Composto Orgânico

1. Transformando resíduos orgânicos em alimento para as plantas.

1.1. O que é compostagem?

A compostagem é a forma mais eficiente de reciclagem dos resíduos orgânicos e consiste na mistura de material vegetal (capim, poda de árvores, folhas, restos da cozinha, frutas e etc.), devidamente picado ou triturado, com esterco de animais (gado, cavalo, galinha, codorna, cabra, coelho e etc), amontoado, umedecido e revirado, para promover a fermentação aeróbica (contato com o ar) até que a matéria orgânica esteja totalmente decomposta e estabilizada.

 1.2. Porque fazer compostagem?

  • Cerca de 65% do lixo urbano domiciliar produzido no país é constituído de matéria orgânica.
  • Permite melhor aproveitamento de restos orgânicos.
  • Pasteuriza os materiais orgânicos, evitando doenças para o homem e para as plantas, e recicla ervas indesejáveis.
  • Permite acumular e multiplicar matéria orgânica para a aplicação posterior.
  • É uma fonte liberação lenta de macronutrientes (N, P ,K ,Ca, Mg e S) e micronutrientes (B, Mo, Z, Fe, Mn, Cu, Cl e Co) orgânicos.
  • Pode-se dizer que o composto melhora as condições físicas, químicas e biológicas do solo:

Condições físicas – a presença de composto orgânico torna o solo mais arejado, facilitando a presença de ar, água e de microtúneis que ajudam o crescimento das raízes e das plantas.

Condições químicas – a matéria orgânica e o húmus contém inúmeras substâncias químicas e também microorganismos (bactérias, fungos, algas microscópicas etc.) que atuam sobre os minerais da terra, tornando-os mais disponíveis para as plantas e também ajudam a reduzir a acidez do solo.

Condições biológicas – as atividades biológicas dos microorganismos presentes no húmus e na matéria orgânica em decomposição produzem inúmeras relações na microecologia do solo, evitando desequilíbrio na alimentação das plantas e que elas sejam atacadas por doenças.

 1.3. Relação Carbono/Nitrogênio

A compostagem é preparada misturando-se materiais ricos em C (carbono) e N (nitrogênio). A relação mais apro-priada da proporção C/N em uma pilha do composto é de 30/1 (significa que para cada 30 partes de C tem 1 de N).

Relação de Carbono/Nitrogênio de alguns materiais sugeridos para a compostagem:

1.4. Como preparar o composto?

1.4.1.  Escolher um lugar à sombra onde possa caber de2 a3 compostos, colocados lado a lado.

Embaixo de uma bananeira é um ótimo local para aqueles que não tem uma estrutura coberta, pois além da proteção da chuva e incidência direta de sol, na sombra da bananeira se encontra um ótimo micro-clima para o composto. E todo o chorume que escorre do composto irá direto para as raízes das bananeiras.

O tamanho do composto dependerá da quantidade de material orgânico disponível, mas para facilitar o manuseio por uma pessoa e acelerar a compostagem sugerimos que o composto fique mais ou menos com1 metrode altura por 1m da largura. Para facilitar a virada do composto e a preservação de sua forma, pode-se utilizar uma tela gabarito, na forma cilíndrica, feita de tela de galinheiro soldada.

1.4.2. Separe as fontes de material orgânico para ser compostos:

  • restos de horta (verduras e legumes) e do pomar (frutas podres).
  • refugos da cozinha (nunca utilizar alimentos com sal, vinagre, óleo de cozinha e carnes em geral).
  • esterco animal (gado, cavalo, galinha, porco, ovelha, coelho, codorna criados de maneira orgânica).
  • uma boa quantidade de palhada (grama cortada, poda de árvores ou de jardim devidamente picados, folhas em geral, rejeito de ervas indesejáveis das hortas, palhas de arroz, aveia, milho e feijão, plantas aquáticas (aguapé ou alface d’água).

Para enriquecer o composto pode-se acrescentar:

  • caldo de cana-de-açúcar ou cana picada (ativa a fermentação e é rica em ferro).
  • cinza de fogão (rico em potássio)
  • fosfato natural (pó de rocha rico em fósforo)
  • casca de ovo picada ou pó de ostra (rico em cálcio)
  • restos de outros compostos ou mulch de floresta (usa-se como inóculo para acelerar a compostagem).

Geralmente o composto terá de 3 a4 vezes mais material vegetal (rico em C = palhas e folhas do que animal (rico em N = esterco). Um composto só de palha ou muito rico em carbono pode demorar muito para fermentar e se decompor. Por outro lado, um composto feito só de materiais ricos em nitrogênio vai apodrecer e liberar mau cheiro.

1.5. Montagem do composto

  • Junte a palhada e faça uma cama de mais ou menos 25 cm de altura.
  • Sobre ela deposite uma camada de 5 cm de esterco, mulch de floresta, frutas apodrecidas, restos de cozinha ou inóculo de outro composto. Nesta camada pode-se dar uma pequena rega (água sem cloro) para que as bactérias escorram pelo interior da palha. Quanto mais materiais utilizados na compostagem mais rica em nutrientes ela será.
  • Continue fazendo os procedimentos 1 e 2 até chegar a altura de 1 metro.
  • A última camada deverá ser de palhada para que o esterco não atraia insetos indesejáveis como moscas e baratas.
  • Pode-se colocar uma lona plástica sobre o composto para proteger o núcleo contra o excesso de chuva, ressecamento pelo sol ou baixa umidade.
  • Concluída a montagem do composto deixe-o repousando por pelo menos 4 dias.
  • Após esse tempo, o composto deverá ser virado para que a parte de baixo fique para cima e as laterais possam fermentar no núcleo do composto. Neste estágio a temperatura interna deverá ficar entre 45 a 65 °C. Para acelerar o composto e encurtar o tempo de maturação recomenda-se virar o composto a cada dois dias.
  • Vídeo demonstração: como virar o composto.

 

  • Dependendo das condições climáticas (excesso de chuva/umidade ou seca prolongada), ou de um desequilíbrio na relação C/N, o composto poderá necessitar de uma pequena intervenção. Caso o composto esteja cheirando mal e atraindo insetos, acrescente materiais ricos em carbono, caso ele esteja seco e com baixa temperatura acrescente materiais ricos em nitrogênio ou regue com água sem cloro.

1.6. Como saber quando o composto está pronto?

Quando o composto estiver pronto, os materiais originais já não serão mais reconhecíveis, sua coloração será um marrom escuro e o cheiro é o mesmo que a terra fértil exala quando começa a chover.

O tempo de estabilização do composto pode variar de 1 a 3 meses, tudo irá depender do material utilizado, da época do ano (locais onde as 4 estações são bem definidas como sul e sudeste).

Se a relação C/N estiver próximo do ideal 30/1, e o material vegetal for fino e picado em um picador, grama recém cortada, folhas e cascas de frutas, ar e umidade próximo do ideal, a decomposição será mais rápida.

1.7. Que quantidade de composto deve ser usada nos canteiros?

Para adubação inicial do canteiro, podemos incorporar 20 a 30 kg de composto por m².

Para cada adubação de manutenção ou renovação do canteiro, podemos acrescentar de 10 a 15 kg por m².

Podemos também aplicar, de vez em quando, um balde de composto por m² apenas para cobrir o solo dos canteiros. Neste caso, o composto poderá ser apenas jogado entre as plantas, sem misturar, de modo a cobrir a terra para protegê-la do sol. Depois é só regar bem.

1.8. O composto pode ser utilizado no minhocário?

Sim, para facilitar a absorção dos nutrientes do composto pelas plantas pode-se passar o composto pelo minhocário. As minhocas se alimentarão do composto ainda com algumas formas identificáveis (pequenos pedaços de folhas, galhos e capins). Ao defecar, as minhocas liberam o húmus. O húmus de minhocas nada mais é que o esterco da própria minhoca. Esse processo é denominado também de vermicompostagem. A minhoca mais indicada para a produção de húmus e a mais usada comercialmente é a minhoca-vermelha-da-california (Eisenia phoetida).

Bibliografia
Introdução a Permacultura – Bill Mollison e Remy Mia Slay
Alternativas Ecológicas para Prevenção de Pragas e Doenças – Inês Claudete Burg e Paulo Henrique Mayer
Apostila de Construção da Zona 1 – IPAB
Manual do Curso de Agroecologia – Epagri
Boletim Didático nº14 de Vermicompostagem – Epagri

Atenção: É permitida a reprodução deste trabalho desde que citada a fonte.

perguntascomentarios

 

Anúncios

49 pensamentos sobre “Composto Orgânico

  1. Gostei da orientacao,aprendi um pouco mais. Mas tenho uma duvida no caso do sexto cilindrico e so virar o sexto para misturar o composto

      • Olá, Gardel,
        Estou desesperadamente em busca de mudas de Confrei. Será que teria possibildiade de você me vender algumas mudas, não sei, creio que umas 10 já sejam suficientes. Agradeceria muito a sua ajuda. Não consigo achar o Confrei aqui no Rio. Agradeço desde já se puder me auxiliar. Abçs, Rodrigo Menezes rodmenezes@gmail.com

      • Olá Rodrigo.
        Tenho apenas uma muda de confrei, pois uso muito pouco. Aqui em SC é muito comum achar mudas de confrei em floricultura. Vou deixar sua postagem na página, pois pode ter alguém bem próximo a você que tenha mudas para doar ou vender.

  2. Curupiras,
    Obrigado por tantas formas concretas de fazer a cocriação.
    Comecei com a receita do pão, ficou muito bom!
    Trabalho com técnico em um horta comunitária.
    Vocês fazem a diferença.
    Força neste trabalho, que é um prazer.
    Carlos Gasparini Neto
    Osório, RS

  3. Legal, posso fazer um composto anaeróbico, dentro de um latão plastico, ou armazenar os novos resíduos até ter o suficiente para fazer um novo? Como armazenar?

    • O ideal é ter uma boa quantidade de resíduos orgânicos para montar um composto. Armazenar em um tonel plástico com tampa é uma boa saída. No entanto, quando usar apenas o lixo da cozinha, sugiro a vermicompostagem (minhocas californianas). Neste caso você precisa ter uma caixa grande (plástico ou madeira), com duas divisórias. O tamanho da caixa irá variar de acordo com a quantidade de resíduos produzidos na casa. Vá colocando (diariamente) os resíduos orgânicos dentro da primeira divisória junto com algumas minhocas. Quanto mais alimento mais rápido elas irão de reproduzir e consequentemente mais rápido será a vermicompostagem. Quando terminar de encher o primeiro nicho, deixe-o de lado e comesse a encher o segundo. Quando as minhocas terminarem o serviço do primeiro nicho, gradativamente elas irão migrar para a segunda parte da caixa onde deverá ser colocado os novos resíduos orgânicos. Quando o seu lixo orgânico tiver uma aparência de terra escura e porosa estará pronto para ser usados nas plantas.

    • OLá Wilson, desculpe a demora na resposta. A tela gabarito é muito simples de montar . Compre uma tela soldada tipo galinheiro de 1m de altura por mais ou menos 3,50m de comprimento. Junte as extremidades e terá o cilindro.

  4. Bom dia
    Tenho uma maquina de virar composto para venda.
    Peço o contato para envio de um video da maquina se houver interesse
    Estou em são paulo a maquina em mogi das cruzes com pouco uso.

    Grata
    Ines

  5. Meu Deus !!! Que maravilha! Tudo explicadinho!
    Faço compostagem mas , mal feita ,pois não sabia como revira-la .Agora sim vou usa o garfo como vi no vídeo,muito bom!Vou fazer também ao lado de bananeiras que já tenho e que mal produzem.

    Encontrei voces ao acaso quando procurava alguma coisa para o controle da tiririca que tomou conta da minha horta , que está com mudas de beterraba,rúcula, chicória, alface ,salsa e cebolinha todas abafadas pela tiririca.
    Tenho certeza que não vou perde-los de vista pois suas informações são muito útil.
    Quero saber melhor como usar jornal para controlar o mato nos canteiros
    Obrigada

    Regina

    • Olá Regina.
      Não tenho usado o papel jornal/papelão para montar canteiros, pois boa parte do “inço” que nasce na horta serve de alimento para minhas galinhas e peixes ou vão para a compostagem. Muitas frutíferas e hortaliças germinam de maneira espontânea a partir de sementes que ficaram no solo, neste caso o jornal impediria seu crescimento. No entanto, para fins de aprendizagem posso portar um passo a passo sobre a técnica de plantio com jornal. Na primeira oportunidade farei um canteiro e publicarei as fotos.
      Att, Gardel

  6. Boa tarde; gostei muitíssimo da matéria mas restou uma dúvida. Como faço para coletar o chorume neste tipo de compostagem? Seria possivel montá-lo em um pequeno declive e colocando primeiramente um plástico e na na ponta mais baixa colocaría-se um coletor? O plastico de alguma forma atrapalharia na composição?

    • Olá July.
      A ideia do plástico é ótima e econômica. Em relação ao plástico não tem nenhum problema para a decomposição. Só lembrando que o composto para estabilizar de maneira homogênea é importante vira-lo pelo menos de 4 em 4 dias como sugerido na página. Neste caso terá que ter dois locais de coleta de chorume.

    • Olá Maria. O composto, depois de estabilizado pode ser colocada na base de árvores. O raio de aplicação será definido pela largura da copada da árvore.

  7. Pessoal, tenho uma maquina de virar composto em ótimo estado de conservação.
    Caso haja interesse, entrar em contato conosco.

    Giseli

  8. Olá pessoal! Sou estudante de eng° agronômica e preciso da ajuda de vocês…Alguém poderia me indicar um tema interessante, ou alguma ideia de projeto, que seja Simples na área da agronomia?!
    Abraço

    Júnior Rocha

  9. Olá,
    Gostaria de saber se este método é passível de ser usado para compostar fezes caninas.
    Tenho cinco cães os quais vermifugo mensalmente com um remédio subcutâneo.
    Meu quintal é bem grande, mas em acentuado declive, de modo que venho fazendo platôs com galhos/troncos e madeira de obra, para, futuramente, criar as hortas em leiras suspensas.
    Estou precisando resolver o problema de falta de terra para os platôs e do descarte das fezes em ambiente urbano. Por isso tenho interesse nesta “terra” da compostagem.
    Esclareço que as hortas não usariam este tipo de “terra”, que seriam usadas apenas nos platôs com plantação de árvores da mata atlântica e outras plantas de apelo paisagístico.
    Aguardo retorno,
    Abraços

    • 2.Por motivos pessoais, estou sem tempo para responder às questões levantadas pelos amigos internautas. Peço desculpas pelo inconveniente. Deixarei as questões publicadas para o caso de alguém ter conhecimento e interesse em responder.

  10. Olá tudo bem, sou de Capinzal SC, a minha duvida é a seguinte.A grama, palha etc que é retirada de certo local não deveria permenecer a onde esta para a proxima vegetação que ira nascer,para haver a sustentabilidade da vegetação? Obrigado e parabens pelo modo de vida que vocês vivem em contato com a natureza.

    • Por motivos pessoais, estou sem tempo para responder às questões levantadas pelos amigos internautas. Peço desculpas pelo inconveniente. Deixarei as questões publicadas para o caso de alguém ter conhecimento e interesse em responder.

    • Depende do local, e do caso em questão. Por exemplo, aparas de grama, não tem necessidade de ficar por cima da grama, pode ser levada pra compostagem. Talvez você tenha também uma árvore na área gramada e não queira as folhas secas por cima da grama. Você pode levar esse material para a composteira, transformar em humus num minhocário (ou peneirar) e posteriormente, caso a grama precise, trazer o humus para a grama. Eu por exemplo, não retiro material algum do meu pomar/agrofloresta, porém alguns barrancos onde tem braquiária eu roço constantemente e recolho o material para a compostagem.

      • Vou murar meu terreno e comear a recolher pela redondeza, restos de cozinha, serragem , e bagao de cana. Com isto consigo obter uma boa compostagem ? Li qe para a compostagem ficar no ponto leva mto tempo , em mdia quanto tempo leva ? A temperatura ideal 60 – 65 . isto ?

        Grata catia

        Date: Mon, 16 Sep 2013 21:32:14 +0000 To: catiagopfert@hotmail.com

      • Olá Catia.
        O tempo de estabilização do composto pode variar de 1 a 3 meses, tudo irá depender do material utilizado, época do ano e microclima da região. Para acelerar o composto e encurtar o tempo de maturação recomenda-se virar o composto a cada dois dias. Quando o composto estiver pronto, os materiais originais já não serão mais reconhecíveis, sua coloração será um marrom escuro e o cheiro é o mesmo que a terra fértil exala quando começa a chover.

  11. Ola, galera eu fiz um minhocario com uma caixa de água de amianto eu estou percebendo que esta aparecendo alguns caramujos bem pequenos .Oque eu devo fazer para acabar com os caramujos obrigado Beto …..

  12. trabalho em um sítio na zona sul de porto alegre e gostaria de orientações quanto a tais procedimentos e até mesmo dicas sobre lidas de aproveitamentos..ok
    obrigado
    jeffersson poa-rs

  13. Boa tarde. Muito obrigada pela matéria. Aprendi muito como fazer compostagem e, aproveitando a semana de férias, já estou providenciando a tela para fazer minha compostagem.

    Abraços.

  14. achei muito interessante para a compostagem de residuos orgânico,gostaria de saber se tem algum destino nesse sentido para as fezes caninas.aguardo sua resposta

    • Olá Marily.
      Siga o mesmo processo da compostagem orgânica, apenas substitua os resíduos de cozinha pelas fezes dos cachorros. Sugiro que não utilize o composto depois de pronto em hortaliças, mas fique a vontade para usar em árvores frutíferas e plantas ornamentais.

  15. Ola! ja entrei mtas vezes aqui na sua pagina na qual adorooo, uma pergunta a vc onde posso vender as minhocas californianas ? moro numa chacara onde existe grde quantidade , aguardo sua resp…abraço

  16. Parabens pelo trabalho que executa e mto mais pela atenção que dispensa aos seus seguidores, qdo divulga sua experiência colabora com a natureza que precisa cada vez mais de patrocinadores voluntários!! Gde abraço e SUCESSO!

  17. Olá amigos, do Sitio Curupira! Parabéns pelas dicas e vídeos instrutivos… Eu fazia a pilha de compostagem pelo método tradicional (e penoso) de montargem em forma de pirâmide, que dava um enorme trabalho na hora de revirar. A sacada de vocês de usar uma tela como gabarito foi um achado! Uma dúvida: não consigo achar fosfato natural na minha região; é possível substituí-lo por Farinha de Ossos e ainda ter bons resultados na aceleração da compostagem? Abraços, Leonardo

    • Olá Leonardo.
      O fosfato não acelera a compostagem, mas enriquece. Para acelerar a compostagem você pode usar fontes de nitrogênio. A relação mais apropriada da proporção Carbono/Nitrogêio em uma pilha do composto é de 30/1 (significa que para cada 30 partes de C tem 1 de N). Veja tabela com as fontes de (N) mais indicado para o seu caso.

    • Olá Rafael.
      A biografia de pesquisa está no final do texto desta página. A tabela é uma adaptação do livro Alternativas Ecológicas para Prevenção de Pragas e Doenças – Inês Claudete Burg e Paulo Henrique Mayer.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s