Répteis do Curupira

A Mata Atlântica é um dos biomas mais ricos em biodiversidade do mundo e também um dos mais ameaçado de extinção. Mesmo após 5 séculos de devastação e com apenas 8% de sua área original esta floresta ainda abriga uma rica diversidade de flora e fauna. Infelizmente sua magnitude vem cedendo à cobiça e ambição humana e sua biodiversidade vem sendo ameaçada. Ultimamente fala-se muito em preservação do meio ambiente. Mas como sensibilizar as pessoas a preservarem o que nem ao menos conhecem? Conhecer a fauna de um ecossistema ameaçado pela ação humana é um dos passos mais importantes para a sua conservação. No caso das serpentes, o conhecimento de seus hábitos, de sua importância para o ecossistema e a aprendizagem da diferenciação de suas espécies pode ajudar a salvá-las. As cobras são extremamente ameaçadas pela ignorância coletiva a seu respeito que gera fobias e crendices passadas de geração a geração (com grande contribuição da indústria cinematográfica). O Sítio Curupira, pretende através de fotografias de animais encontrados em seu espaço divulgar informações das espécies encontradas no sitio.

As informações descritas serão ora de fonte didática, sempre citadas no final do texto, ora pela simples visão do observador. Não pretendemos em nenhum momento, quando pegamos o animal com a mão, encorajar a manipulação com os mesmos. Nenhum animal silvestre deve ser molestado, preso em gaiolas, comercializado ou sacrificado. Os animais que aparecem nas fotos foram todos soltos após as fotografias.

Caros internautas, não responderemos questões relacionadas a fobias e outros medos irracionais e patológicos de répteis e outros animais, porque não possuímos conhecimentos e competência para isso. Este site tem como único objetivo divulgar nossas experiências de um convívio harmônico com a natureza, sem precisar eliminar, repelir ou expulsar qualquer espécie de seu hábitat; sabemos que todo ser vivo tem um papel fundamental e insubstituível para o equilíbrio do meio ambiente. Pedimos a gentileza de que leiam os comentários e suas respostas já postadas antes de formularem novos questionamentos, pois questões repetidas não serão respondidas.

____________________________________________________________________

Lei de Proteção de nossa Fauna

Art. 1º. Os animais de quaisquer espécies, em qualquer fase do seu desenvolvimento e que vivem naturalmente fora do cativeiro, constituindo a fauna silvestre, bem como seus ninhos, abrigos e criadouros naturais são propriedades do Estado, sendo proibida a sua utilização, perseguição, destruição, caça ou apanha.

Lei 5.197/67 de Proteção de nossa Fauna

Veja também Lei Federal 9605/98 que trata dos Crimes Ambientais

____________________________________________________________

Jararaquinha ou quiriripitáXenodon neuwieddi. As conhecidas jararaquinhas receberam esse nome, pois algumas tendem a mimetizar os padrões de cores e desenhos da Bothrops jararaca. Para alguns predadores essa semelhança já é o bastante para mantê-los distantes, mas infelizmente para o “homo sapien demens” (ser humano, sábio, moderno, porém demente), esta semelhança serve apenas para dizer: “matem-me, pois sou uma jararaca venenosa”. Mas essa cobra não é venenosa, mesmo que fosse não justificaria sua morte, pois nada justifica matar outro ser vivo. Pois se tivéssemos que matar todas as criaturas venenosas, teríamos que eliminar muitos políticos, advogados, publicitários, discípulos da Lei de Gerson, donos de emissoras de Tv e assim por diante. Infelizmente iria sobrar poucos seres humanos na face da Terra…

____________________________________________________________________

Caninana - Spilotes pullatus. Vive nos cerrados, caatingas e florestas de quase todo o Brasil. Alimenta-se de aves, ovos, pequenos roedores e outros animalejos, que caça nas árvores e no chão. É sempre diurna, geralmente arbórea, mas pode também ser encontrada no chão ou nadando. É uma cobra mansa, mas quando perturbada exibe uma cena muito impressionante: incha o pescoço e faz uma série de movimentos e chiados ameaçadores para assustar o inimigo.

Dai à fama de brava que o povo deu à caninana, mas as aparências enganam. É uma das maiores cobras de sua família, chegando a medir 2,5m de comprimento. Aqui no Curupira, quando ela aparece é motivo de alegria, pois logo corremos para pegar a máquina fotográfica para registrar este momento único.

Algumas cobras insistem em ficar em torna da casa, geralmente procurando ninhos de pássaros ou pequenos roedores. Para não haver acidentes com os cachorros procuro removê-las para outra área mais afastada da casa com mata mais fechada. É o caso da caninana, também conhecida como cobra-tigre. Para mim é a mais bela das cobras.

____________________________________________________________________

Cobra-cipóChironius multiventris. Mata Atlântica. Alimenta-se principalmente de pequenos anfíbios, como mostra a foto tirada pela Simone. Aqui no Sítio Curupira sempre que ouvimos um som agudo e contínuo, que mais parece uma perereca em desespero, sabe-se que é mais uma refeição de nossa amiga cipó. É uma cobra de hábito diurno. Pode ser agressiva quando molestada. Para defender-se pode até dar botes inclusive até dar boas mordidas. Mas é uma cobra que não possui veneno. Pode se locomover pelas árvores com a mesma agilidade que desliza pelo chão.

____________________________________________________________________

Cobra-cipóChironius laevicollis – Uma das maiores cobras da família das cipós. Seu habitat é Mata Atlântica e costuma passear durante o dia atrás de alimento. Pode ser rápida tanto na água, terra ou árvores. Pode ficar brava se molestada e até dar boas mordidas, mas não possui peçonha. Alimenta-se principalmente de rãs, mas se outro animal de pequeno porte der bandeira, entra pro cardápio. Aqui no sítio presenciamos uma digerindo um peixe. Percebemos na forma que ficou a cobra no ponto onde a vítima era digerida.

____________________________________________________________________

Cobra-cipó, jararaquinhaTropidodryas striaticeps. Mata Atlântica. Alimenta-se de pequenos lagartos e roedores.Esta linda espécie de cobra-cipó é injustiçadamente confundida, devido seu padrão de manchas e cores, com a Bothrops jararaca a famosa e temida jararaca. É um animal de hábito diurno. Pode até dar botes se molestada, mas não possui peçonha. Uma característica bem marcante que a diferencia da jararaca é que na cobra-cipó suas pupilas são grandes e circulares a na Bothrops jararaca são estreitas e verticais.

____________________________________________________________________

Dormideira –  Sibynomorphus neuwiedi. Mata Atlântica. Alimenta-se basicamente de lesmas, baratinhas e pequenos insetos. É uma cobra de hábito noturno. Pode ser encontrada tanto em árvores como serpenteando pelo chão. É muito comum encontrá-las em hortas e jardins, geralmente ficam enroladas e imóveis esperando a noite para controlar o crescimento populacional das lesmas. Um ótimo controle biológico.

____________________________________________________________________

Jararacuçu - Bothrops jararacussu. Mata Atlântica. Quando adulta alimenta-se de pequenos roedores, e quando jovem alimenta-se de pequenos lagartos e anfíbios. É uma cobra noturna e uma das maiores cobras do gênero Bothrops. As fêmeas são maiores que os machos. Também são diferentes na coloração, ele cinza, e ela amarelada. São muito temidas pela quantidade de veneno que podem injetar. Localizar uma Jararacuçu no meio da floresta não é fácil. Como passa o dia enrodilhada se aquecendo, se mistura muito bem com o ambiente e mesmo para olhos treinados, quase que sempre, passa despercebida. É muito brava e possui peçonha.

____________________________________________________________________

Cobra-cega - Leposternon microcephalum. Mata Atlântica. Alimenta-se de pequenos insetos, principalmente cupins e suas larvas. Os Leposternon microcephalum é uma espécie considerada especializada para a escavação, por apresentar a cabeça em forma-de-pá. Apresentam hábitos subterrâneos, cauda rombuda e olhos pequenos, sendo por isso conhecida como cobra-cega ou cobra de duas cabeças. A cobra-cega não é venenosa.

____________________________________________________________________

Lagarto TeiúTupinambis merianae. Pode medir até 1,20 m, incluindo 60 cm de cauda. Atinge até 1,4 m de comprimento. Cabeça comprida e pontiaguda, mandíbulas fortes providas de um grande número de pequenos dentes pontiagudos. Língua cor-de-rosa, comprida e bífida. Cauda longa e arredondada. Coloração geral negra, com manchas amareladas ou brancas sobre a cabeça e membros. Região gular e face ventral brancas, adornadas de manchas negras. Os filhotes são esverdeados, coloração que vai desaparecendo de acordo com o desenvolvimento dos animais. Onívoros, alimentam-se, em cativeiro, de gemas de ovos, carnes, camundongos, pintinhos, rãs, frutas doces, etc. Podem ser animais agressivos, razão pela qual são importantes os cuidados no manejo para evitarem mordidas. Ovíparos, põe em média 30 ovos, os quais são incubados por um período de 90 dias.

____________________________________________________________________

O Papa-vento - Enyalius iheringii. Pode ser encontrado na Mata Atlântica, do Rio de Janeiro ao Rio Grande do Sul. São grandes comedores de insetos, principalmente cupins e formigas, que costumam capturar na parte mais baixa dos troncos de árvores, onde passam a maior parte do seu tempo. Esta dieta os torna muito importantes para evitar a superpopulação destes insetos que podem ser prejudiciais. Tanto é que sua época de reprodução coincide com o aumento da temperatura e, portanto, com o aumento do número de insetos da mata. As fêmeas têm entre dez e quinze a quinze cm quando atingem a idade reprodutiva, e sua postura é realizada, em geral, no auge do verão, e ao eclodirem, no outono, ainda há insetos o bastante para alimentar bem os filhotes. Quando adultos, elas podem chegar até 35 cm, e eles, até 30 cm. Algumas pessoas chamam o papa-vento de camaleão, devido à sua semelhança com o camaleão verdadeiro, que vive apenas na África. Porém, apesar de poder mudar o tom de sua coloração entre claros e escuros, ele não o faz rapidamente nem com tanto detalhamento como faz o camaleão. Ainda assim, é um animalzinho que se vale muito mais da camuflagem para se defender que da agressividade, e você pode estar a menos de um metro de um deles e não conseguir vê-lo. Se encurralado, não teme dar grandes saltos para fugir de seus predadores, mesmo que caiam de alturas consideráveis. Geralmente, é encontrado na folhagem que recobre o solo e nas partes baixas das árvores, mas podem mesmo dividir o topo das árvores com lagartos como o Iguana ou as rochas com o lagarto preto. Mas só as pessoas com os olhos bem atentos conseguem vê-lo. Texto de Ricardo Avari – Biólogo da Divisão de Ciências Biológicas. Fonte do texto: http://www.zoologico.sp.gov.br/repteis/papavento.htm

Fotos abaixo, papa-vento na fase juvenil, Enyalius iheringii.

As fêmeas de Enyalius iheringii possuem esse padrão de manchas e as duas linhas brancas dorso-laterais. O outro papa vento acima é também uma fêmea, porém já adulta, o macho é sempre verde e às vezes nota-se uma coloração amarelada no papo, mas ele pode apresentar uma coloração acinzentada na cauda. Vai ai um link com uma Tese da USP-SP que trabalhou com duas espécies de gênero, inclusive o Enyalius iheringii: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/41/41133/tde-26022009-163611/pt-br.php

Abaixo a mesma espécie trocando de pele em uma bergamoteira próximo a casa.

camaleaob-153 ____________________________________________________________________

camaleao-153

____________________________________________________________________

Cobra-de-vidro - Ophiodes fragilis. Vive em áreas de cerrado e de mata. É freqüente em áreas de campo úmido. Vive em meio ao folhiço ou em moitas de gramíneas e ciperáceas em áreas alagadas sazonalmente. Alimenta-se basicamente de artrópodes (baratinhas, grilos e tenébrios), sendo os itens mais importantes larvas e ovos de insetos. Pertencem à subordem dos lagartos e não das serpentes. Possui o corpo cilíndrico e muito alongado; membros anteriores ausentes; membros posteriores extremamente reduzidos, sem dedos. Apresentam cauda muito longa que pode atingir cerca de 20 cm de comprimento. É uma espécie fossorial, que passa boa parte do tempo sob o solo, sendo portanto de difícil observação. Desloca-se por ondulações laterais do corpo e, quando manipulada, pode partir a cauda facilmente o que deu origem ao seu nome popular de quebra-quebra. Move-se agilmente sobre o solo. É um lagartinho inofensivo que não possui peçonha.

____________________________________________________________________

Falsa Coral – Oxyrhopus clathratus (fase juvenil). Cobra não venenosa que se alimenta de pequenos lagartos. Tem hábito noturno mas pode ser encontrada durante o dia. Quando adultas a parte mais clara da pele torna-se vermelha, ai então a semelhança com a coral verdadeira, o preto e vermelho intercalados. Referência para identificação: livro Serpentes da Mata Atlântica, Guia Ilustrado para Serra do Mar, Otávio AV Marques, André Eterovic e Ivan Sazima – Editora Holos, página 140.

Bibliografia: Serpentes da Mata Atlântica. Guia ilustrado para a Serra do Mar, Editora Holos e o site: www.saudeanimal.com.br

NÃO COMPRE ANIMAIS SILVESTRES! NÃO MANIPULE ANIMAIS SELVAGENS, VOCÊ PODE SE MACHUCAR OU MACHUCÁ-LOS!

____________________________________________________________________

Acidentes com ofídios, como prevenir

Nunca esqueça que a natureza NÃO é a Disneylandia. Seu jardim já é natureza!
Olhe sempre aonde anda e em que toca. Aonde tem ratos tem grandes chances de ter cobras. EDUCAÇÃO é a principal arma.

  • Conheça as cobras locais. Conheca o tipo de lugares onde eles gostam de viver e se esconder, saiba em que épocas do ano, as horas do dia / noite ou em que tipos de tempo que elas têm mais probabilidade de serem ativas
  • Ser especialmente vigilante sobre possibilidade de picadas de cobras, após as chuvas, durante inundações, na colheita e a noite.
  • Evite as serpentes, tanto quanto possível. Nunca manipular, ameaçar ou atacar uma cobra e nunca encurrala-la intencionalmente em um canto ou espaço fechado.
  • Se for possível, tentar evitar dormir no chão. Você pode rolar em uma cobra durante o sono, ou uma cobra pode mover-se ao seu lado para se aquecer.
  • Mantenha as crianças longe das áreas conhecidas como infestadas de cobras.
  • Tome muito cuidado quando manusear cobras mortas ou que parecem estar mortas Algumas cobras fingem estar mortas para evitar ataques.
  • Nunca andar descalço. O uso dos sapatos, botinas sem elásticos, botas ou perneiras .deve ser obrigatório. Dependendo da altura do calçado, os acidentes podem ser evitados na ordem de 50 até 70%. Olhar sempre com atenção o local de trabalho e os caminhos a percorrer.
  • Usar luvas de couro nas atividades rurais e de jardinagem. Nunca colocar as mãos em tocas ou buracos na terra, ocos de árvores, cupinzeiros, entre espaços situados em montes de lenha ou entre pedras.
  • Não colocar as mãos em tocas para pegar pelo rabo o tatu que é visto ao entrar; esta é a melhor maneira de ser picado por cascavéis que se abrigam nesses locais.
  • Não utilizar diretamente as mãos ao tocar em sapé, capim, mato baixo, montes de folhas secas; usar sempre antes um pedaço de pau, enxada ou foice, se for o caso. Esse tipo de cuidado pode evitar até 20% dos acidentes que acontecem nas mãos e no antebraço.
  • Vedar frestas e buracos em paredes e assoalhos.
  • Ao entrar nas matas de ramagens baixas, ou em pomar com muitas árvores, parar no limite de transição de luminosidade e esperar sempre a vista se adaptar aos lugares menos iluminados. A adaptação da visão ao local menos claro ou à penumbra em dia de luminosidade intensa é mais lenta e a falta de cuidado nesse instante pode provocar acidentes ofídicos nos braços, nos ombros, na cabeça e rosto.
  • Cuidado ao subir em árvores, Jararacas costumam subir nelas. Acidentes ofídicos nos braços, nos ombros, na cabeça e rosto são comuns desta maneira.
  • Se por qualquer razão tiver que abaixar-se, além de olhar bem o local, procurar bater a vegetação ou as folhas, principalmente no trabalho de limpeza de covas de café. A coloração da cascavel se confunde muito com a das ramagens e folhas secas dessas plantações e há casos de acidente ofídico devido a esse tipo de camuflagem, porque a pessoa não enxerga a serpente.
  • Não depositar ou acumular material inútil junto à habitação rural, como lixo, entulhos e materiais de construção. Manter sempre uma calçada limpa ao redor da casa. Essa faixa pavimentada junto às paredes tem várias utilidades: evita penetração de umidade nos alicerces, impede o contato com capim ou grama dos jardins e principalmente portas, que normalmente devem estar fechadas e ter um mínimo de vão no solo. Lembrar os casos de acidentes ofídicos dentro de casa.
  • Evitar trepadeiras muito encostadas a casa, folhagens entrando pelo telhado ou mesmo pelo forro.
  • Procurar controlar o número de roedores existentes na área de sua propriedade. Não se esquecer de que ao lado dos outros problemas de saúde pública, a diminuição do número de roedores irá comprometer o ciclo biológico das serpentes venenosas que deles se alimentam. Só isso diminuirá fatalmente a fauna ofídica da região.
  • Não montar acampamento junto a plantações, pastos ou matos denominados “sujos”, regiões onde há normalmente roedores e maior número de serpentes.
    Não fazer piquenique às margens dos rios ou lagoas, deles mantendo distância segura, e não encostar em barrancos durante a pescaria.
  • Nas matas ou nas beiradas das entradas, em acampamentos ou piqueniques, nunca deixar as portas do carro abertas, principalmente ao anoitecer. Mesmo durante a troca de pneu, ter essa precaução. A falta de cuidado deixa o motorista posteriormente preocupado com a possibilidade de ter uma serpente dentro do carro.
  • O manuseio de serpentes vivas deve ser feito com laço de Lutz ou com ganchos apropriados, por pessoas treinadas e com aptidão para o ofício.
    Não tocar nas serpentes, mesmo mortas, pois por descuido ou inabilidade há o risco de ferimento por esbarro nas presas venenosas. Nos Institutos de pesquisa dedicados também ao trabalho com serpentes venenosas vivas, os acidentes ocorrem em laboratórios ou em serpentários com técnicos especializados com extração de veneno na ordem de 1:10.000 extrações. Este risco é inerente ao trabalho e pode ser evitado pelo uso de gás carbônico, que tem a dupla finalidade de provocar a anoxia da serpente e deixá-la inerte alguns segundos, tempo suficiente para extrair o veneno e não traumatizá-la com contenção mais violenta.
  • Não assustar as pessoas com serpentes, aranhas ou escorpiões, mesmo que sejam de brinquedo; o medo inato pode trazer conseqüências imprevisíveis.
  • No período noturno, nos sítios ou nas fazendas, chácaras ou acampamentos, deve ser evitada a vegetação muito próxima ao chão, gramados ou até mesmo jardins.
  • Não matar, não deixar matar e não espantar da região as emas, as corujas, as siriemas, os gaviões, inimigos das serpentes, os quais, assim como o gambá ou cangambá, matam e comem cobras. O gambá, animal implacavelmente morto pelo homem nos sítios e nas fazendas, é de extraordinária resistência aos venenos ofídicos, especialmente ao da urutu – Bothrops alternatus. O lagarto Teiú também se alimenta de serpentes.
  • Animais domésticos como galinhas e gansos, em geral, afastam as serpentes das áreas mais próximas as habitações.

Ministério da SaúdeAcidentes com Animais Peçonhentos

_____________________________________________

Prevenção de acidentes e primeiros socorros com animais peçonhentos – Ofídios (Cobras)

Como prevenir acidentes

  • o uso de botas de cano alto ou perneira de couro, botinas e sapatos evita cerca de 80% dos acidentes; b) cerca de 15% das picadas atinge mãos ou antebraços. Usar luvas de aparas de couro para manipular folhas secas, montes de lixo, lenha, palhas, etc. Não colocar as mãos em buracos;
  • cobras gostam de se abrigar em locais quentes, escuros e úmidos. Cuidado ao mexer em pilhas de lenha, palhadas de feijão, milho ou cana. Cuidado ao revirar cupinzeiros;
  • onde há rato há cobra. Limpar paióis e terreiros, não deixar amontoar lixo. Fechar buracos de muros e frestas de portas;
  • evitar acúmulo de lixo ou entulho, de pedras, tijolos, telhas, madeiras, bem como mato alto ao redor das casas, que atraem e abrigam pequenos animais que servem de alimentos às serpentes.

Primeiros socorros

  • lavar o local da picada apenas com água ou com água e sabão;
  • manter o paciente deitado;
  • manter o paciente hidratado;
  • procurar o serviço médico mais próximo;
  • se possível, levar o animal para identificação.

Não fazer

  • não fazer torniquete ou garrote;
  • não cortar o local da picada;
  • não perfurar ao redor do local da picada;
  • não colocar folhas, pó de café ou outros contaminantes;
  • não oferecer bebidas alcoólicas, querosene ou outros tóxicos.

Fonte do texto: http://www.cobrasbrasileiras.com.br/primeiros-socorros.html

____________________________________________________

Centros de Informação e Assistência Toxicológica

Existem 37 Centros de Informação e Assistência Toxicológica em todo o território brasileiro.  Para conhecer e entrar em contato com os outros Centros de Informação e Assistência Toxicológica acesse o site: http://www.cobrasbrasileiras.com.br/centro-assistencia-toxicologica.html

Florianópolis

Centro de Informações Toxicológicas de Santa Catarina
Responsável: Farmacêutica Bioquímica Dra. Marlene Zannin
Universidade Federal de Santa Catarina – Hospital Universitário
Bairro Trindade – Caixa Postal 5199
CEP: 88.040-970 – Florianópolis/SC
Telefone: (48) 3721-9535/ 3721-9173 (Tel. CIT)
Atendimento: 0800 643 52 52
Fax: (48) 3721-9083 (CIT)
Site: www.cit.sc.gov.br

E-mail: cit@reitoria.ufsc.br

perguntascomentarios

117 thoughts on “Répteis do Curupira

  1. Adoro ler e estudar sobre os repteis e aves da fauna brasileira, existe alguns de mais prefencias como a cobra surucucu vermelha ou pico de jaca, acho esse animal lindo e respeitado. Na Bahia nas lavouras de cacaus elas são controladores nas populações de ratos.

    Obrigado pela oportunidade.
    Abraços, Rodrigues.

  2. Olá, acho que esses Lagartinhos são Camaleões Brasileiros
    ou Simplesmente Camaleão. Eu já os encontrei diversas vezes por aqui também. Camboriú-SC. Copiei a ficha no Site http://www.ra-bugio.org.br

    Valeu, Grande Abraço

    Camaleão
    (Enyalius iheringii)

    DESCRIÇÃO:
    O camaleão é uma espécie de lagarto que mede cerca de 30 cm e possui a incrível capacidade de mudar a cor, ficando camuflado no ambiente. Em 1 min é capaz de alterar completamente sua cor (veja nas fotos as várias cores que ele adquirir). O camaleão é um lagarto da família Polychridae.

    ECOLOGIA:
    Tem hábitos diurnos, vive tanto chão, sobre a camada de folhas secas (serapilheira), como nos troncos (geralmente numa altura não superior a 2,5 m) e galhos baixos das árvores e arbustos, sempre imóvel e muito bem camuflado – quando está no chão, costuma dar um disparo, buscando refúgio.

    Fica à espreita de insetos e outros invertebrados; nos troncos costuma capturar muitas cigarras (veja uma das fotos), que demora um pouco para engolir (5 a 10 min). Dorme suspenso sobre os galhos ou ramos secos enroscados ou bromélias, onde ás vezes se refugia entre as folhas secas, na parte inferior da planta.

    Resposta Curupira:

    Valeu Hermes, a dica foi muito boa. Realmente, as espécies de camaleões que aparecem na página do Instituto Rã-bugio (www.ra-bugio.org.br/ver_especie.php?id=34) são muito parecidas com os exemplares que registrei aqui no Sitio Curupira.
    Muito obrigado pela colaboração.
    Um grande abraço, Gardel Silveira.

  3. olá! gostei demais do seu site, não tinha visto ainda, queria comentar com voce, a tremenda idiotice, fruto da ignorancia do povo, que fizeram com o pobre jacáré, acho que no amazonas, não lembro agora, creio que voce deve ter visto a reportagem… bem, o fato, é que gostaria que me informasse sobre outras especies de camaleoes, aqui na regiao sul. tal como voce, sou um preservasionista. precisamos proteger a flora e fauna deste pais, levando mais conhecimento ao povo… obrigado por sua atençao. abraço

  4. Alexandre: Essa última foto (chamada de falsa coral), eu a conheço como dormideira, e a que foi chamada de dormideira também é dormideira, mas enfim, acho que as duas são dormideiras, em diferentes idades.

    Gardel: Caro Alexandre, minha bibliografia não é muito completa e as informações na internet são muito contraditórias, principalmente referentes a animais silvestres. Mas acho que sua informação realmente procede, pois a poucos dias assistia o programa do Richard Rasmussen na Record e vi ele com uma espécie muito parecida com essa que denominou de dormideira. Assim você confirma minhas suspeitas. Valeu pela dica, um grande abraço de Gardel Silveira.

  5. tenho desde 2ªfeira duas caninanas no telhado de um rancho saem para apanhar sol e vivem dentro da comeeira são enormes perto de dois metros, pretas e amarelas .
    vim á net procurar informação e encontrei o vosso site, fiquei contente por poder comprovar o que imaginava, que deveriam ser mansas, não sei se será o sitio ideal para elas estarem pois trabalhamos por debaixo das telhas e temos medo de as assustar.
    tambem não sei como as tirar de lá caso saibam de algum orgão que se ocupe de as remover e levar para a mata agradeço que me imformem
    vivemos na itinga num sitio com o nome ” quinta da itinga “perto da cidade de tijucas -sc
    bonitas as vossas fotos !

  6. Cara Margarida, és abençoada, pois onde vivem caninanas os ratos passam longe.
    Bem, se você observou estes inquilinos há pouco tempo só pode ser por uma razão, estão se acasalando, pois não é comum ver duas caninanas num mesmo território. Logo elas vão ir embora e seguirem seus caminhos. Mas se uma quiser ficar não se preocupe, se elas não forem molestadas não irão reagir. Já cansei de trabalhar em meu galpão com uma caninana transitando pra lá e pra cá. São calmas, tranqüilas e evitam o contato direto com homem, mas se perceberem que correm risco de vida reagem achatando o corpo para demonstrar que são maiores do que realmente são. Para defender suas vidas podem até dar boas mordidas, mas é só lavar com água e sabão que está resolvido. Só deve ter cuidado com os cachorros, pois eles podem interpretá-las como inimigas e talvez possam machucá-las. A presença de uma caninana em casa ou galpões de sítio é muito comum e podem ser consideradas uma benção. Preferem viver em áreas degradadas junto a casas e galpões do que no meio da mata, pois onde há seres humanos há lixo, e onde há lixo sempre vai haver ratos seu principal alimento. Elas têm hábitos diurnos, no inverno só saem na hora mais quente do dia para tomar sol e no verão vivem passeando a procura de ninhos de pássaros, roedores e rãs. Por isso não é muito difícil observá-las sob as árvores procurando ninhos.
    Em relação à remoção destes animais geralmente é responsabilidade da Defesa Civil de sua cidade ou cidade mais próxima.
    Minha dica é que tente conviver com elas, observe-as, fotografe-as, tente respeitar seus limites que elas farão o mesmo. Quando aprendermos a viver em harmonia com a natureza, pode ter certeza que a humanidade dará o passo mais importante para sua evolução.
    Espero ter ajudado, Gardel Silveira um ajudante do Curupira.

    • BOA NOITE ,GOSTEI DO SEU COMENTARIO,EU ENTREI NESTE SAITE PORQUE , PARA ESTIMULAR MINHA CORAGEM, EU COMPREI UMA CASA NA MATA ATLANTICA , BEM NO MEIO, AGORA TO COM MEDO, VEJO COBRAS ARANHAS , DO OUTRO LADO VEJO PASSAROS ORQUIDIA PLANTAS, ANIMAIS, MAS AS COBRAS E ARANHAS EU TENHO MEDO, RECEIOS, SE EU VELA NAO TEM PROBLEMA, MAS MEU MEDO E NAO VELAS , POD ME AJUDAR A SUPERAR ISSO, AGRADESSO DESDE JA ARNALDO FARIAS

      • Olá Arnaldo tudo bem?
        Se seu problema com cobras e aranhas for realmente medo e não fobia, posso tentar ajudar com alguns conselhos. O primeiro passo para perdermos o medo é aprender tudo sobre a “coisa” que nos traz medo, pois a ignorância (falta de conhecimento) é a razão de quase todos nossos temores seja eles quais forem. No instante que você ficar consciente que existe uma infinidade de espécies de aranhas e apenas uma delas pode causar acidente mais grave (aranha marrom – Loxosceles spp.), seu universo de preocupação diminui bastante. Em relação às cobras a solução será também o conhecimento. Quando perceber que entre as centenas de espécies de cobras que existem na Mata Atlântica apenas uma, a jararaca (Bothrops jararaca) costuma causar acidentes, também perceberá que seu medo não tem muito sentido.
        Esta é uma das razões que resolvemos criar a página Répteis do Curupira. Pois quando mudamos para o sítio pouco conhecíamos sobre as cobras. Foi após um acidente que ocorreu com minha cachorra que resolvemos aprender tudo sobre cobras venenosas. Neste caso, não foi à cobra que atacou minha cachorra, mas minha Akita que, com seu instinto de caçadora, atacou a cobra primeiro, e a mordida da cobra foi apenas um reflexo de um animal que estava tentando salvar a própria vida. É muito raro ocorrer acidentes com estes répteis, pois seu veneno é vital para conseguirem alimento, e as serpentes venenosas não costumam desperdiçar mordida em humanos, pois nós não fazemos parte de seu cardápio.
        Outra coisa que você tem que perceber é que tudo está conectado e tudo tem uma razão para existir. Por exemplo, no instante que matamos uma cobra coral, que raramente provoca acidentes no Brasil, eliminamos o principal predador das jararacas e outras cobras peçonhentas. A cobra coral se alimenta principalmente de outras cobras, controlando assim a população destas espécies peçonhentas.
        Jamais use qualquer tipo de veneno para acabar com aranhas ou outros insetos, pois você pode matar espécies predadoras destes insetos como lagartixas, pássaros etc, rompendo assim com o equilíbrio do ambiente. E pior ainda, você pode envenenar seus animais domésticos e a si mesmo. Meu conselho é usar telas nas janelas e portas, pois fizemos isso desde a construção de nossa casa e nunca precisamos nos preocupar com mordidas de mosquitos, borrachudos ou outros insetos e aranhas dentro de casa. Para um controle externo, as galinhas de angola fazem um ótimo trabalho limpando todo o entorno da casa até mesmo de cobras.
        E para evitar acidentes faça como a gente, preste atenção sempre onde pisa, senta ou coloca a mão, ande sempre de botas e oriente os visitantes que seu sítio não é um parque temático, onde a natureza é mera ilusão, mas sim uma floresta de Mata Atlântica, a mais rica em biodiversidade do planeta, e nós humanos é que somos os estranhos neste frágil ambiente.
        Espero ter ajudado, um grande abraço Gardel Silveira.

  7. Olá pessoal, primeiramente valeu pela explicação.
    Bom gostaria de saber se a cobra dormideira é a mesma que a cobra egípcia,encontrei uma na minha xácar em cima de um pé de laranja baiana.
    Meu tio já tinha achado uma nas bananeiras e um estudante da Unesp aqui de Botucatu falou que era cobra egípcia.
    Gostaria de saber se ela é peçonhenta.
    ( Obs.: Acho que vcs já devem ter ouvido o nome de meu avô:Paulo Bruder o criador e capturador de cobras-doou várias para o Butantã e já participou de Programa de TV( hoje já falecido )

    Desde já obrigado.
    Julio César Alexandre Bruder

  8. Olá Júlio César, que legal que tenha gostado da página.
    Fica difícil identificar e mesmo dizer se a cobra tem peçonha ou não somente por um nome “vulgar” ou popular. Tentei pesquisar na internet pelo nome de “Cobra Egípcia” e só apareceu a famosa Cobra Rei ou Naja de filmes do antigo Egito. Precisaria pelo menos uma boa foto com tamanho, formato da cauda, cabeça, íris, tipo de mata que foi encontrada e assim por diante. Gostaria de informar que não sou um Biólogo e não tenho formação em nenhuma área deste segmento, mas sou um entusiasta que gosto de pesquisar sobre animais silvestres da Mata Atlântica. Moro em um sítio junto a esta Mata e estou fazendo de tudo para conscientizar as pessoas que as serpentes são muito importantes para o meio ambiente e conseqüentemente para a existência do próprio homem. Segundo minha bibliografia (Serpentes da Mata Atlântica de Marques, Eterovic e Sazina – Editora Holos) não aparece nenhuma cobra Dormideira ou não, com este nome “Egípcia”. Mas há algumas espécies de dormideiras com o nome científico “Dipsas” que para alguns sotaques e pronuncias “brasileirísticas” poderia soar como Egípsia, daí a origem do nome vulgar, mas é apenas uma hipótese. Segue uma lista de nomes científicos de cobras conhecidas popularmente como “papa-lesmas ou dormideiras”: Siphlophis longicaudatus, Sibynomorphus neuwiedi, Imantodes cenchoa, Dopsas neivai, Dipsas indica, Dipsas incerta e Dipsas albifrons. Dê uma vasculhada no gooagle e vê se acha fotos delas. Se for alguma delas, segundo o livro, nenhuma contém peçonha, elas são geralmente calmas e prestam um ótimo trabalho para a horta e pomar alimentando-se de lesmas.
    Espero poder ter ajudado, Gardel Silveira.

    • Olá pessoal, gostei muito das fotos e do site, sou ecologista e ilustradora, sobre a cobra egípcia, tem sim uma pequena serpente, parecida com a dormideira, mas mais escura e brilhante, é venenosa e pode saltar na pessoa de arvores, só que ela vive na África e não temos dela por aqui pois estaríamos ferrados… rsrsrs.. Abs

  9. Gente de Deus, vim aqui por acaso….rss
    tenho tanto pavor de cobras, bichos destes tipos, que ja eram 03:27hs e fui enfrentar o desafio de ver fotos destes bichos, mas se tem um camarada medroso, nao tenham duvida do que digo, E ESSE QUE VOS ESCREVE…rsss
    So nao tenho mais medo, porque sei que e foto, mas podendo, nem vejo fotografia..rss…
    Ahhh, e de ver aquela moca pertinho da cobra que ta na pedra, da vontade de avisar pra ela sair de la que ta correndo perigo….rss
    .. essa moca e valente, Jesus Cristo…hehhehehee

    Sucesso pra voces ! Torco por voces.
    Mas os bichos… to fora…rs

  10. http://sitiocurupira.files.wordpress.com/2008/04/pequeno-lagarto-152.jpg?w=413&h=476

    Olá, o link acima é uma foto que eu encontrei no seu site, o nome desse bichinho você colocou como “pequeno camaleão”, eu não sei que espécie é, mas em minha casa eu ja encontrei por várias vezes uma camaleão identico a esse, eu pego ele na mão também, ele nunca me mordeu, mas eu também tenho muita curiosidade em descobrir que espécie é.

    Obrigada.
    Vanessa Trumseiser

  11. Pingback: Novidades nas páginas do Curupira « Sítio Curupira

  12. otimo o site voces estao de parabens!!!
    deveriam continuar se aprofundando em pesquizas e aumentar ainda mais o comteudo, ficaria otimo!!!
    mais já esta super bom!!!

  13. Ah poxa, estou chateada! Hoje levei um baita susto porque apareceu uma cobra cega no meu banheiro e eu nao sabia que cobra era, taquei alcool nela ate!!! Ela fugiu, mas depois q li que ela eh inofensiva me senti pessima!

  14. Muito bom o site! Excelentes as fotos!
    Olhem só: encontramos uma cobra em casa (Brusque, SC) e, em pesquisa no Google, a mais parecida com ela é aquela encontrada no site de vocês (última foto) que vocês denominam de dormideira na fase juvenil. São idênticas. Enviamos um e-mail ao Instituto Butantan com três imagens da que encontramos e nos afirmaram tratar-se de um indivíduo jóvem de Oxyrhopus clathratus (nome popular: falsa coral). Pelo comentário nº 4, do Alexandre, deu para perceber que o site a denominava falsa coral anteriormente. Vai aí a nossa contribuição ao debate, hehehe. Se tiverem interesse posso encaminhar as fotos da que econtramos. Grande Abraço!
    Éder

    • Oi Éder,eu estou pesquisando justo pq encontrei um couro de cobra grudado numa pimenteira no meu jardim. Não sei que cobra é pq não entendo nada desse assunto, mas estamos com medo. É claro que ela está por lá ou até dentro de casa e aí, o que fazer?
      Abr

  15. Prezados, em relação ao espécime discutido (camaleão) tenho informação de que se trata de um tropidurus ou seja, lagarto escalador, sobe em árvores e lá permanece caçando e se banhando ao sol.
    Sou ávido estudante deste tema e em pesquisa aos livros de um museu, localizei fotos que em muito se parecem com os animais exibidos.
    Só houve dúvida em relação ao espécie pois existem dois muito parecidos. Seria necessário uma foto mais detalhada para realmente classificar os mesmos.

    Atenciosamente,

    Marcelo Pasqual.

  16. Prezados amigos,
    Gostaria de obter mais informações sobre os hábitos, e como se reproduz a cobra cega, pois moro perto de uma represa e meu cachorro arrancou uma da terra, com um comprimento de mais ou menos 40 centímetros. Ficamos assustados e matamos a cobra por ignorância. Como proceder se encontrarmos outra cobra cega? Como evitar acidentes, por exemplo: ouvi dizer que essa cobra morde, e não larga, é verdade? Agradeço as informações.

  17. Caro José Braga, para obter mais informações sobre hábitos e reprodução da cobra cega terá que pesquisar mais na internet ou aguarde um pouco mais, pois sempre aparece alguém disposto a contribuir com mais informações aqui na página. Gostaria de informar a todos que não sou um especialista em répteis, apenas um entusiasta que acredita que a informação é conhecimento, e quando conhecemos aprendemos a respeitar, e consequentemente a preservar.

  18. Olha sabe este lagarto q vc disse q não está identificado?
    eu ganhei um desse de uma bióloga ela me disse q era um calango mas sempre desconfiei!!!!
    pois os calangos são maiores e tem as patas mais grossas…
    poxa eu tinha um só q morreu de velinho se chamava Harry.
    qndo olhei esta foto
    fiquei tão feliz,me lembrei dele
    ^^
    bjxx

  19. Gostaria de saber mais detalhes sobre o períudo de imcubação e condiçõe de temperatura da espécie Xenodon neuwieddi

  20. Olá sou estudante de biologia e estes dias encontrei uma cobra mais até agora em minhas pesquisas não a identifiquei gostaria de saber se alguém pode mi ajuda tenho as fotos é só me mandar um e-mail e eu mando as fotos, ela e uma cobra pequena não e agressiva, e branca e preto parece muito com uma falsa coral mais acho que não é. até mais… jaisonj@hotmail.com

  21. muito bom gostei muito das fotos e das informações aprendi muito estava fazendo uma pesquisa para a escola mas vi que fiquei muito interessado em saber mais das vidas dos repetis.
    Valew gostei muito Abraços e parabéns.

  22. Puxa! Quero comentar sobre as magníficas cobras que D.Margarida encontrou. Já faz um ano, mas, espero que ela lei esta mensagem. Que é a seguinte: oxalá ela tenha seguido o conselho de Gardel!

  23. Gostei muito das fotos apresentadas aqui!! Realmente ótimas capturas!
    Com relação ao pequeno camaleão que vocês registraram se trata de um exemplar macho do enyallius iheringii, as fêmeas apresentam a coloração verde com listras ou manchas em tom creme, já os machos na coloração creme com listras marrons ou verde uniforme.

    Da uma olhada nesse site aqui tem bastante coisa legal sobre répteis entre outros. Abraços!

  24. BOA NOITE, QUERIA A SUA AJUDA DE SUPERAR O MEDO DE COBRAS E ARANHAS, EU NAO SABIA QUE EU TINHA ELE, COMPREI UMA CASA NA MATA ATLANTICA, NO PE DA SERRA, COM UMA VISTA PARA O MAR PROCIMO DE CACHOEIRA, DE DIA E LINDO O LUGAR E UMA PAZ COM OS PASSAROS , MAS ANOITE EU EMAGINO AS COBRAS AS ARANHAS ENVOLTA DA CASA, EU NAO SABIA QUE ERA ASSIM, PODE ME AJUDAR A VIVER , EU TO EM UBATUBA PRAIA DA MARANDUBA NA SERRA OBRIGADO ARNALDO

  25. Olá,

    Durante um evento de paintball foram encontradas 2 cobras da mesma espécie. Olhando alguma de suas fotos achei ela muito parecida com esta, porém gostaria de uma confirmação. Até tentei entrar em contato com o pessoal do Butantan para saber que cobra é esta mas não obtive retorno.

    Se puderem entrar em contato comigo para que eu possa enviar as fotos ou passar o link de meu Orkut eu agradeço.

    Atenciosamente,

    Marc Jullian Komatsu

  26. Olá!
    A espécie de lagarto não identificado é Enyalius iheringii também, mas uma fêmea. Estes lagartos apresentam dimorfismo sexual, onde os machos possuem padrão uniforme e as fêmeas duas bandas claras na parte superior do corpo.

    Abraço

  27. A espécie de cobra-cipó não é Chironius multiventris, visto que ela não ocorre na região do sítio. Possivelmente seja uma Chironius foveatus, ocorrente na região, essencialmente arborícola e com olhos relativamente grande, mas seria preciso uma melhor foto para confirmar.

    Parabéns pelo site!

  28. Olá. Descobri seu site numa busca pelo google de como me afastar de cobras. Meu marido e eu estamos comprando uma casa no horto florestal Alpes da Cantareira, eu não sei se tem cobras por lá, mas morro de medo só de pensar em encontrar uma dentro de casa. Tenho uma filhinha de 4 anos e um akita filhote e caçador (vc tem ou tinha um, sabe como eles são) e morro de medo de um dos dois estarem brincando e serem picados por uma cobra. Estou procurando tudo que possa mante-las longe. Ouvi falar em galinhas-de-angola, são boas mesmo, e porque as cobras temem essas galinhas? Sei que são entusiastas de cobras e que as defendem, mas eu tenho muito medo delas e mais medo ainda de que minha filhinha ou meu Akita morram por uma picada no quital da casa. se puderem me ajudar a descobrir um meio de manter esses bichos longe de casa, sem ter que mata-los eu agradeceria.

    • Olá Josemeire tudo bem?
      Galinhas de angola podem ajudar a manter as cobras afastadas, pois elas se alimentam destes répteis e de uma infinidade de insetos e aracnídeos (escorpiões e aranhas). Preservar a fauna e a flora do local ajuda bastante. Existem vários animais que se alimentam de cobras, principalmente as cobras não venenosas. As cobras mais comuns da Mata Atlântica que se alimentam de cobras venenosas são a Coral e a Muçurana, identifique estas espécies e as preserve. Outro réptil apreciador de cobras é o lagarto Teiú que em alguns casos vive bem junto à construções. Também existe uma série de gaviões que incluem as serpentes no seu cardápio. Mantenha a mata nativa, não faça queimadas, não destrua o habitat destes predadores e principalmente não deixe lixo ou entulhos acumulados no terreno, pois isso atrai os ratos, e onde há ratos haverá serpentes para comê-los. Outra dica muito importante é usar telas nas janelas e portas da casa, pois irá manter não só as cobras, mas também os mosquitos que com certeza causam mais problemas de saúde que as serpentes.
      Como já escrevi nesta mesma página: o medo é uma doença que curamos com o conhecimento. Então leia, pesquise, fotografe, identifique as espécies de sua área, aí então perceberá que o medo será substituído pelo respeito.
      Aqui no Curupira temos muitas regras, e uma delas é andar sempre de bota de borracha e calça, não importa a estação do ano.
      Os horários que é mais comum encontrar serpentes é na hora mais quente do dia. Então evite fazer caminhadas entre as 10:30 e 16:30 nos dias de verão. Costumo dizer paras as pessoas que me visitam que devem andar sempre em estado meditativo, isto é, prestando atenção no que se está fazendo. Quando andamos na mata mantemos nossa atenção não só na copada das árvores, mas principalmente nos nossos passos, onde sentamos e principalmente onde botamos a mão.
      Em relação a akita, se ela tiver o mesmo temperamento da nossa não tem jeito mesmo, pois terá que ficar presa e solta apenas sob supervisão constante. Os akitas mantém um instinto natural de caça muito apurado e tendem a caçar e matar qualquer animal que se mova na mata. E é nesses casos que ocorre os acidentes com serpentes. Mas não se preocupe pois hoje já tem soro veterinário a venda em muitas agropecuárias e é de fácil aplicação (tivemos um acidente com nossa akita e uma jaracussu, mas levamos ela ao veterinário que aplicou o soro e, tirando o inchaço e alguns dias de sofrimento, ela viveu feliz ainda por vários anos).
      Procure também se informar sobre qual posto de saúde ou hospital da sua região tem soro antiofídico à disposição. Tomando todas estas precauções o risco de acidente é muito pequeno e, se mesmo assim chegar a acontecer, é possível procurar socorro e tomar o soro a tempo.
      Espero ter ajudado, Gardel Silveira.

  29. Gardel.

    Muitissimo obrigada pelas dicas e ensinamentos, estou muito mais aliviada e levarei a cabo tudo o que me disse. Sou uma controvérsia em pessoa, pois adoro a mata, adoro os bichos, menos as cobras (heheheheh) mas nem por isso quero mata-las, afinal a intrusa sou eu, mas se conseguir mante-las afastadas já será bem mais fácil minha nova convivencia tão próxima a natureza. Obrigadissimo e mais uma vez parabéns pelo seu blog estou devorando todos os artigos e achei interessantissimo o Trator de galinhas. Como disse anteriormente voce e sua esposa estão me ensinando muito. Tenho certeza de que minha familia se dará muito bem na nossa nova residência que informo será um condomiio fechado, mas nem por isso imune as temiveis cobras. Continuem postando tudo o que puderem, não sabem como nos ajudam, pessoas urbanas que se aventuram na natureza. Fico feliz pela sua Akita ter sobrevivido. Um abraço muito grande a voces.
    Josemeire Hernandes.

  30. olha eu acho que na minha casa esta aparecendo uma cobra papa-ovos estou quase enlouquecendo!!!!
    o que faço para afasta-la? se machuca-la?
    o oque ha está atraindo para o meu lar? adore esse site pois me esclareceu algumas duvidas mais se porfafor pode me ajudar eu fico muito agradecida!!
    dez de ja muito obrigada!!!

    • Bem, fica muito difícil diagnosticar ou dar qualquer dica sem conhecer o local (urbano ou suburbano, campo desmatado ou floresta protegida, espécie de serpente (venenosa ou não venenosa), e principalmente as pessoas envolvidas no caso. Só sei que o principal alimento (atrativo) das cobras nas cidades são os ratos, e em locais onde há humanos sempre haverá ratos por causa do lixo.
      Meu conselho é: se o problema for crônico, tipo acontece com freqüência, faça contato com algum órgão do Ibama ou Defesa Civil de seu município, pois pode até ser um caso de infestação ou pode ser uma cobra venenosa, e estes órgãos estão ai para tomar as devidas providencias quando necessário.

  31. Bom dia.Gostei muito de ver essas fotos sobre cobras e gostaria que se voces pudessem me explicar.Aqui em casa de vez em quando aparecem algumas cobras e eu tenho pávor desse bicho e por fim a última que apareceu foi um filhote e era meio esverdeada com listras marrons comprida e fina.Gostaria de saber se era venenosa,pois quando ela estava viu que iria ser morta,ela mesma mordeu o rabo,e, eu nunca vi isso antes.Obrigado.

    • Olá Aparecida tudo bem?
      Está ai um comportamento que nunca tinha visto ou ouvido falar nas cobras “morder o próprio rabo”. Como já escrevi em algum lugar desta página, (não sou biólogo e nem especialista em serpentes), mas sim um entusiasta e pesquisador autodidata apaixonado pela natureza e toda sua complexidade. Quero informar a você e a qualquer um que escreva para o blog que não é possível identificar com precisão nenhuma espécie de cobra apenas por uma descrição por escrito, pois as espécies são muito parecidas e muitas delas mimetizam, (imitam pela coloração), outras espécies venenosas para parecerem como elas. Isso ocorre muito com as serpentes que são parecidas com a jararaca e a coral, estas sim cobras venenosas. Para uma identificação segura, sugiro que alguém capacitado capture esta cobra e a leve para o setor de Biologia de alguma universidade, defesa civil ou corpo de bombeiros de sua cidade. Sugiro que faça contato (telefone) com estes órgãos com antecedência, pois mesmo eles nem sempre tem alguem capacitado para a identificação. Para alguns, mesmo biólogos especialistas é bem difícil identificar a espécie mesmo com ela nas mãos, mas é bem possível saber se ela é venenosa ou não, com exceção das cobras corais, é claro, pois há muitas controvérsias entre os especialistas na identificação desta espécie. Aqui no Sítio Curupira julgamos que “toda cobra coral é venenosa”, assim evitamos qualquer acidente quando somos obrigados a manuseá-las para removê-las para longe da casa e dos animais domésticos.

  32. Olá, novamente parabéns pelo site!
    Aqui no meu sitio ja achei algumas cobras infelizmente por obter pouco conhecimento ela foi a obito! É a especie de reptil pr min mas repugnante tenho medo demais! Aqui protejo muito os Tatus, lagartos, Pacas e o Bugio tem outras especies tambem pois pude perceber com pegadas e restos de fezes ainda não consegui tirar fotos mas assim que eu tiver posto pr vcs! Um abraço!

  33. bom dia ….

    apareceu em casano liroral una cobra nuiro parecida com a caninana, como posso enviar um video para saber que cobra é ?

    • Olá Adriana, tudo bem?
      Não identifico cobras por vídeos ou fotos, pois nem sempre temos uma boa qualidade nas filmagens ou fotografias digitais. Uma luz mal direcionada, partes do animal fora de foco, baixa resolução e assim por diante, podem mascarar e atrapalhar muito a identificação. Muitas cobras mimetizam outras espécies para parecerem mais perigosas e detalhes como íris, formato da cabeça, calda, cores e escamas são imprescindíveis que apareçam perfeitamente na imagem para não haver erro na identificação. Prefiro sempre ter o espécime na mão para observá-lo melhor. Mesmo assim, se quiser enviar o vídeo, pode enviar para este e-mail, verei o que posso fazer.
      Att. Gardel

  34. Dentro de minha casa, no sotão/forro, tem um ninho de Caninanas. È evidente que não vou morar ali com tantas cobras enormes. Mas eu não queria matar. A fundação zoobotanica aqui do sul não está disposta a ir buscar. Então, estou tentando descobrir quem poderia ter interesse nessas cobras, pois é desconfortavel dormir sabendo que no andar de cima tem uma grande familia de cobras e que só o forro da casa é que me separa delas. Em resumo, ou eu descubro alguem aqui no sul que busque essas serpentes ou eu precisarei matar, já que está dentro de casa. Vocês não teriam algum contato aqui no sul, que pudessem me indicar? Moro em um sitio em Gravataí/RS que fica a exatos 50km de Porto Alegre

    • Olá Robson.
      A defesa civil da cada município também tem esta responsabilidade. Vou deixar sua questão na página caso eles também não “estejam dispostos” a colaborar.
      Gardel

  35. Oi, apareceram 2 cobras no meu quintal, acredito que sejam dormideiras, porém não tenho certeza nem conhecimento pra identificar… Estou guardando elas aqui, se forem dormideiras mesmo irei soltar no mato aqui perto, caso sejam alguma outra espécie venenosa irei procurar algum lugar para doá-las, enfim, se você conseguir identificar só pelas fotos que eu tirei será ótimo:

    • Olá Ricardo tudo bem?
      As fotos que enviou estão muito boas e acredito que realmente sejam dormideiras, mas fica difícil identificá-las com precisão, pois as dormideiras tem uma família muito grande e em muitos casos mimetizam cobras venenosas como a jararaca. Por exemplo, a Dipsas albifrons tem a cabeça em formato triangular, corpo com varias listas e a íris no formato vertical, tudo isso sugerindo ser uma cobra com características de uma serpente venenosa como a jararaca, Bothrops jararaca. Como já escrevi anteriormente não posso identificar cobras apenas com fotos, pois teria que ver muitos outros detalhes. E qualquer erro nesta identificação poderia causar muitos transtornos se houvesse um acidente no manuseio destas serpentes. Quando não tenho certeza se é uma cobra venenosa ou não, tento ver dentro de sua boca se tem a dentição solonóglifa (dentes frontais inoculadores de veneno bem salientes), mas esse procedimento pode ser perigoso e não aconselho a ninguém fazer. Segue aqui vários nomes científicos de cobras conhecidas como dormideiras: Dipsas incerta, Dipsas indica, Dipsas neivai, Imantodes cenchoa, Sibynomorphus neuwiedi e Sibynomorphus longicaudatus. Dê uma pesquisada na internet usando estes nomes ou adquira o livro Serpentes da Mata Atlântica da Editora Holos. De qualquer forma, a atitude que eu tomaria, sendo elas venenosas ou não, seria soltá-las numa área de mata, distante do contato humano.
      Espero ter ajudado, Gardel.

  36. Olá, as cobras que encontrei no meu quintal são dormideiras. Soltei as duas na horta da minha casa, será que posso ter algum problema com isso? Pois li que elas são boas para se ter na horta porque comem as lesmas. Enfim, se não for recomendado deixá-las na horta então as soltarei no mato mesmo, obrigado pelas informações.

  37. Olá eu moro na região nordeste,zona urbana e tenho um quintal de 40 m² ele e formado por uma camada de metralhas,barro de jardim e um gramado de esmeralda, e só nesse mês de Abril até o dia de hoje ,encontrei 12 cobras cegas de tamanhos variados,as maiores com 30 cm(não são as mesmas pois as coloquei no lixo!)por favor eu queria saber como espantá-las pois tenho pânico de cobras,mesmo sabendo que elas são inofensivas e não tem veneno já estou ficando looouca com tantas cobras por favor me ajudem!
    obrigada!

  38. Caros internautas, não responderemos questões relacionadas a fobias e outros medos irracionais e patológicos de répteis e outros animais, porque não possuímos conhecimentos e competência para isso. Este site tem como único objetivo divulgar nossas experiências de um convívio harmônico e com a natureza, sem precisar eliminar, repelir ou expulsar qualquer espécie de seu hábitat; sabemos que todo ser vivo tem um papel fundamental e insubstituível para o equilíbrio do meio ambiente. Pedimos a gentileza de que leiam os comentários e suas respostas já postadas antes de formularem novos questionamentos, pois questões repetidas não serão respondidas.

  39. com certeza e um Enyalius iheringii
    Ordem: Squamata
    Família: Polychrotidae
    cuja familia possui diversas especies essa ao certo nao sei te dizer.

  40. Tenho um pequeno sítio, porém aparece muito cobras como Cascavel (cobra d’agua não venenosa e venenosa), cobra Coral da vermelha e preta (não sei se verdadeira ou falsa, cobra de Viado (acho que deve ser uma espécie de Jibóia),
    Aranha Caranguejeira (tipo tarântula), não sei exatamente.
    Brigo com o pessoal da redondeza para que não mate esses animais, mas as vezes eles me falam que fulano de tal matou uma cobra e eu acabo chateado.
    Entendeu porque admiro o trabalho de vocês?
    Ah! Onde posso encontrar aqueles pinção para manuseio de serpentes?
    Sinceramente tenho muito interesse nesses animais, pois solto todos.
    Se possível brigo mesmo para defendê-los.
    Fote abraço e parabéns pelo trabalho.

    Aldecí

  41. Ola queria fazer uma pergunta ontem apareceu uma caninana aqui em casa de aproximadamente 2.5m ai peguei ela e levei para o morro atras de casa cerca de uns 100 m de casa desculpe minha ignorância mas queria saber se as cobras tem senso de direção isto é como levei ela para outro lugar queria saber se é possível que ele volte para minha casa, pois tenho 3 cães e uma filhinha de 1 ano que anda pela casa toda.
    Aguardo contato pois estou preucupado
    Atenciosamente
    Rodrigo

    • Olá Rodrigo, tudo bem?
      Às vezes também tenho que fazer este mesmo procedimento (levar a caninana para outro local), pois tenho 3 cachorros muito territoriais. Isso resolve por alguns dias, mas não definitivamente, pois a caninana acaba sempre voltando, não por causa do senso de direção, mas sim por causa de seu alimento predileto: os ratos. Estas serpentes não-venenosas são as principais controladoras destes roedores indesejáveis que residem em nossas casas e galpões de zonas rurais e suburbanas. Quero lembrá-lo que os ratos são portadores de variadas doenças transmissíveis ao homem, como a leptospirose, o hantavírus e a peste bubônica, além de ser hospedeiro para outras doenças, como a toxoplasmose. E quando tentamos eliminar estes roedores com veneno, não é difícil ocorrer acidentes tanto com crianças como animais de estimação (gatos, cachorros e galinhas).
      Sugiro que tente conviver com esta serpente, pois ela é um perfeito controlo biológico de roedores, mas se isso não for possível, leve-a para alguma mata (reserva florestal) bem longe de sua casa.

  42. Nossa, adorei a reportagem. Adoro cobras! Gostaria de adquirir uma, mas não sei como. Vocêis podem me ajudar? Qual especie de cobra é mais adequada para eu ter?
    Aguardarei resposta, e Parabéns pelo trabalho.
    Alice.

  43. Olá!
    Gostei muito das fotos e de todo o conteúdo escrito!
    Muito interessante!
    Gostaria de saber como faço para montar um terrário…materiais necessários e ambiente.
    Já tive cobras (Coral e Cipó).

    Parabéns pelo empenho e qualidade.

    Frank.

  44. Gostei muito das matérias aqui divulgadas, tenho muito interece em ver como é extraido o veneno desses répteis. Assisto alguns programas desse gênero pois gosto muito de animais de todos os tipos. E serpentes e arranhas também são bastante interessantes. Fico admirado de como o veneno desses animais podem salvar vidas.

  45. boa tarde, admirei bastante esse sitio, adoraria estar diante de tanta natureza e preservação. Sou uma futura Biologa, e admiro muito pessoas iguais a voces que preservam e amam a natureza. Parabens pelo belo trabalho.Sou uma fã de serpentes em geral, as acho fascinante
    Gostaria muito de saber de voces como faço para montar um terrario bom para que eu criar uma serpente do tipo dormideira.
    Tambem gostaria de saber de voces se esse sitio esta aberto a visitaçoes de estudantes da area de biologia, se aberto gostaria de saber mais informaçoes sobre localizaçao e valores por pessoas, para podermos agendar uma visita. Agradeço desde ja pela atençao. E mais uma vez parabens por esse projeto maravilhoso de vida.

  46. o lagartinho sem identificação
    tem o nome popular de papa vento
    e o nome cinetifico é
    Enyalius bilineatus

    vc encontra mais informações no wikipedia

    • Olá Cristina.
      Fique à vontade em divulgar o blog do Curupira,
      Caso queira copiar alguma matéria, solicitamos que no final do texto coloque o endereço da nossa página.
      Um grande abraço, Gardel Silveira.

  47. SOBRE O “PEQUENO CAMALEÃO”.

    Olá, sou Biólogo aqui de Criciúma, Santa Catarina, e trabalho com herpetofauna (répteis e anfíbios). Olhando o site de vocês vi que há um lagartinho não identificado e vcs pedem que se alguém souber que lhe digam.
    Primeiramente, parabéns pelo site e pela divulgação de algumas espécies de répteis.

    Bem, o “pequeno camaleão” é na verdade uma fêmea jovem de Enyalius iheringii. Pois as fêmeas posseum esse padrão de manchas e as duas linhas brancas dorso-laterais. O outro papa vento acima é também uma fêmea, porém já adulta, o macho é sempre verde e as vezes nota-se uma coloração amarelada no papo, mas ele pode apresentar uma coloração acinzentada na cauda.

    Vai ai um link com uma Tese da USP-SP que trabalhou com duas espécies de gênero, inclusive o Enyalius iheringii: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/41/41133/tde-26022009-163611/pt-br.php

    Quando entrarem no link Lá embaixo vcs podem baixar o arquivo e conferir algumas fotos.

    Valeu!

    Um forte abraço e tudo de bom!

    • Olá Luiz Fernando.
      Primeiramente gostaria de agradecer pela sua importante contribuição na identificação do “pequeno camaleão”, que agora será chamado de Papa Vento na fase juvenil, Enyalius iheringii.
      São contribuições como a sua que enriquecem nosso trabalho, e nos dá força para dar continuidade em nosso projeto de tentar sensibilizar as pessoas da importância da preservação de todas as espécies do meio em que vivemos, principalmente os répteis.
      Recentemente contratei um pessoal da minha região para fazer alguns serviços aqui no sítio e quando fui levar água para eles percebi uma certa inquietação e um ar de medo em suas faces. Ao me aproximar comentaram que tinham matado um “camaleão” muito venenoso, que após ser abatido enterrara-o para que o veneno não fosse acidentalmente transmitido para alguém pelo simples contato com a pele do animal. Curioso, pedi para eles desenterrá-lo para que eu pudesse vê-lo, fotografá-lo e posteriormente identificá-lo. Ao desenterrá-lo percebi que era o nosso amiguinho “pequeno camaleão” na fase juvenil. Depois quando a equipe se preparava para ir embora peguei meu notebook e mostrei para eles fotos e filmagens com o mesmo réptil em minhas mãos, e expliquei que não sabia exatamente que espécie era, mas tinha certeza que não era agressivo e nem venenoso. Eles ficaram surpresos com o que viram e que nunca tinham visto alguém tocar nestes animais. Até hoje quando nos encontramos, comentam sobre a desnecessária morte de nosso pequeno amiguinho.
      Aqui na minha região a cultura do “na dúvida mate” é disseminada de geração para geração, ou pior ainda, criam mitos para justificarem seus medos. Veja alguns exemplos das pérolas que tenho ouvido: cobra coral quando não tem duas cabeças tem um esporão no rabo, tamanduá quando fica sobre as suas patas traseiras é porque está pronto para te atacar com um abraço mortal; quando tocamos na pele de uma cobra, mesmo depois de morta podemos contrair “cobreiro”, que só com benzedura será curado; as cobras piam como pássaros para atrair duas presas; para evitar ataque de cobras é só colocar um dente de alho dentro da bota, morcegos são ratos envelhecidos que se alimentam exclusivamente de sangue… e assim por diante. E o pior de tudo é não ouvir estas frases de “matutos” ou pessoas sem acesso a informação, mas sim de pessoas com nível superior de escolaridade, pessoas que podiam ter pelo menos o benefício da dúvida e assim procurarem informações mais confiáveis.

  48. Bom dia, gostaria de saber como proceder para retirada de uma cobra negra que vi, ela estava ja com o corpo dentro do forro pelo um buraco lateral no beiral, vindo de uma aroeira a medade do corpo ainda estava na aroeira, pensei que era uma mangueira pendurada na arvore ela foi super rapuda e deve estar la no forro. sugestao para remocao!

    abs,

    marcio

  49. Oi. muito bom o seu site. Encontrei essa página pesquisando sobre lagartos, e aqui descobri que os lagartos que aparecem no meu quintal são esses Teiús. Sempre vejo esses lagartos andando pelo quintal, adultos e filhotes. Percebi que eles aparecem mais em dias quentes. Gostaria de me aproximar deles para observá-los de perto, mas, sempre que chego perto eles correm muito.

    • Ola Clemilda.
      Percebi que realmente faltou esta informação em relação à cobra-cega, mas já completei esta informação na página. Obrigado pela questão!
      A cobra-cega não é venenosa, mas possui uma considerável força muscular, pois está sempre se retorcendo para cavar usando o corpo e sua cabeça. Por esta característica não recomendo que coloque o dedo em sua boca, pois ela não hesitará em morder.

  50. Olá! Boa tarde!!

    Moro dentro da Mata Atlântica – ou melhor, num condomínio que construiu suas moradas integrando-se a mata existente, ao invés de desmatá-la para depois compor seus jardins de “shopping”.
    Recentemente, ontem de manhã cedo, dei de cara com uma serpente (coisa a tempos não acontecia aqui dentro de casa) no banco do terraço. Por pouco não esbarrei nela. Foi um grande susto, pois embora não sendo inimiga delas, tampouco gosto de tê-las por perto, ao menos não tão perto.
    Como tenho filhos bem pequenos e trelosos e não crio animais domésticos, nem patos, nem galinhas. Me preocupo com a aproximação das cobras por aqui. Gostaria de saber se há algum endereço que eu possa enviar as imagens da cobra para saber qual é e se tem peçonha, ou não?!

    Agradeço desde já!

    PS: excelente blog!!!!!!

    Renata

    • Olá Renata.
      Dificilmente alguém fará uma identificação por foto, filmagem ou descrição, pois algumas espécies são muito parecidas e muitas cobras não-venenosas mimetizam as cores e padrões das peçonhentas só para parecerem venenosas. Sendo assim é muito perigoso identificá-las apenas por um perfil fotográfico, pois um erro na identificação pode causar um acidente gravíssimo.
      Para quem mora junto a Mata Atlântica é sempre bom ter um livro para identificação de serpentes. Neste caso sugiro o livro “Serpentes da Mata Atlântica – Guia ilustrado para a Serra do Mar – Otavio Marques, André Eterovic e Ivan Sazima da Editora Holos.”

      Att. Gardel Silveira

  51. Somente hoje conhecemos o seu excelente trabalho de divulgação e esclarecimen
    to sobre nossas serpentes que são exterminadas dia a dia seja por medo
    ou ignorância de sua relevante funçao na natureza.
    Moro em Nova Lima vizinho à Mata do Jambreiro onde encontramos enorme
    variedade de nossa fauna, particularmente ofídios. Dentro do possível tenta
    mos conscientizar a população relativamente à importancia dos mesmos.
    Entretanto, gostariamos de salientar que a cobra cipó por ser opistóglifa é potencialmente peçonhenta. Assim não podemos descartar a hipótese
    de alguém ser atingido pela sua presa (colmilho ou dente inoculador).
    Gostaríamos de receber futuramente seus comentários e artigos pertinentes
    ao meio ambiente.

  52. ola… tenho uma Caninana – Spilotes pullatus..elaé de estimaçao a muito tempoela é mansa mas temperamental ta d bem e as vezes.enchesse de ar e buffa mostrando agressividade mas nao tem o habito de dar bote ..eu noto q tenho q sempre variar o alimento , roedor vivo,ovo ou pintinho….pq se nao ela nao se alimenta no momento ela mede1.52 cm ….gostaria de saber mais sobre ela com quem convive com uma…se no caso ela estiver chipada e ganhar filhote oq eu teria de fazer para tbm chipar os filhotes ??

  53. oi novamente ..sempre gostei de animais de estimaçao q nao fossem comum…alem da minha cobra caninana ,tenho criação de ratinhus de lab. e uma rã albina no aquario….mas ja criei calango,caranguejeiras,gamba,escorpiao-africano,cutia,e alguns outros q precisaram de cuidados….assim como peixes tem uma vida complexa ,acredito q cobra tbm teha…ex: noto alguns comportamentos curiosos da caninana 1° ela se alimenta a cada 3 semanas 2° nao gosta de repetir a mesma comida 3°o carinho q se faço nela as vezes agrada e outras vezes ela tenta me afugentar enxendo-se de ar e bufando ,resumindo,tem um comportamento bipolar,ao mesmo tempo q ela se diverte passenado em mim, em pouco ela tbm agita a cauda me apertando e bufando..,dai leva leva um tempo e ela volta a me soltar e procurar outro lugar qentinho ..o mais curioso é q ela esfrega a cebeça do meu rosto lembrando um gatinho pedindo carinho e faz isso diverssas vezes… gostaria de ter maior contato pelo msn para se mais regular nas curiosidades caso vc se interesse pelo estudo de comportamento dela .
    Obrigadu

    • Olá Robinson.
      Não tenho conhecimento para responder suas questões, pois não crio cobras, apenas preservo as que vivem soltas na natureza.

  54. gostei meu eu adorei este documendo fala muito sobre as consequencias da cobra eu amei todas este documendo foi muito bem sosedido ameiiiiiiiiiiii de +++++++++++++++++

  55. Olá meu nome é Claudia e gostaria de saber sobre esses lagartos q se parecem jacaré e andan nos muros e em cima das telhas, tem alguma coisa q pode se fazer para afasta-los da residencia, pq tenho criança pequena e tenho medo de acidentes, esses dias caiu um em cima da pia da cozinha pq a cozinha é do lado de fora da casa, ai minha filhinha de 1 ano e4 meses foi pro lado dele eu me disisperei, pq ele virou pro lado dela a sorte é q ela saiu correndo e ficou muito assustada, Por favor me ajudem me explique sobre eles, e o q fazer paara afasta-los. OBRIGADA email- claudiaglacielaaa@yahoo.com.br

    • Olá Cláudia, sugiro que primeiramente tente descobrir a espécie de lagarto que esta ocorrendo em sua região. Entre em contato com algum jardim zoológico, departamento de biologia de alguma universidade para descobrir informações sobre esta especie. Não esqueça de levar ou enviar uma foto (macro com foco) ou espécime capturada dentro de um vidro para identificação.

  56. Oi, meu nome é joce. Eu chamei os bombeiros pra tirarem uma cobra que estava dentro da minha casa, e eles depois me falaram que era uma cobra papa lesma ou dormideira. EU só achei estranho que na hora que eu vi a cobra ela estava com o bote armado, eu me afastei e depois ela saiu de onde tava e se escondeu. Agora eu fiquei curiosa, É proprio da espécie dar o bote?

    • Olá Joce.
      Existem várias especies de dormideira, algumas calmas e mansas e outras mais agressivas. Morder e dar botes faz parte da natureza das cobras. Quando não se tem pernas ou braços e a única maneira de se defender é a boca, é inevitável usá-la.

  57. Ola, meu nome é Marcelo, achamos uma cobra cega em um dos vasos da casa de minha mãe, parecia uma minhoca gigante, só descobri que era uma cobra cega pelo seu jeito de rastejar e pela lingua que saia de sua boca (levei até um susto), parece uma cobra mesmo, existe algum perigo em deixa-la ali no vaso onde a achamos? Elas possuem algum tipo de veneno? Obrigado.

    • Frase retirada do texto da página “Répteis do Curupira”:A cobra-cega não é venenosa. Se tiver dúvidas em relação ao conteúdo do texto, por favor pesquise pelo nome científico citado no início de cada texto.

  58. OLA

    NA MINHA CHACARA ANDA APARECENDO UMA ESPECIE DE COBRA TIREI ALGUMAS FOTOS E GOSTARIA DE SABER ALGUNS DETALHES, EU NAO MATO E NUNCA MATEI CONSIGO SEMPRE FAZER ALGO PARA NAO MALTRATAR O ANIMAL MAS PRECISO PASSAR AS INFORMACOES CERTAS AOS CASEIROS E EXPLICAR QUE NAO E PRECISO MATAR.

    EU GOSTARIA DE ENVIAR ESTA FOTO PARA VCS ANALIZAR E VER S E UMA COBRA PERIGOSA.

    OBRIGADO E AGUARDO SEU RETORNO.

    MANDE O ENDERECO DO EMAIL

    OU LIGUEM 1199147113

    • Olá André, tudo bem?
      Não identifico cobras por vídeos ou fotos, pois nem sempre temos uma boa qualidade nas filmagens ou fotografias digitais. Uma luz mal direcionada, partes do animal fora de foco, baixa resolução e assim por diante, podem mascarar e atrapalhar muito a identificação. Muitas cobras mimetizam outras espécies para parecerem mais perigosas e detalhes como íris, formato da cabeça, calda, cores e escamas são imprescindíveis que apareçam perfeitamente na imagem para não haver erro na identificação. Prefiro sempre ter o espécime na mão para observá-lo melhor.
      Att. Gardel

  59. Olá amigos do Sítio Curupira, parabéns pelo blog e pelas ótimas informações;
    Também somos amantes da natureza, desde pequeno frequento as matas e montanhas daqui e da Serra dos órgãos, faço escalada em rocha e atualmente consegui adquirir um pequeno sítio, acho que na última região de mata preservada aqui de Niterói, RJ, limite com uma APA; Estou repondo a vegetação nativa desta área e estou querendo plantar várias mudas de frutíferas e outras espécies, todas nativas.
    Ocorre que devido a proximidade da mata, em um ano já tive a visita de vários moradores, dentre eles, porcos-espinho, teiús, micos de cara dourada, vários aracnídeos e, claro, cobras, umas 8, sendo 2 jararacas, cobra muito abundante aqui na região devido à constante caça aos teiús e das criações não autorizadas de vários animais para abate (coelhos, preás, porcos, etc…); Algumas consegui identificar na hora, pois fiz um curso de peçonhentos no Instituto Vital Brasil, mas as não-venenosas só agora pelas fotos de seu blog; Até agora não precisei matar (e nem pretendo) nenhum desses animais e não acho correto tê-los como animais de estimação, compartilho com vocês da ideia de que nós é que somos os intrusos e que TODOS os animais tem seu lugar na natureza. SOLTOS;
    Infelizmente, aqui também existe a cultura, que é passada com orgulho de geração para geração, do mate primeiro e olhe depois, e também da captura e apreensão de pássaros canoros, além da caça a todo tipo de animal que seja visto, coitados dos tatus e teiús, presas fáceis; Esta semana encontrei 2 filhotes de jiboia mortos aqui na rua (de terra), uma espécie linda e não venenosa, é muita ignorância; Pior é que no momento me sinto de mãos atadas, pois não posso denunciar ninguém pois corro o risco de ser “caçado” também;
    Estou pensando em um futuro próximo abrir alguma coisa, tipo uma escolinha ou grupo de caminhada ecológica, sem fins lucrativos, para tentar atrair as crianças e jovens da região para uma conscientização sobre preservação animal, etc…para tentar um pequeno começo de mudança, pois se assim continuar, os bichos vão acabar rapidamente e com eles nós também;
    Desculpem o tamanho do texto.
    Muito obrigado e parabéns novamente.

  60. tenho uma cobra dagua , ela ja era criada em cativeiro , e tenho um aquario enorme com tudo q ela precisa para viver bem. Ela hj se apresentou com os dois olhos esbranquiçados . O que devo fazer ? Isso eh normal ?

  61. Ola; encontrei em umas pedras um filhote de lagarto e sem querer machuquei; resgatei e o coloquei em um aquario seco p/ ele melhorar, mas só que ele fica de olhos fechado o tempo todo mas ja esta se movimentando sera que afetou os olhos? mas nao machucou neste local. me de um luz; obrigado!

    • Olá Eduardo. Talvez o problema seja apenas o da “luz” mesmo. Alguns animais são sensíveis a luz direta nos olhos, principalmente os répteis, pois eles não tem cílios para sombrear a retina. É uma questão de observar para ver se é isso. O melhor lugar para um animal ficar é na natureza. Ao retirá-los eles apresentam vários tipos de comportamento que não costumam fazer.

    • Acho que isso responde sua questão:
      “Lei de Proteção de nossa Fauna
      Art. 1º. Os animais de quaisquer espécies, em qualquer fase do seu desenvolvimento e que vivem naturalmente fora do cativeiro, constituindo a fauna silvestre, bem como seus ninhos, abrigos e criadouros naturais são propriedades do Estado, sendo proibida a sua utilização, perseguição, destruição, caça ou apanha.
      Lei 5.197/67 de Proteção de nossa Fauna
      Veja também Lei Federal 9605/98 que trata dos Crimes Ambientais”

  62. Boa Tarde!
    O trabalho desempenhado por vocês é simplesmente fantástico. As explicações são ótimas e a estruturação do site está perfeita. Sou estudante de Medicina Veterinária e a minha professora sugeriu que a classe pesquisasse a respeito do comportamento da glândula produtora de veneno nas cobras de acordo com as estações do ano. Gostaria de saber se há alguma informação que vocês pudessem me fornecer para que eu pudesse dar continuidade à pesquisa. Desde já agradeço.
    Atenciosamente,
    Guilherme.

    • Olá Guilherme.
      Não tenho informações tão específicas sobre as cobras. Sugiro que faça contato com o pessoal do Instituto Butantã em São Paulo.

  63. SUPER INTERESSANTE E ÚTIL A MATÉRIA DE VOCÊS SOBRE OS LAGARTOS, COBRAS E OUTROS ANIMAIS.
    MAS O QUE ME CHAMA MUITO A ATENÇÃO, SÃO AS LINDAS CORUJAS,QUE SÃO PREDADORAS EFICIENTES DE RATOS E CAMUNDONGOS, PORTANTO SÃO MUITO ÚTÉIS A NATUREZA!
    É NOSSO DEVER PROTEGER A NOSSA TERRA, OS ANIMAIS, AVES, PLANTAS E AS FONTES E MANANCIAIS DE ÁGUA.
    MARILEI/ MARÍLIA-SP

  64. Neste fim de semana estava no sítio com minha família, que fica na zona de transição entre o agreste e o sertão baiano, e ao anoitecer vimos uma serpente de coloração preta brilhante, corpo fino e quase 1 metro de comprimento sobre a lenha que fica a 3 metros da porta da cozinha. Resolvemos por observá-la até que ela se afastou da casa e seguiu rumo ao velho curral desativado. Ficamos aliviados. Mas, para nossa surpresa algumas horas depois uma outra serpente semelhante, só que um pouco menor, apareceu dentro de casa, sob a mesa em que conversávamos após o jantar. Diante do susto e da correria abatemos o animal.

    Estranhei a aparente “tranquilidade” daquela, ao circular dentro de casa em meio a tantas pessoas, sem atacar ninguém. Este comportamento não me saiu da cabeça. No entanto, no dia seguinte, também ao anoitecer, um terceiro exemplar adentrou pela cozinha tendo sido abatida por meu tio, mais uma vez assustado pelo desconhecimento sobre aquela invasora. Esta foi a maior entre os 3 exemplares avistados em menos de 24 horas.

    Hoje ao retornar resolvi pesquisar a respeito e pelas caracteristicas e imagens que vi na internet parecem se tratar de muçuranas. Tenho algumas fotos aqui e gostaria de mostrar a alguém que entenda para confirmar essa hipótese. Pois, se assim for, podemos lidar de maneira diferente, caso situação parecida volte a se repetir.

    • Olá José.
      Se realmente for uma muçurana foi uma pela ter matado, elas são conhecidas como cobras do bem, pois se alimentam de cobras venenosas. Sua dieta é composta de cobras não peçonhentas e cobras peçonhentas como jararacas, cascavéis etc. Ao serem devoradas, essas cobras picam diversas vezes a muçurana, mas o veneno dessas cobras não tem efeito contra ela. A única cobra que a mata é a cobra-coral.
      Não faço identificação por fotografia ou descrição escrita, pois há muitas espécies parecidas com a muçurana e geralmente as fotos não são precisas (fora de foco, iluminação artificial ou pouca iluminação) e geralmente aparece apenas uma parte da cobra.

  65. Magnífica essa matéria, é importante informar para que as pessoas não fiquem histéricas ao ver as maravilhas que a floresta e os campos nos propiciam.

  66. QUE PENA ! AINDA EXISTEM PESSOAS DESINFORMADAS QUE AO VEREM UMA COBRA, JÁ PENSAM EM MATA-LA. ELAS FAZEM PARTE DA CADEIA ALIMENTAR , PORTANTO SÃO SERES MUITO ÚTEIS PARA TODOS NÓS! VAMOS PENSAR DUAS VEZES ANTES DE MALTRATAR OS ANIMAIS, POIS ESTAMOS MALTRATANDO A NÓS MESMOS, COMO É O CASO, O EXEMPLO DA MORTE DA MUÇURANA.

  67. Bom dia,

    No feriado de 9 de Julho, na nossa casa em Itamambuca/Ubatuba, encontramos uma jararaca no jardim. Estamos preocupados porque temos crianças pequenas e cachorrinhos que brincam o tempo todo no local.
    Como eu nunca havia encontrado uma cobra venenosa (já encontramos caninana e cipó), não sei bem como agir.
    Em Ubatuba, em que local podemos levar a vítima (humana ou animal), caso sejam picados? Onde encontramos soro antiofídico?

    Um abraço e muito obrigada,

    Renata

  68. AMEI MARAVILHOSO, APRENDI MUITAS COISAS BOAS.
    AMO A NATUREZA, GOSTO DE SITIO DO VERDE DOS ANIMAIS, TENHO MEDO DE COBRAS , ARANHAS.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s