o principal alimento das algas, zooplâncton e plantas aquáticas. O crescimento descontrolado destas algas/plantas aquáticas podem diminuir muito o oxigênio da água, pois elas retiram o oxigênio deste ambiente para viver. O acumulo de nitrogênio pode ter várias fontes, que vai desde excesso de fontes como estercos, compostos, uréias, excesso de alimento/ração etc, ou até mesmo infiltração via solo de chorume de fossas/sumidouros. Não esqueça que tanto o nitrogênio como as algas são essenciais para um açude saudável. Fique ligado nos excessos, use o bom senso e se for o caso consulte um zootecnista ou piscicultor experiente.

  33. Olá!
    Me chamo Kássio e fasso parte de um grupo agroecologico chamado Iara da Universidade federal rural da amazonia , portanto trabalho com minhocas e a reprodução das mesmas para a alimentação de peixes por exemplo.
    Devido ao interesse pelo mundo das minhocas fiquei intrigado com a multiplicação de minhocas em bóias. Gostaria de conhece esse tipo de procedimento.

    • Olá Kássio.
      Boa parte das informações descritas foram pesquisadas em livros citados no final do texto, não quer dizer que conheço ou experimentei todas as técnicas. No entanto as citações servem para ilustrar ou servir de partida para uma pesquisa mais minuciosa em outras fontes. No caso da criação de minhocas em bóias, provavelmente sobre o açude ou criatório de peixes, deve servir para diminuir o caminho do alimento até os peixes. Outra razão pode ser para proteger as minhocas de predadores como formigas ou galinhas. Em áreas alagadas como mangues onde há influência das marés esta poderia ser uma boa solução, pois minhocas não gostam de excesso de água.

  34. Pingback: Inauguração do 1o. Tanque de Águas Vivas do Brasil – Ubatuba | Pousada em Itamambuca

  35. Parabéns pelo artigo escrito acima!
    Sou aluno de um curso de Técnico em Aquicultura, e pesquiso pela internet alimentação alternativa e rações caseira, desenvolvi uma ração caseira orgânica através de farinha de mandioca. Gostaria de saber quais alimentos são fornecidos aos seus peixe e se você alimenta seus peixes com alguma alimentação caseira, desde já obrigado. Pastorello

  36. Construí um tanque sobre o solo com 1,5 metros de altura 3 de largura e 4 de comprimento para estocar água de chuva em minha casa (moro em bairro residencial em Contagem – MG). Agora, estou pensando em criar tilápias para consumo próprio nesse tanque e para isso penso em construir um afunilamento em V no fundo do tanque com o vértice no centro aproveitando 0,5 metros da altura. No(s) vértice(s) [ponto mais fundo do afunilamento] colocaria uma saída para troca de agua, retirada de fezes e outros resíduos indesejáveis que se depositassem no fundo. O volume de agua seria de aproximadamente 15000 litros com pouca ou nenhuma reposição de água além da perdida por evaporação, haja vista que meu lote é o em lugar alto e não tenho fonte natural de água. É viável? A água da chuva poderia ser usada se devidamente corrigida a acidez? Quantas tilápias eu poderia criar nesse tanque sem o uso de uma bomba d’água? E com a bomba(qual dimensionamento/vasão)? A implementação de um filtro biológico com zona de raízes aumentaria o limite de população? Agradeço a atenção e parabenizo vocês pela iniciativa de disponibilizar esse canal de esclarecimento.

    • Olá Claudio. Suas dúvidas são muito técnicas e não possuo informações para respondê-las. Sugiro que consulto um técnico em piscicultura ou engenheiro agrônomo.

  37. Gardel, boa tarde.
    Estou impressionado com a qualidade do seu site e com o visível empenho e dedicação que vc tem com ele.
    Bom, estou com algumas dúvias, talvez vc possa me ajudar.
    Comprei recentemente uma area de beira de rio, com 70 m de fundo pro rio e 230 metros de comprimento.
    a area tem algumas arvores nativas (estou no sudeste do pará) como sucupira, ipês e arroeira.
    Logicamente não penso em tirar nenhuma das árvores, mas ueria fazer um sitio sustentavel (em todos os pontos de vista).
    bom, minha duvida é como posso fazer nessa peuena propriedade alguma coisa suistentave,. Já ouvi falar de criação de galinha e porco, com dejetos voltados para um laguinho de peixes e fiuei mais feliz de ver referência aui em um site tmb se preocupa com a natureza.
    Enfim, ueria ter o máximo de plantas (pretendo plantar muitas frutíferas) e o máxim de animais em harmonia (umas 2 vacas, uns porcos, mta galinha,1 cavalo, 1 casal de carneiros e outros animais.
    Bom, acho ue a msg vai ficar confusa, mas se der p me dar umas ideias, me ajuda.
    obrigado.

    • Olá Heliodoro. As soluções e alternativas teriam que ser avaliadas por alguém de sua região. Sugiro que consulte alguém com experiência em permacultura, agroecologia, agricultura orgânica ou sistemas agroflorestais em sua região.

  38. bom dia!!!
    Gostaria de saber o que devo fazer pra acabar com o lodo verde que tem no fundo do meu açude, pois o açude tem10x17, e 1 metro de profundidade e no fundo fica esse lodo verde. a agua que entra no açude é de uma mina subterranea e no proprio cano de saida já existe um lodo saindo do cano, o que será isto!

    • Sugiro que consulte um técnico, pois se o lodo verde aparece já na saída do cano seria relevante uma análise da água para descobrir o que está acontecendo na mina.

  39. Ola boa tarde.
    Meu nome é Edna quero parabenizar pelas respostas dadas gostaria de saber qual melhor peixe para criar que não abra buracos em volta do tanque e se pode jogar de vez em quando esterco de galinha .Se possivel me responda.

  40. Olá pessoal,

    Vocês são ótimos/pesquisadores/atenciosos. Vamos ao tema: Construí um açude há cerca de 06 meses. Minha região, recôncavo da Bahia, tem uma pluviosidade bastante regular o ano todo, em torno de 1.800 mm, quase que linearmente/mensal. predomina terras de massapê/argilo. Ocorre que tenho um problema de infiltração localizada próximo ao aterro/barragem, consequentemente o açude não segurou água até o momento. A dimensão do referido é de 60 x 40 m e profundidade média de 1,80m. O terreno trabalhado foi todo limpo de troncos/árvores/vegetação rasteira (todo mecanizado) e “raspado”/compactado até a parte argilosa.A área localizada onde se dá a infiltração, como já disse, próxima ao aterro/barragem, gira em torno de 400 m2 (10 x 40) TRANSVERSALMENTE. A Empresa que executou os serviços está analisando as eventuais causas, mas ainda não chegou a conclusão. Gostaria da colaboração de vocês.
    Grato e abraços. Continuem com esse trabalho excelente.
    Edivaldo

  41. Meu problema é que escavei o açude, mas a água não pára de infiltrar…
    Como posso fazer para resolver o problema?
    Obrigado.
    Abraços!

    • Já respondi esta questão nesta mesma página, veja “Existem lonas plásticas apropriadas para açude, principalmente quando ele não é feito de concreto e os cantos não são retos, e sim em curvas para facilitar a aderência a terra ao plástico. O resultado geralmente é bem positivo, pois além de ser prático, o custo é bem mais em conta.” maio 26, 2010 @ 8:05 pm ·

  42. gostaria de fazer um tamque de concreto 8*8*1.5 de aproximadamente 80 metros cubicos de agua com sistema de oxigenaçao por compressor de ar para lago e filtragem da agua primeiro por um grande coador de pano e depois passando a por uma caixa de cimento com areia lavada e retornando para o tamque de cimento queria criar 1000 tilapias gostaria de saber se eu posso fazer isso se da certo e se nao muda o ph da agua.

    • Olá Antônio.
      Para esclarecer suas dúvidas sugiro um engenheiro agrônomo ou especialista em piscicultura, pois não disponho deste conhecimento.

  43. esqueci de escrever eu so vou coar a agua do tamque 2 vezes por semana se e suficiente e o compressor faz 25 litros de ar por minuto.

  44. Boa noite!

    Por gentileza necessito uma grande informação.
    Faz + – 01 mês que fiz um tanque para criação de peixes e o mesmo já esta enchendo por este periodo porem ate agora só encheu 50 %, pela epoca esta normal? Existe alguma maneira de impermeabiliza – lo para evitar um pouco a absorção? O tanque foi escavado em um local seco, tem aproximadamente 15 x 15 x 15 x 15 por 1,80 de fundura. Quando ele atingiu 70 cm de agua coloquei 700 peixes já juvenis sendo 500 patingas e 200 piaus, vinha tudo bem porem após um final de semana chuvoso aconteceu mortalidade de + – 100 peixes e tinha mais 150 nas margens procurando ar o que pode ter ocorrido; o que esta ocorrendo? O que devo fazer, estou fazendo certo ou melhor o que estou fazendo de errado?
    OBS: o tanque esta sendo abastecido por + – 1,5′ (polegada) de agua.

    Grato

    • Olá Wellington.
      Para esclarecer suas dúvidas sugiro um engenheiro agrônomo ou especialista em piscicultura, pois não disponho deste conhecimento.
      Nossa proposta é criar ambientes (açudes, lagos, charcos…) o mais próximo do natural, onde os cálculos matemáticos são feitos pela seleção natural do próprio ambiente.

  45. Quero dizer que o senhor é uma pessoa abençoada por Deus!
    Cuida tao bem do seu lindo sítio Curupira e ainda sobra tempo de responder tantas perguntas e questoes! Sempre que posso eu entro no seu site e fico horas lendo, aprendendo e sonhado no dia que irei embora para meu sítio. Eu amo viver no mato. já era para esta la, mas as condiçoes , a falta de luz, a falta de conhecimentos ainda impedem a minha ida para meu paraiso. La tem muitas nascentes, riachos, floresta nativa, bichos. Sinto vontade de ir conhecer seu sítio, mas nao sei se é permetido visitas? Nao conheço o senhor nem sua familia, mas tenho uma grande simpatia e porque nao dizer um amor franternal por voces, pelo foto de saber que voces vivem em comunhao com a terra, com os bichos, com tanta sabedoria e inteligencia. Leio todas as materias com atençao e carinho, pois quero aprender muita coisa…
    Estou com cancer de pulmao, nunca fumei, isso muito me entristece, mas faz parte da vida ne? Deus sabe das coisas que nao entedemos…

    Tenho uma casa na cidade, no interior de Minas Gerais, estou vendendo essa casa e quero construir uma casa simples la no meu sitio.
    Ja tentei fazer o curso de parmacultura, mas me entristece com uns permacultores de Santa Catarina, por motivos que nem vale apena mencionar, e acabei nao fazendo o curso…
    Me perdoe os desabafos!
    Que Deus lhe abençoe, lhe de muita saude!
    Agradeço de todo coraçao por sua gentileza em responder tantas questoes! Tenho certeza que todos ficam sastifeitos com seus ensinamentos e respostas. Eu tambem tenha muitas perguntas e duvidas, mas agora me nada adianta faze-las, se ainda nao sei quando vou poder viver nas minhas terras.
    Queria uma parceria, criar um espeço para cuidar de bichos doentes e abandonados, mas nem sei a quem recorrer?
    Bom, fico por aqui…
    Um abraço grande para o senhor e sua familia!
    Annaiza

  46. eu tenho um tanque em casa para o cultivo de alguns peixes(tanque deve ter uns 8mil litros de água). porém esse tanque esta constantemente cheio de lodo suspenso na água (água verde com aspecto de suja) gostaria de saber se existe algum tipo de peixe, crustáceo ou algo do tipo q filtre esse tipo de algas.
    desde ja obrigado

    • Olá Eduardo. Tente descobrir a origem de seu lodo, geralmente é excesso de nitrogênio (esterco de peixe e aves ou ração) na água. Não conheço nenhuma espécie de peixe que se alimenta de lodo, se fosse algas ou capim poderia sugerir a carpa capim. Vou deixar sua questão na página para alguém responder.

  47. moro em curitiba,e tenho um terreno não muito grande,e não entendo nada de sitio,mas gostaria de construi um tanque de peixes com peneus usados,clia algumas galinhas ,eu só tenho um manguerão 3por 12, O terreno é meio baxada,não tem parte réta e méde 75 por 80.Aguem póde me ajuda.

  48. tenho uma chacrinha em itatiba com minas naturais ,para eu fazer um lago natural devo pedir alguma permisao ,porque fora tem um lago mais o ibama so deixa pesca e nem leva os lixos que caem dentro,por favor me responda ,obrigada marcia

    • Olá Marcia.
      Sem ver no local fica difícil dar uma opinião, mas na teoria se não interferir no fluxo de rios, córregos, mata nativa ou ciliar e não contaminar a mina de origem, não tem nenhum problema.

      • Na verdade para se construir um lago e necessario um projeto de impacto ambiental voce so pode escavar e encher apos esta autorizacao caso contrari sera autuado pelo Ibama, esta regra vale para o estado de SP, para acudes acima de 1 hectar e nessecario mais documentos, pesquise no site do ministerio da pesca, sobre, ADA, registro de aquicultor no Ibama e licenciamento ambiental. Aprendi sendo autuado, por isto resolvi comentar, mas legalizado voce pode declarar o itr, comercializar seus pescados e ate obter financiamentos, junto ao governo

    • Olá Adriana. Não vendemos alevinos nem peixes adultos. Vou deixar necessidade nesta página para alguém que venda alevinos possa responder. É importante você colocar o local onde será sua criação, pois a distância para a entrega é crucial para a saúde dos alevinos no transporte.

  49. Saudações, Sítio Curupira. E com grande prazer que cada dia mais descubro pessoas e iniciativas tão benfazejas como as de vocês. Gente que ama a vida em sua essência genuína de tocar o chão, sentir os cheiros, os sabores, observar a vida crescer e se dar conta de tão grande milagre da vida e de Deus… Já dizia Milton Nascimento, “…saboroso é o amor, fruta boa. Coração é o quintal da pessoa…” Também me sinto muito à vontade com plantas, bichos, natureza, com a vida abundante que pulsa, que acontece, que se renova e cresce e multiplica e nos abraça ao abraçarmos também. E pensando nisso, no encantamento que é estar em meio às plurais formas de vida que compõem nossa magnífica biodiversidade, eu gostaria, num futuro próximo, de construir um tanque escavado de uns 5 x 6 ( de 1,5 a 2,0 de profundidade em declive) para peixes e pensei que poderíamos trocar algumas ideias… E já que não disponho de abastecimento de água por gravidade, pretendo utilizar água extraída de um rio por bombeamento. Vocês acreditam que nesses aproximadamente possíveis 30 m³ daria para se fazer uma policultura de peixes e plantas e outras formas de vida da ictiofauna e manter um ambiente saudável e convidativo? Agradeço desde já e parabenizo vocês pela bela e de muito bom gosto iniciativa e cultura de vida. Um fraterno abraço!

    • Olá Leu.
      Tenho muito pouco conhecimento em impermeabilização artificial de açudes. Sugiro que procure na revista Globo Rural, lá no final da revista onde há uma concentração de anúncios. Ali você irá encontrar toda e qualquer novidade para construção de açudes.

    • Leo. Vc não deu certo com a lona plástica? Me fale sobre o assunto, por favor, pois devo colocar em um reservatório relativamente grande, essa mesma lona, semana que vem. Obrigada.
      Telma

  50. Ola !
    Tenho 2 pequenos açudes, e quando os escavei também tive problemas com a agua que sumia…….quase desisti , entao depois de quase 1 ano de tentativas, meu pai trouxe de um açude que tinha sido esvaziado em outra propriedade em torno de 150 cascudos pequenos cerca de 10 a 12 cm, eles foram colocados na pouca agua que restava e logo depois deu uma época de chuvas e não sei se por causa das chuvas ou dos cascudos que fuçam muito a terra, a agua passou a se manter e aos poucos fomos juntando jundiá cinza e carpas hungara espelho e prateada. Criamos peixe somente para nosso consumo e na verdade para ter o prazer de alimenta-los e ve-los nadando….é nosso anti-estress!
    Abraços

    • Olá André. Obrigado por compartilhar sua experiência.
      Realmente é assim, com o tempo, se a terra não for muito arenosa ou com muitos pedriscos, a água do açude acaba saturando a terra tanto abaixo como nas suas laterais. Forma assim um lodo argiloso que impede a passagem de boa parte da água.

  51. Pessoal, instalei uma geomembrana, que resolveu meu problema… lona plastica nao aguenta e comprando direto da fabrica, valeu a pena comprar… segue o contato:

    Eng. Silvio Castro
    Técnico Comercial
    Cel.: (011) 8226-4119
    Nextel: (011) 7765-3035
    ID: 55*121*60504
    E-mail: silvio.neoplastic@ig.com.br
    MSN: silvio.neoplastic@hotmail.com

    Essa geomembrana vale a pena quando a vazão de agua é pouca… fica igual uma piscina mesmo… assim o investimento em impermebialização compensa o gasto em bombeamento…

  52. Olá! Estou começando a construir uma represa pra criação de peixe ( somente para lazer), porém, estou muito preocupada com a tal lona plástica do fundo….cada um fala uma coisa e estou maluca. Gostaria de saber se os peixes não comem esse plástico???? Também gostaria de saber se nas emendas do plástico não vaza agua, pois a represa terá 20 por 18m e não vou conseguir plastico deste tamanho. Será que existe alguma cola pra colar essas emendas? Será que preciso cobrir o plástico? Com quê?
    Desde já obrigada.

    • Olá Telma.
      Não tenho experiência em instalação de lona plástica ou geomembrana para impermeabilizar o açude. No entanto recentemente recebi um comentário dizendo que a lona plástica não é o ideal, mas sim a geomembrana. Sugiro que faça contato com algum representante deste produto. Não posso sugerir um fornecedor, pois não conheço nenhum pessoalmente. Leia o comentário do Paulo Rodrigo desta mesma página.

  53. Ola… essa geomembrana que falei, é vendida em rolos de 10X100 mts. E a aplicação tem q ser feita por um profissional, que efetua uma solda nas emendas… entre em contato com o profissional que indiquei mais acima… Fala que quem indicou foi o Paulo de Ibiuna e vc precisa de algo parecido…

    • Valeu Paulo, sua contribuição está sendo muito importante, pois conheço muito pouco sobre a geomembrana. Seja sempre bem-vindo nas páginas do Curupira.
      Grande abraço, Gardel Silveira.

    • Obrigada Paulo Rodrigo, foi muito boa sua informação, mas achei muito cara essa geomembrana A represa é um pouco grande e talvez tenha que tentar a lona plástica, com muito medo…claro!
      Obrigada e um grande abraço.

  54. Olá, amigo, preciso de orientação, tenho um lago desativado em meu terreno de aproximadamente 20X 10, tem um nascente que vem dos vizinhos e passa por ele caindo como uma cascata, porem fiz a análise desta agua e deu culiformes fecais, como resolver este problema e posso assim mesmo criar peixes? e consumi-los?

    • Provavelmente se eu fizer uma análise da água do meu açude também irão aparecer coliformes dos próprios peixes, das aves aquáticas e até mesmo do esterco do gado que é usado para alimentar o plâncton, fitoplâncton e assim por diante. O problema é se for coliformes humanos ou suínos. Ai então sugiro algum sistema de filtragem mecânico antes de entrar no açude, como uma caixa filtro, com brita grande, brita pequena e areia. E depois esta água poderia passar por um mini-açude com aguapés e outras plantas aquáticas. Estas plantas se alimentam do nitrogênio acumulado na água. Assim reduziria bastante número destes coliformes totais e fecais da água. Outra dica é jamais, em nenhuma hipótese consuma peixe crú criado em açude ou lagos. O simples cozimento da carne de peixe elimina totalmente a possibilidade de contaminação por patógenos prejudiciais a humanos. E esta regra serva para qualquer tipo de carne.

  55. Olá meu amigo, como vai? É possível construir um pequeno açude em um terreno urbano, de repente pra criar algumas tilápias? Muito obrigado, Leandro

    • Sim, é possível. Desde que haja um sistema de alimentação (ração) e um sistema de oxigenação da água (água de nascente ou córrego renovando a água diariamente. Caso não tenha um fluxo de água contínuo, sugiro um sistema aerador mecânico para oxigenação da água.

    • É extremamente importante o uso do esterco para fertilização do açude, isto não tenho dúvida. O técnica de criação de peixes com aves\porcos citado no texto é um exepmplo de consórcios amplamente utilizados na Ásia, onde estercos de animais são utilizados para fertilizar os tanques. Se esta técnica fosse aplicada aqui no Brasil teríamos um grande problema de contaminação por antibióticos e outros químicos usados na criação intensiva de animais para o abate.

    • Desde que o esterco dos suinos sejam trados por bacterias biodgestoras, e possivel, o uso direto dos dejetos suinos lancados em acudes e proibido no Brasil

  56. Cachoeira pergunta, tenho a ideia de fazer criação de peixe em tanques com redes em represa, gostaria de saber se alquem tem conhecimento de alguma criação de peixes em represas com redes, para me fornecer conhecimento do funcionamento e como adiquirir as redes ou tanques prontos grato. Contatos Fones 048-99455990 – 048-34660020-recados – Orleans – SC.

    • Para explorar tAnques Redes em represas e lagos “publicos”, da uniao e nessecario autorizacao da marinha alem de legalizacao do projeto junto ao Ibama e as vezes ate Cetesb, procure o MP tem muitas ingormacoes sobre criacao em tanques Redes

  57. estou estudantado nessecidade de calagem o qual tenho que realizar cálculos para achar a quantidade total de calcário o q voces acham dessa formula-
    nc=(v2-v1)ctc
    —–
    prnt

  58. Alessandro Santa catarina, olá faco muitas visitas a campo onde alguns agricultores possuem acudes pra seu consumo. um dia numa delas percebi á cor da água toda avermelhada. O que causou isso? é prejudicial para os peixes e como reverter? foi uma epoca de chuvas.
    se puder responder agradeco.

    • Olá Alessandro.
      Não é possível diagnosticar o que esta acontecendo com a água do açude apenas com essa descrição, pois o problema pode estar fora do açude (fonte de aguá que abastece o açude, algum tipo de alga que está se desenvolvendo devido a algum desiquilíbrio do Ph ou fonte poluente, a cor da terra do local… e assim por diante. Sugiro que peça a visita de um técnico agrônomo na propriedade.

  59. boa noite amigo,estou cm um problema,tenho um açude de 120 mts quadrado com 2mts profundidade so p lazer,e criou um mato especie de um coentro verde dentro do açude,e nao crio nada de peixes.o que devo fazer para acabar cm esta especie de mato? o acude e so p banhos finais de semana…. agradeço p atençao…Romildo.

    • Olá Romildo.
      Açude sem peixe é um criatório para mosquitos e plantas aquáticas. A melhor maneira de controlar estas “pragas” é colocando carpa capim e tilápia no açude. A carpa irá comer as plantas aquáticas e a tilápia comerá larvas, pequenos insetos aquáticos e algumas gramíneas, pois ela é onívora.

  60. adorei aprendi muito com o esterco , eu nao sabia que poderia coloca na agua, que tinha tamta utilidade… eu estou querendo , faser um lago e nao sei como faser, eu tenho medo que a agua suma na tera. me ajude ,este lago vai ser grade 20 mtro , por 6 de largura

    • Olá Ricardo. Os métodos para a construção de um açude pode variar muito por várias razões, mas dois fatores irão influenciar muito. Um deles é o tipo de fornecimento/vasão de água para açude (córrego, riacho, nascente, água da chuva…), e o outro fator é o tipo de solo (arenoso/argiloso). Se for muito arenoso o fornecimento de água for pouco ou muito racionado é importante a utilização de uma geo-membrana para impermeabilizar o fundo e as laterais do açude, ou mesmo concretar tudo fazendo um piscinão. Se ele for argiloso e você tiver um bom e contínuo fornecimento de água é só cavar e construir o açude com o próprio terreno (este é o caso do Sítio Curupira). Em ambos os casos sugiro a presença de um técnico em piscicultura para ajudar a avaliar seu solo e fornecimento de água.

  61. Parabens pelas excelentes dicas
    São pessoas como voces que fazem a diferença
    Cansei da vida de cidade grande, me aposentei e comprei uma chacara de 0,5 hectares
    tem uma agua de mina de nasce na propriedade vizinha e que esta com muitos bambus podres, cavei com as proprias mãos um açude para criação de peixes de 10 x10m altura de 0,80m totalizando 100 m quadrados ou 80 metros cúbicos de água.
    Coloquei 500 alevinos de Tambacú e 100 tilápia.
    Os alevinos de Tambacú sumiram e as de Tilápia ainda encontro algumas nas margens.
    Talvez pelo clima frio os alevios de tambacú tenham morrido.
    Fiz análise da agua e encontrei PH 6,8.
    Coloquei calcário dolimitico para elevar o PH mas não deu resultado.
    Gostaria que voces me dessem uma luz para que eu possa criar peixes para sustento da família.
    Encontrei uma barata dágua de 15 cm morta na margem e talvez elas tenham matado os alevinos de Tambacús
    Aguardo sua resposta

    • Olá Moises.
      Fica muito difícil diagnosticar seu problema sem visualizar diretamente a situação. Segundo o Wikipédia o “Tambacu é um peixe híbrido entre tambaqui (Colossoma macropomum) e pacu-caranha (Piaractus mesopotamicus). Foi criado para combinar o maior crescimento do tambaqui e a resistência ao frio do pacu.” Por esta razão acho que tem que ter feito muito frio para matá-los. No meu açude crio Pacus, e nesta época do ano, inverno, eles ficam numa espécie de hibernação no fundo do açude, quase sem nenhuma atividade, até parece que desapareceram. No entanto, quando começa a primavera eles aparecem novamente.

    • 1.Por motivos pessoais, estou sem tempo para responder às questões levantadas pelos amigos internautas. Peço desculpas pelo inconveniente. Deixarei as questões publicadas para o caso de alguém ter conhecimento e interesse em responder.

  62. ola..
    ouvi informacoes de que patos e gansos comem os alevinos, gostaria de saber se esta informacao eh veridica ou nao?
    desde ja agradeco a atencao

  63. Meu pai mora no interior de MG e tem um pequeno poço para criação de peixes.
    Até então está criando Carpas e Tilápias mas os peixes estão “comendo” todo o muro de arrimo (feito de terra). Precisamos de uma solução com baixo custo para reforçar essa barragem. Tivemos a indicação de fazer essa parede com pneus usados. Gostaria de saber se é possível e qual a técnica usar para que esse procedimento seja feito evitando que essa barragem se rompa.

    Obrigada. Grazi

  64. Ola,meus pais tem pequenos viveiros,e estamos com dificuldade de manter a agua com a coloraçao adquada.Gostaria de saber quais plantas posso usar pr ajudar,e onde encontrar.Obrigada pela atençao!!!!!!

  65. Estou indo em direção a construção de um açude de 15m² a maior intensão é utiliza-lo para efetuar irrigação, com bomba, más pretendo criar umas tilapías, o barulho da bomba pode atrapalhar? Qual a quantidade certa de esterco de gado, para formar o plancton, numa área desta? Gostei muito da matéria, bem, educativa e alto-sustentável, nós pequenos produtores e amantes dos bichos e da natureza, devemos mesmo buscar trabalhos como estes e valorizar os recursos mínimos que temos ao nosso alcance. Grato! Aguardo respostas.

  66. Estou construindo um açude e colocando pneus para que não cause erosão mas temo em fazer
    mal aos peixes ou se não tem problemas para consumir os peixes.

  67. Boa tarde a todos!

    Me chamo Fabio e tenho um pequeno sitio, gostaria muito de fazer um lago para pesca, nada muito grande, minha duvida, não tenho agua corrente na propriedade, em conversa com um Biologo o mesmo me desanimou em relação a fazer um lago com agua da chuva, alguem pode me ajudar, é possivel manter um lago com agua da chuva e criar uns peixes.

    Abraços;

    Fabio Campestrini

    • Olá Fábio.
      Só com água da chuva fica muito difícil, pois em algumas regiões pode ficar muito tempo sem chover. É possivel improvisar pequenos tanques (caixa dágua) de 2 mil litros e oxigenar a agua artificialmente. Mesmo assim fica muito limitado a quantidade de peixes nestes tanques.

    • Olá Fábio, Bom dia!
      Consultei a EMPRAPA de Sete Lagoas e eles tem um projeto de pequenos lagos. Minha dúvida era sobre como veda o solo do pequeno açude. Na EMBRAPA peguei todo material e é muito simples. O tamanho do meu é de 06 por 09 metros com profundidade no meio de aproximadamente 01 metro. é feito um buraco com uma Retro-Escavadeira arredondando as pontas. Com uma lona plástica, de construir silos, Tem que ser de boa qualidade, medindo 06 por 10 coloca ela no fundo do buraco e depois vai colocando terra em cima de forma que a terra da beira não escorregue para baixo, é chamado de repouso. Estou colocando uma bomba no fundo do lago de forma que não aspire terra, só água, e a água puxada pela bomba cai novamente no posso oxigenando a água. Pelas informações da EMBRAPA, em um posso deste tamanho dá para colocar cerca de uns 120 alevinos de Tilapia ou uns 80 de Tambaqui. Tratados com ração leva 08 meses para poder começar a pescar. No meu caso vou colocar somente híbridos, ou seja, que não reproduzem e vou usar somente para consumo próprio, não tenho intenção de comercio. Espero ter ajudado. Tenho algumas fotos, se você quiser mando no seu e-mail.

  68. gostaria de saber se girino come peixe
    tenho um tanque que qual eu limpei p/ por pedra na volta apos de pronto comprei 1 cento de tilápia. morrerão comprei carpa também sumiu poerem o lago tem muito mais muito mesmo girino eté mesmo sapo serão eles que não deixa eu ter nê um tipo de peixe
    por favor me ajuda

    obrigado

    • Olá Valquiria, desculpe a demora na resposta.
      Girino não come peixe, pelo contrário, peixe é que come girino. Os meus açudes passam por isso todos os anos. Numa semana o açude está infestado de girinos, na outra as tilápias, carás e até lambaris comem tudo. O girino é uma ótima fonte de proteína animal para os peixes.

  69. Olá, bom dia!
    Estou querendo fazer um pequeno poço de 9×6 metros com uma profundidade de 1,70. Como realizo a vedação da terra depois de furar o buraco para que a água encha o buraco. Gostei muito da leitura e sei que será útil para criação de uma pequena quantidade de peixes somente para uso familiar. Não tenho intenção de criar para comercio. Obrigado e fico no aguardo de instruções de vedação. Abraço a todos, Helton Ribeiro. hluiz.ribeiro@bol.com.br ou heltonlr@hotmail.com

  70. Olá, boa noite, estou para adquirir uma chácara onde tem um nascente, quero muito preserva-la e criar um tanque para peixes.
    O problema é que a vizinhança está crescendo, tenho medo disso tudo acabar.
    O que devo fazer para preservar a nascente no terreno.

  71. Boa tarde galera. Consegui enfim fazer meu laguinho… tenho uma duvida agora: Meu caseiro comprou 10 patos, que ficam soltos no lago. Eles trazem lucro ou prejuizo aos peixes? Sei que trazem lucro ao adubarem e ao oxigenar a agua, porém eles nao comem peixes? Será que compensa? Aguardo dicas.

  72. Gostaria de saber se alguém ai tem alguma solução para eliminar peixes (tilápia) num um tanque com pós larva de camarão da Malásia..

    ouvi falar de que existe uma pastilha q serve para eliminar peixes é inofensiva ao crustáceo , alguém sabe me dizer mesmo se existe ?

    Aguardo resposta..

  73. Bom dia, sou da região do Distrito Federal, temos uma chácara com dois açudes abandonados que passaram por um processo de limpeza(raspagem) no fundo e não acumularam mais água! Quando compramos a chácara eles já estavam nesta situação! temos bons abastecimentos de água( um poço artesiano com 3 mil litros hora e um regô comunitário que vem água uma ou duas vezes por semana) o solo é Cascalho, acredito que por isso não acumule água! Qual o melhor processo para que ele comece um acumulamento de água? me indicaram esterco de pato! Desde já agradeço! Obrigado!

    • Olá Daniel.
      Acredito que o esterco de pato seja para fertilização do açude e não para impedir a infiltração da água no solo. Existem mantas de PVC no mercado próprias para impermeabilização de açudes.

  74. Helton grato pela resposta.

    Tenho interesse nas fotos sim, alem da aguá de chuva tenho aguá de poço em uma quantidade bem razoável, na escassez das chuvas posso colocar um pouco também.
    Neste lago que tu esta fazendo, tens aguá ou vai movimentar aguá de chuva.

    Abraços

    Fabio
    campestrini@rapidovieira.com.br

  75. Bom dia! Por favor poderia nos ajudar, temos um lago com tilapia para consumo próprio. E sem explicação apareceu o alface d’agua e se alatrou pelo lago todo. Não damos conta de remover pois o lago é grande. Tem uma outra maneira de eliminar sem ser pela carpa capim? Ficarei no seu aguardo. Desde já grata.

  76. Por gentileza uma informação, gostaria de saber se posso servir esteco de carneiro para peixe, é um tanque com os peixes tambaqui, carpa, tilapia e questi fix .

  77. Qual a solução para o descarte do excesso de alevinos da truta, sem prejudicar o ambiente, pois coo grande predadora, não deve ser descartada nos rios.

  78. gostaria de saber se em um açude que morreu em torno de 4 mil peixes por falta de oxigenaçao, tem perigo de se comer os peixes que não morreram?

    • Olá Kelly.
      Se a morte realmente for por falta de oxigenação. E esta falta de oxigenação tem sua origem na falta de água ou falta de aeração, e não de vazamento de resíduos químicos e biológicos, acho que não tem problema. Só não recomendo fazer sushi da carne.

      • Algas Vermelhas, verdes, filamentosas, geralmente surgem por exesso de nutrientes, ate mesmo as enchurradas podem provocar o surgimento destas indesejaveis algas, infelismente ainda nao descobri um tratamento que nao seje quimico, sulfato de cobre, seu uso deve ser cuidadoso pois abaixa drasticamente o PH, nao e toxico aos peixes mas mata as algas o placton o fitoplancton e os moloscos, o PH deve ser corrigido com calcario dolomitico, e eficas, e deve ser efetuada a aplicacao de exterco bovino ou sulfato de aluminio que e mais rapido que o exterco para decantacao das algas mortas, e necessario dragar o lodo pois se nao for retirado, a decomposicao da materia morta vai causar um novo e intenso ressurgimento de algas, o uso de taboas que alguns acham indesejaveis e muito util no consumo do exedente dos nutrientes se bem dosado a propria naturesa se encarrega dos cuidados, sao os exessos que causam os problemas na psicultura.

  79. gostaria de saber se dá pra colocar pintados e dourados em um mesmo açude(PEQUENO),esse açude tem uma nascente e a água esta ficando bem limpa então eu queria saber se depois de eu por os alevinos vai dá pra eu tomar banho no açude ou se isso vai estressar os peixes e afetar o crescimento deles.queria saber também se dá pra transferir eles depois de uns 2 anos pra uma açude bem maior e q vai ter outras especies um pouco menor q eles

    • Olá Rodrigo.
      O dourado é uma espécie muito voraz e não tolera muito “parcerias”. Sei de relatos de criadouros que introduziram o dourado em seus açudes e este peixe acabou com todas as outras espécies.

  80. Tenho um tanque de mais ou menos 3.200 m2 e está com infiltração no fundo. Gostaria de receber uma orientação de como vedar as infiltrações .
    Obrigado

  81. Olá, gostaria de saber sua opinião sobre a adubação excessiva, já que com os animais as margens do açude, não ha como se controlar a quantidade de matéria orgânica decomposta no fundo do mesmo, produzindo cada vez mais amônia (NH4) que por sua vez é extremamente toxica a qualquer tipo de peixe quando em grandes quantidades.

    • O único jeito que vejo é cercar o açude, pois o excesso de esterco, além de produzir amônia aumenta a procriação de algas e plantas aquáticas que se alimentam deste Nitrogênio. Em contra partida, ao se alimentarem do (N) estas plantas retiram o oxigênio da água, dificultado a vida dos peixes. Esterco é bom para a fertilidade do açude, mas em excesso pode acabar com a vida no açude.

  82. todo exesso e prejudicial, se ja aconteceu, o geito e aumentar a aeraçao, ou o fluxo da agua que abastece o açude, esterco, adubaçao aguas de enxurradas que chegam ao açude podem provocar exedentes de nutrientes que para se decomporem comsomem oxigenio, nao so amonia e prejudicial mas o nitrito e tao toxico quanto, o nitrato e utilizado pelo plancton e plantas em seu crescimento. o geito mais comum de se verificar o exesso e utilizando o disco de sechi, menos de 30cm de visivibilidade deve-se suspender o arraçoamento e adubaçao ate se restabelecer as condiçoes adequadas, se nao for suspensa corre o risco do surgimento de algas azuis, cianofilas, e aquela nata que pode ser verde ou vermelha e impedem a fotossintese causando asfixia nos peixes.

  83. Cleiton boa tarde. Eu tenho um lago com uns 2500m² de espelho dágua e como entra agua de enxorrada ele geralmente fica com a agua meio turva/barrenta, eu vou desviar a enxorrada o q posso jogar para deixar a agua com uma cor esverdeada. lembrando q tenho muitos peixes no lago.
    Grato Fernando / Sta isabel-SP

    • Tente controlar a entrada de água, deixe somente o suficiente para compensar a permeabilidade e evaporação, coloque um filtro de areia na entrada de água do açude, assim o esterco que jogar para adubar não será lançado na saída e a areia retém boa parte do barro, utilize esterco curtido. Carbonato de cálcio também ajuda a clarear, ou sulfato de alumínio, mas fique atento ao PH que vai acidificar com o alumínio, ou alcalinizar com o cálcio, uso os dois mais esterco de gado e tenho um lago saudável.

  84. Ola, estou buscando orientação, tenho um lago artificial que fiz em minha casa, com 9×1,60 (sendo 4×1,60×0,5 e 5×1,60×0,85), com um sistema de filtragem de 18m3 com UV, de inicio tinha somente plati e espadas, a agua sempre transparente!! as algas controladas e tudo lindo, mais o capim começou a ser um problema, ai coloquei umas 6 carpas (5 de aproximadamente 20cm de varias especies) e uma carpa capim de 2,5kg, para controlar o capim que crescia na beira do lago, dai para frente minha agua passou a ficar turva.
    De inicio achei que seria somente pela movimentação das carpas no fundo do lago, porem estou acreditando que pode ser crescimento descontrolado do placton, então o que me indica para controlar o mesmo, que tipo de crustaceo para agua doce posso colocar para equilibrar? ou alguma outra planta? que alternativa me indica?
    Ou aumento a filtragem? A quantidade de UV?

    • Você tem um lago saudável, as carpas capim estão consumindo capim e adubando o lago por isto a água turva, coloque carpa cabeçuda, ela vai consumir o plancton , água transparente para criar peixes não e saudável, eles não terão alimento suficiente, e sofrerão com queimaduras solares. Se a intenção e um lago ornamental, o lago deve ser menor com uma filtragem de no mínimo 10x o volume de água por hora, e com kinguios ou carpas japonesas nishikigoy, com plantas suficientes para ter sombra para os peixes se abrigarem.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s