Receitas do Curupira!

Conserva de Broto de Bambu à Curupira

Dizem que a melhor espécie de bambu para comer o broto é o Mossô, Phyllostachys pubescens, mas seu cultivo não é muito fácil, principalmente por ser alastrante. Aqui no sítio temos várias especies de bambu, mas não o Mossô e já fizemos brotos em conserva com todos, mas a que mais agradou ao nosso paladar foi a Bambusa taquara, conhecida vulgarmente apenas como taquara (é aquele bambu mais fino, que forma touceiras e é muito comum aqui no sul do Brasil).

Se fizer uma busca na internet você ai encontrar muitas receitas e formas de preparar esta conserva, mas nós optamos por esta que é mais simples e tem se mostrado bem eficiente.

Colha os brotos iniciais quando atingirem o tamanho de 1 a 2 palmos. Normalmente basta empurrar para o lado que eles quebram, mas pode usar uma faca para facilitar.

bambu-colhido

Ferva água em uma panela (suficiente para cobrir os bambus) e já deixe uma chaleira cheia fervendo também.
Retire as cascas que vão saindo em camadas até restar apenas a parte branca.

brotos-descascados
Corte em rodelas e só aproveite a parte macia (sinta com a faca, se for difícil de cortar, não use).
Se demorar para colocar na panela, deixe os pedaços mergulhados em água com limão ou vinagre par não oxidar.

Coloque os pedaços na panela com água fervente e acrescente uma colher de sobremesa cheia de bicarbonato de sódio para cada litro de água e deixe ferver por uns 5 minutos. Descarte a água, reponha os brotos na panela e complete com água quente e mais bicarbonato de sódio.
Fazemos esta fervura com bicarbonato pelo menos 3 vezes. No final faça a última fervura apenas em água. Prove para ver se ainda está amargo e quando estiver macio, desligue o fogo e escorra.

Enquanto isto ferva uma mistura de água com vinagre, sal e açúcar (nós usamos para cada litro de água, 300 ml de vinagre branco, 2 colheres de sobremesa cheias de sal e uma rala de açúcar.
Coloque os pedaços de bambu em vidros previamente esterilizados e complete com a mistura de vinagre ainda quente. Pode acrescentar temperos secos variados, como orégano, pimenta, louro, etc).
Feche apertando bem a tampa e deixe algum tempo de cabeça para baixo sobre um pano para criar vácuo e aumentar a durabilidade.

conserva
E está pronto! Agora é só dar pelo menos 15 dias para ele absorver os temperos e então degustar. Depois de aberto, guarde na geladeira.

Repelente natural contra mosquitos

Aqui no sítio temos muitos mosquitos e de todos os tipos, tamanhos e cores. É impossível ficar na rua e não ser picado por eles, por isso ficamos dependentes da proteção de repelentes químicos, já que nenhum produto natural que havíamos testado funcionava de forma eficiente. O produto mais natural que usamos e que funcionou era um repelente da Welleda, porém, além de caro, ele deixou de ser produzido no Brasil.
Um belo dia resolvemos testar uma receita que recebemos em vídeo e que usava apenas cravo-da-índia, álcool e óleo vegetal. E, eureca! Funcionou muito bem! Com o tempo, ainda incrementamos a receita com folhas de citronela, que dão um perfume especial e ajudam a aumentar a eficiência. A duração média da proteção é de 2h, mas varia um pouco de pessoa para pessoa e da quantidade de mosquitos do ambiente. Desde então, nunca mais compramos repelente químico!
O segredo do sucesso deste repelente é que o cravo-da-índia é rico em eugenol, elemento inseticida que afasta mosquitos, moscas e formigas e o óleo essencial de citronela tem mais de oitenta componentes, entre eles citronelal, geraniol e limoneno, agentes que também afugentam moscas e mosquitos. O álcool é utilizado para “capturar” estes compostos e o óleo ajuda a fixar os elementos na pele.

Veja a receita que usamos aqui:

Ingredientes
500 ml de álcool de cereais;
10 g de cravo-da-índia;
3 ou 4 folhas de citronela
100 ml de óleo vegetal (amêndoas, coco, oliva…) ou de óleo de bebê.

Modo de preparo
Coloque o álcool, o cravo-da-índia e as folhas de citronela picadas num vidro com tampa e deixe ao abrigo da luz por no mínimo 4 dias. Mexa esta mistura umas 2 vezes por dia, para homogeneizar. Após o prazo, coe e junte o óleo, agitando ligeiramente. Coloque o repelente num recipiente spray e aplique na pele sempre que necessário, lembrando de agitar antes de aplicar.

Confira pesquisa sobre a eficiência do cravo-da-índia contra larvas de mosquito: http://g1.globo.com/jornal-hoje/noticia/2013/03/cientistas-do-inpa-desenvolvem-um-inseticida-feito-com-cravos-da-india.html

Spritzbier – Refrigerante Caseiro

  • 500g de açúcar
  • 50g de gengibre
  • 150 ml de suco de limão
  • 5 litros de água
  • uma pitada de fermento biológico (de pão)spritz

Pique 50 g de gengibre e ferva em 500 ml de água por uns 10 ou 15 minutos. Dissolva 500g de açúcar em 500 ml de água e ferva por alguns minutos. Depois de amornar, coe o gengibre e misture o líquido um balde plástico com os 4 litros de água restante, mais a calda de açúcar e 150 ml de suco de limão coado. Por fim acrescente uma pitada de fermento biológico para pão. Misture tudo com uma colher e deixe descansando no balde tampado por 24 horas.

Depois de 24 horas, filtre com coador de pano para café e engarrafe em garrafas plásticas tipo pet, tomando o cuidado de dar uma amassada no topo antes de fechar para que tenha espaço para a fermentação.

spritz1

Deixe em temperatura ambiente entre 2 ou 4 dias, até que ocorra a expansão da garrafa (você vai ouvir uns estalos e ela vai ficar roliça e inchada. Esse é o momento de colocar na geladeira para que a fermentação diminua. E está pronto! Aprecie!

Hidromel

Afinal, o que é Hidromel?

Hidromel é uma bebida alcoólica derivada da fermentação do mel diluído em água, contendo uma enorme variedade de estilos que se agrupam devido às adições de frutas e/ou especiarias, malte, etc. Seu teor alcoólico varia normalmente entre 5%vol até 14%vol, de acordo com a legislação brasileira. No entanto, produtores artesanais exploram teores alcoólicos que beiram 18 – 19%vol. Além de ser consumida em Roma e na Grécia Antiga, outras culturas antigas consumidoras desta bebida foram os celtas, os saxões e os vikings. Também era conhecido o consumo de uma bebida similar pelos maias. Na Irlanda, existia a tradição de que os casais recém-casados deveriam consumir esta bebida durante o primeiro ciclo lunar (ou mês) após o casamento. Daí surgiu a tradição atual da lua-de-mel. Na Mitologia Nórdica, o hidromel aparecia como a bebida favorita dos deuses.

Variedades de Hidromel

O hidromel pode ter uma variedade muito grande de estilos, e alguma das principais variedades são:

  • Tradicional: hidromel levando apenas mel, água e levedura
  • Metheglin: hidromel com especiarias
  • Melomel: hidromel com frutas
  • Cyser: melomel com maçã
  • Pyment: melomel com uvas
  • Braggot: hidromel fermentado com malte
    (fonte Wikipédia)

Receita de Hidromel do Curupira

Existem várias receitas na internet, nós adaptamos a nossa de um vídeo que assistimos (não lembramos mais a fonte). É a receita mais básica, mas para nós por enquanto é a melhor.

Ingredientes

  • 800g de mel
  • 3.200ml de água (sem cloro ou mineral)
  • 10g fermento biológico para pão (ou fermento para Champagne)

Como fazer

Aqueça o mel dissolvido na água até alcançar 70°C e mantenha nesta temperatura por 15 min.

hidromelIMG_8060

Deixe amornar, retire um copo do líquido morno e dissolva nele 10g de fermento. Deixe descansar por uns 15 minutos e depois já pode misturar no restante do líquido.

Coloque a mistura num garrafão e deixe fermentando com um sifão (veja detalhe abaixo).

O sifão é uma mangueira presa no bico do garrafão por uma rolha furada e conectada em uma garrafa com água. O objetivo deste sifão é deixar o gás carbônico sair sem deixar o ar externo entrar. É o mesmo processo de fermentação de vinho de uva. Pode-se usar também um balão/bexiga de borracha no bico do garrafão. Neste caso esvazie o balão quando estiver cheio e coloque novamente no bico até o fim da fermentação.

Depois de 30 dias transfira o líquido para outro garrafão e repita o processo de fermentação por mais mais algum tempo até o líquido parar de fazer bolhas.

Para esta transferência, que tem como objetivo separar o líquido limpo dos sedimentos do fundo, use uma mangueira transparente e capte o liquido de cima para baixo. Deixe o garrafão cheio numa parte alta e o garrafão que irá receber o liquido numa parte mais baixa. Descarte o resíduo do mosto sedimentado. Se preciso, repita este procedimento a cada 7 dias até que se tenha uma bebida translúcida. Depois de fermentado e translúcido, o líquido já pode ser envazado.
Limpe muito bem as garrafas antes de engarrafar o hidromel. Para fechar use a tradicional rolha de cortiça ou a tampa rosca da própria garrafa de vinho reutilizada. Não reutilize rolhas usadas, pois podem conter bactérias e fungos contaminantes.
Armazene as garrafas horizontalmente em local protegido da luz e com temperatura amena constante. 

hidromelIMG_8029

Esta é a aparência final do nosso Hidromel

No segundo mês após engarrafado o hidromel ainda mantém um leve sabor de mel. Nesta fase percebe-se um leve frisante ainda decorrente da fermentação. No terceiro mês não sente-se mais o gosto do mel, nem resquícios do frisante. Sente-se um aroma frutado lembrando quase o gosto de um vinho branco de uva. Ele fica mais seco e eleva o teor alcoólico. Para os apreciadores de um bom vinho esta é a fase mais indicada para degustação.
Lembramos que este processo é artesanal e pode ser influenciado por vários fatores, como a qualidade do mel, origem da água, higienização dos recipientes e rolhas, temperatura e luminosidade do local de descanso das garrafas… tudo isso pode afetar no gosto a qualidade do hidromel.

Anúncios

5 pensamentos sobre “Receitas do Curupira!

    • Oi Ivonete! Essa receita de Spritzbier rende 5 litros. A receita original que recebemos era de 20 litros. Se quiser reduzir ou ampliar é só fazer o cálculo da proporção dos ingredientes…

  1. Boa tarde.
    Agradeço todas as informações disponibilizadas aqui.
    Tive uma dúvida quanto ao rendimento, pois vou fazer o tradicional em um balde fermentador de 22 litros. Fazendo a proporção vi que a receita acima leva 800g de mel e 3.200ml mas rende 5 litros. Não seriam 4 litros? Como isso funciona?

    Obrigado.

    • Olá! O comentário que fala que rende 5 litros se refere ao Spritzbier, receita de refrigerante caseiro que leva gengibre, limão e açúcar (não alcoólico – primeira receita do post). A receita que você menciona, 800g de mel e 3200ml de água é a de hidromel, bebida alcoólica, segunda receita da postagem. Espero ter ajudado.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s